‘Womenwill Brasil‘: Google traz ao país programa que pretende capacitar 10 mil mulheres - São Paulo São

Google lançou nesta quinta (28), o programa Womenwill Brasil para capacitar mulheres brasileiras a criarem suas próprias oportunidades econômicas, tornando-as confiantes e habilitadas para aproveitar todo o potencial do digital, por meio de um empreendimento, mudando de carreira ou encontrando um emprego.

O Brasil é o quinto país a receber o programa. Em 2017, o Google lançou um piloto do programa com 100 moradoras de Paraisópolis e Brasilândia, em São Paulo, para entender quais são as necessidades reais delas e construir um treinamento relevante e efetivo.

A experiência foi registrada no documentário “Womenwill Brasil - Um programa Cresça com o Google“ produzido e dirigido pela Hysteria, braço feminino da Conspiração Filmes.

Após o piloto nas comunidades paulistanas, o Google irá promover todos os meses treinamentos em seu centro de empreendedorismo em São Paulo, o Google Campus. Com duração de 16 horas, o curso terá aulas de capacidade de negociação, liderança, comunicação, finanças e tecnologia. As aulas serão ministradas por profissionais da empresa e parceiros, como a Rede Mulher Empreendedora, focando especialmente em grupos femininos de minorias, como mães solteiras, transgêneros ou mulheres com deficiências. O conteúdo também será transmitido ao vivo no YouTube. O objetivo do projeto é capacitar até 10 mil mulheres.

Cena do documentário Womenwill Brasil - Um programa Cresça com o Google. Imagem: Youtube / Reprodução.Cena do documentário Womenwill Brasil - Um programa Cresça com o Google. Imagem: Youtube / Reprodução.

O programa Womenwill Brasil é aberto para mulheres. Mas a seleção das participantes, segundo Susana Ayarza, diretora de marketing do Google Brasil, levará em conta a situação econômica e social delas. O processo seletivo também dará prioridade a minorias: mães solteiras, transgêneros ou mulheres com deficiência.

Cenário brasileiro

Quando o assunto é desigualdade econômica, o Brasil está em 91º lugar de 144 países no relatório de desigualdade de gênero elaborado pelo Fórum Econômico Mundial em 2016. Essas distâncias foram ressaltadas devido à crise econômica e política que o país tem enfrentado nos últimos anos. Prova disso é o fato do desemprego entre as mulheres ser 30% maior na comparação com os homens.

Apresentação do WomenWill em Singapura, durante a Global GBG Summit. Foto: Divulgação.Apresentação do WomenWill em Singapura, durante a Global GBG Summit. Foto: Divulgação.

“Melhorar as habilidades das mulheres para lidar com o mundo digital ajudaria a alcançar igualdade no trabalho 40 anos mais rápido, segundo a consultoria Accenture. Por isso, conectá-las ao mundo on-line e fornecer as ferramentas necessárias para que possam usufruir ao máximo do digital é essencial para reverter o cenário brasileiro”, diz Susana.

Susana finaliza ressaltando a importância de investir na formação das mulheres para incentivar que encontrem novas oportunidades de trabalho, melhorem suas carreiras e abram seus próprios negócios. “Além disso, é uma maneira de garantir crescimento para o país, pois o PIB poderia ser 30% mais alto se as mulheres participassem do mercado de trabalho na mesma proporção que os homens”, disse.

Assista o vídeo do lançamento: https://youtu.be/MNI_QLMB93E

***
Da Redação, com informações do Google.



-->