Nos 5 anos do ‘Pimp My Carroça‘, app ‘Cataki‘ conecta catadores com quem deseja reciclar - São Paulo São

User Rating: 0 / 5

O aplicativo gratuito Cataki oferece uma nova alternativa de reciclar valoriza o catador como agente ambiental. Imagem: Reprodução.O aplicativo gratuito Cataki oferece uma nova alternativa de reciclar valoriza o catador como agente ambiental. Imagem: Reprodução.

Idealizado pelo grafiteiro Mundano, o Pimp My Carroça busca tirar da invisibilidade catadoras e catadores de materiais recicláveis e atentar para uma questão ignorada por parte da população e poder público: a reciclagem.

Segundo estatísticas, o brasileiro produz em média 400 quilos de resíduos sólidos por ano, mas apenas 12 quilos são efetivamente reciclados e 90% deles são coletados por catadores. Os outros serão aterrados, ou irão para locais não apropriados, o que, para Mundano, implica em retirar a renda de mais de 800 mil pessoas que vivem de reciclagem. “O poder público paga bilhões para empresas retirarem o que a gente ainda chama de lixo, mas que na verdade é uma riqueza, e enterram essa matéria prima finita. Empresas ganham milhões para dizer que são sustentáveis, mas é um mero discurso, porque quem faz na prática são os catadores. Essas pessoas fazem um serviço público. Eles fazem limpeza pública, coleta seletiva, logística reversa dos produtos das empresas, e deveriam estar sendo remunerados”.

'Reciclando ideias, realizando sonhos'

Em alusão ao programa norte-americano de TV Pimp My Ride, em que carros em péssimo estado eram restaurados, o Pimp My Carroça começou quando Mundano, após cinco anos atuando diretamente com catadores de resíduos sólidos, percebeu que não poderia avançar mais sozinho. Preparou um financiamento coletivo que superou as expectativas e atingiu 167% da meta, com R$ 63.950,00 arrecadados.

O resultado da vaquinha on-line foi um grande dia de mutirão, em maio de 2012, no Anhangabaú, centro da capital paulista, que ‘pimpou’ 40 carroças e envolveu 360 colaboradores e artistas. Além das pinturas personalizadas das carroças e instalação de itens de segurança, os catadores e catadoras tiveram atendimento médico e psicológico, massoterapia, doação de óculos de grau e escuros e veterinário para os cachorros. Desde então, o Pimp My Carroça passou por diversos lugares e inspirou outros projetos, atingindo números que são de grande orgulho para os envolvidos: cerca de 800 grafiteiros e artistas participantes, quase dois mil voluntários, 42 cidades em 12 países e mais de 840 carroças ‘pimpadas’.

O Cataki

Lançado na festa de aniversário de cinco anos do Pimp completados em julho último, o Cataki, aplicativo gratuito que oferece uma nova alternativa de reciclar para além do serviço municipal, valorizando o trabalho do catador como agente ambiental na sociedade.

“O mais importante na nossa proposta é a possibilidade de conexão direta entre o gerador de resíduos e o catador. Temos mais de 800 mil catadores no Brasil, mas que são invisibilizados no seu trabalho. Estamos focando nisso como possibilidade de geração de renda, ao mesmo tempo que promovemos sustentabilidade e reciclagem para o país”, explica Breno Castro Alves, coordenador do Cataki.

“Essas pessoas fazem um serviço público. Eles fazem limpeza pública, coleta seletiva, logística reversa dos produtos das empresas, e deveriam estar sendo remunerados”. Foto: Nego Júnior“Essas pessoas fazem um serviço público. Eles fazem limpeza pública, coleta seletiva, logística reversa dos produtos das empresas, e deveriam estar sendo remunerados”. Foto: Nego JúniorPara Mundano é um primeiro passo no objetivo de potencializar o que tem sido feito. “Já que a prefeitura não coleta, a gente vai facilitar a vida do catador. Estamos construindo juntos, não é solução, mas é uma alternativa para São Paulo e quem sabe para o Brasil”, espera. Alguns catadores contaram que já foram procurados por meio do aplicativo, que fornece os telefones dos que estão mapeados.

Campanha Colaborativa + Catadores

“O mais importante na nossa proposta é a possibilidade de conexão direta entre o gerador de resíduos e o catador.“  Imagem Reprodução / Youtube.“O mais importante na nossa proposta é a possibilidade de conexão direta entre o gerador de resíduos e o catador.“ Imagem Reprodução / Youtube.Enquanto o aplicativo está em desenvolvimento, o Pimp My Carroça promove um cadastramento colaborativo de catadores por meio do link cataki.org, uma maneira de facilitar o mapeamento desses profissionais em todo o Brasil. Quem cadastrar ganha recompensas, como adesivos, camisetas, gravuras e até sprays.

Neste vídeo, saiba como o aplicativo Cataki funciona. 

O Pimp My Carroça

Primeiro evento do Pimp My Carroça, no Vale do Anhangabaú, em 2012, que atendeu 40 catadores envolvendo 300 voluntários e 54 artistas. Foto: Felipe Mairowski / Pimp My Carroça. Primeiro evento do Pimp My Carroça, no Vale do Anhangabaú, em 2012, que atendeu 40 catadores envolvendo 300 voluntários e 54 artistas. Foto: Felipe Mairowski / Pimp My Carroça. Movimento que atua desde 2012 tirando os catadores de materiais recicláveis da invisibilidade por meio da arte, sensibilização, engajamento e participação coletiva. Desde o seu início, já foram atendidos 845 catadores, com a participação de 769 grafiteiros, 1.613 voluntários em 42 cidades de 12 países diferentes, como Bogotá (Colômbia), Casa Blanca (Marrocos) Recife (Pernambuco), Manaus (AM) Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Brasília (DF), Salvador (BA), Curitiba (PR), Nova Iorque (EUA), Lima (Peru) e Pristina (Kosovo). 

Conheça as ações do Pimp: http://pimpmycarroca.com/como-atuamos/.

***
Da redação com informações de Marina Segre / Relações com a imprensa.