Colunistas - São Paulo São

São Paulo São Colunistas

O ritmo lento da narrativa casa perfeitamente com a tranquilidade de onde está a casa do patriarca. E ao contemplar os enquadramentos das belissimas paisagens, somos transportados para toda aquela calmaria do marulho das ondas... mas quem diria que tanto esplendor é preenchido com histórias tão tristes... 

Ah, o verão... Chegamos aqui em Portugal no dia 1 de janeiro. Ano novo, vida nova, literalmente. E temperatura igualmente diferente para quem vinha de uma escala prévia de duas semanas sob o sol escaldante de Natal, no Rio Grande do Norte. As primeiras conversas na terrinha acabaram girando em torno da temperatura. Na padaria, no táxi, nos bares, com os vizinhos. Sempre um bom começo de prosa era focar no frio e na diferença com o Brasil. As primeiras semanas passaram, com a promessa de que o calor logo viria e a gente pegaria temperaturas bem altas. A praia para nós está quase ao lado de casa, distante uma boa caminhada apenas. Mas passou o Carnaval, a Páscoa... e nada.

Por algumas horas, voltei no tempo. Sem conexão WiFi, nem sinal de TV, me senti no universo off-line, e por um intervalo de três horas resgatei aquela função do celular quando ele foi inventado, e o utilizei para chamar o serviço de atendimento ao cliente.

A insistência, nos últimos anos, na moda do hambúrguer “gourmet” e, agora, na pizza “gourmet”, dão o que pensar. Afinal, por que a ideia de se “comer bem” foi habitar o coração do sempre apontado como o “comer mal” popular? Pizza de padaria, hambúrguer do MacDonald.

"La Desserte" (The Dinner Table). Henri Matisse,1896/97. Coleção Privada."La Desserte" (The Dinner Table). Henri Matisse,1896/97. Coleção Privada.

O ser humano talvez já nem se lembre de que o vestir teve, um dia, um significado apenas funcional em sua vida: proteger o corpo das intempéries. Passado esse primeiro e distante momento, o vestir foi incorporando, ao longo dos séculos, outras significações – sociais, religiosas, ou mesmo ideológicas e políticas – até se tornar, como é hoje em dia, um ato carregado de códigos, rituais e cuidados.