Se você não estivesse aqui, onde é que você estaria? - São Paulo São


Há sempre muito o que equacionar entre os sonhos e a realidade. Sobretudo no início de um novo ano. Muitas promessas e desejos assumidos, quando colocadas sobre a mesa, parecem fora do alcance.

Muitas vezes nosso primeiro pensamento é: e agora, o que  é que eu vou fazer? Não é raro perdermos o sono.

As respostas nos escapam. Mesmo assim, insistimos e continuamos nossa toada. E, ano após ano amargamos a sensação de paralisia.

Mas, o que será que nos falta?

Porque esta situação permanece?

Vamos lá, quem de vocês saberia me dizer quando foi que parou para planejar vida; quem de vocês, em algum momento sentou à mesa com  caneta e papel e registrou seus planos e depois criou uma estratégia focada com um objetivo determinado? Quem?

Não entendeu?

Você não sabe como planejar?

Planejar é tarefa difícil, porém, permite colocar as ideias em perspectiva proporcionando o entendimento de qual seria a melhor forma para desenvolver um projeto.

Vamos supor que seu nome é João. E, você decidiu que este ano vai realizar o sonho de sua vida. Você vai abrir um café. Ótimo. Inclusive já viu até o ponto. Vai abrir no shopping. Perfeito.

Não precisa nem me dizer; você investigou sobre o ambiente econômico e social, sabe exatamente quem são seus potenciais clientes e quanto eles estão dispostos a pagar por um café. Provavelmente você também investigou qual será o custo financeiro; funcionários, equipamentos, água, energia, tecnologia, impostos etc. Aposto que você sabe inclusive,  qual é a estratégia desenvolvida pelos seus concorrentes e por conta disso já decidiu a sua. Fez até um cálculo para saber quantos cafés precisará vender por dia, por semana, por mês, por ano, para pagar suas despesas e ainda conseguir recuperar o seu investimento. E mais, vou te dizer, mais do que tudo isso, você também já determinou que vai viver muito melhor daqui pra frente, não é mesmo?

Mas, será que faltou alguma coisa nesse planejamento?

Já se perguntou qual a razão que te move para abrir um café?

Pesquisas de comportamento de consumo comprovam que hoje em dia o consumidor estaria orientado para comprar o “porquê”.

Acha estranho?

Pois é, dizem que daqui pra frente a tendência de consumo está focada nas razões por trás do produto. As pessoas não pagarão apenas pelo que você faz, mas também, pela intenção embutida nele.

O significado disso é que os valores podem ser determinantes para um sucesso comercial daqui pra frente. E, além disso você precisará determinar a sua missão para esclarecer onde quer chegar. E, se você inda acredita que missão e valores são apenas estratégias de marketing ou de negócios, eu posso te dizer que é muito mais do que isso: quando você expõe sua missão e valores publicamente, cria automaticamente um compromisso, incialmente com você mesmo e na sequência com as pessoas alinhadas a sua forma de pensar. O resultado disso? Você cria o DNA do seu produto, e estabelece uma relação de engajamento com seus clientes ou público.

Estar engajado em algo maior se tornará o tempero do seu negócio que precisa ainda ter qualidade, e por último mas, não menos importante, ser sincero e transparecer.

O que? Ah, você não se chama João e nem mesmo quer abrir um café?

Desculpe, mas então quando você estiver tentando equacionar todas as dificuldades do seu dia a dia, olhando pra você e se questionando porque não sai do lugar,  tente imaginar como seria se você pudesse mudar o quadro, e ao invés de perguntar e agora, perguntasse onde eu é que eu gostaria de estar.

***
Adi Leite é Life & Career Coaching certificado pela sociedade brasileira do coaching, fotógrafo e jornalista. Escreve quinzenalmente no São Paulo São.

 



-->