Colunistas - São Paulo São

São Paulo São Colunistas

A Batalha do Tuiuti cujo início foi em 24 de maio de 1866, ocorreu nos pântanos que circundavam o lago Tuiuti, no Paraguai e é considerada por historiadores como uma das mais importantes batalhas da Guerra da Tríplice Aliança (1864-1870).A Batalha do Tuiuti cujo início foi em 24 de maio de 1866, ocorreu nos pântanos que circundavam o lago Tuiuti, no Paraguai e é considerada por historiadores como uma das mais importantes batalhas da Guerra da Tríplice Aliança (1864-1870).

Tradicionalmente maio é conhecido como o mês das noivas e das mães, duas comemorações com forte apelo para o consumo e para alavancar as vendas do comércio e de serviços.

Houve um tempo em que era desejado casar neste mês que, em tese, coroava o enlace matrimonial perfeito: cerimônia na igreja, centenas de convidados, festa de arromba e viagem de núpcias.

Já a celebração em homenagem às nossas queridas genitoras sempre ocorre no segundo domingo do mês, e é uma das datas do ano com maior faturamento para os lojistas.

Não por acaso, diversas empresas de produtos de consumo preparam potentes campanhas promocionais e de propaganda a fim de fisgar filhos e maridos para aquisição daquela lembrancinha planejada ou de última hora.

Em Buenos Aires, maio é a praça na qual as mães se reuniam para protestar contra a ditadura militar e cobrar o regime pelo desaparecimento dos seus filhos.

Em Sampa, a Rua 24 de Maio, cujo nome relembra a “Batalha do Tuiuti”, da Guerra do Paraguai (1864-1870), ocorrida em 1866, e que foi considerada a mais sangrenta do conflito, vencido pela tríplice aliança (Brasil, Argentina e Uruguai), contra o Paraguai. Nos dias atuais essa Rua do Centro Velho da cidade abriga a famosa Galeria do Rock e, cada vez mais, reúne nos seus andares as turmas do skate, das tatuagens, da moda surf, e dos salões de beleza.

E o 1º de maio foi de luta e de comemoração no Dia o Trabalhador e as batalhas continuam. Estamos apenas no início e muitas águas vão rolar. Não são as de março fechando o verão, mas, quem sabe, seja o prenúncio de que a próxima estação nos trará mais esperança. Por aqui, fico. Até a próxima.

***
Leno F. Silva é diretor da LENOorb - Negócios para um mundo em transformação e conselheiro do Museu Afro Brasil. Escreve às terças-feiras no São Paulo São.

A Urbe é sinistra quando paro no farol e vejo tantos ambulantes, que vendem de rosas a panos de prato, guarda-chuvas, passando por carregadores de celulares, frutas variadas, tudo na barganha que começa em R$ 25,00, mas dependendo do tempo do farol chega a R$ 10/15, 00 e o vendedor ainda sai feliz.

Gramado e trilha no interior do parque. Foto: Áreas Verdes das Cidades.Gramado e trilha no interior do parque. Foto: Áreas Verdes das Cidades.

Conheci a então Praça Buenos Aires em 1981, quando iniciei o curso de comunicação social na FAAP – Fundação Armando Álvares Penteado.

Depois de levar quatro prêmios na última edição do Festival de Brasília e ser exibido em mais de 20 cidades brasileiras, o longa “A Cidade Onde Envelheço”, de Marília Rocha, chega às plataformas de streaming no próximo dia 20. O filme traz como mote a relação de duas amigas portuguesas, que migram para o Brasil em momentos diferentes, a intimidade entre elas e suas visões sobre as peculiaridades do país.

Berlim é a terra do cinema. Berlinale, glamour, lembra? Mas deixa isso para lá. Quando o assunto é cinema (e vida também) uma das coisas mais legais de Berlim são os kinos. Lembra de cinema de bairro? Agora pense em cinema de bairro que tem um jeito de bar do rock, brechó e café antigo, tudo ao mesmo tempo. Junte essas coisas maravilhosas e mais um sentimento de amor e você tem um kino. Existem centenas deles em Berlim. Em todos os bairros. E eles nem viraram igreja. Uma maravilha.