São Paulo mora no meu coração - São Paulo São

Fiquei uma semana em João Pessoa sem mergulhar nas águas verdejantes de suas praias, mas desfrutei de alguns sabores gastronômicos da capital da Paraíba, oferecidos pelos restaurantes Mangai, Seu Portuga e Dona Branca. Além disso, fui bem recebido por amigo de longa data e por gente bacana que conheci nesse breve refúgio.

As amizades são uma base sólida para viver nesse mundo em que as relações virtuais crescem com facilidade, mas nem sempre se constituem em vínculos verdadeiros.

Nesse sentido, voltar para São Paulo é muito bom. Aqui é minha casa, o meu lugar, a cidade com a qual me relaciono cotidianamente há mais de meio século e nutro relações de vida.

Metrópole que  em permanente transformação, neste ano não pude acompanhar o seu aniversário de 464 anos, nem fiquei sabendo das atrações que aconteceram em sua homenagem.

Como o dia 25 de Janeiro caiu numa quinta-feira, muitos, como eu, aproveitaram para viajar e desfrutar de um merecido descanso antes do Carnaval.

Mas soube que o Flamengo sagrou-se campeão da Copinha 2018 ao vencer o São Paulo por 1 x 0; que o Gilberto Gil fez show gratuito em parceria com o Bar Brahma e a Vai-Vai, escola que o escolheu para samba-enredo deste ano, levando o seu gingado para a esquina da Av. Ipiranga com a Av. São João, um dos cruzamentos mais cantados por diversos intérpretes da nossa MPB.

No dia 29, ao chegar no aeroporto de Congonhas, escolhi a dupla ônibus-metrô, que me garantiu um retorno rápido para casa. O céu anunciava que a chuva chegaria em breve. Dito e feito: ela despencou fortemente, e por alguns minutos escapei de me molhar.

Sabemos que São Pedro nessa época do ano nos direciona as suas torneiras abertas com mais intensidade e, um pouco depois, ao sair para uma reunião, teve repetição de chuva, a qual não durou mais de 15 minutos.

Entendi essa dupla tempestade como a recepção de boas-vindas ao meu retorno. Acolhi e agradeci e, com atraso, ofereço agora os meus parabéns a São Paulo, a cidade que mora no meu coração. Por aqui, fico. Até a próxima.

***
Leno F. Silva é diretor da LENOorb - Negócios para um mundo em transformação e conselheiro do Museu Afro Brasil. Escreve às terças-feiras no São Paulo São.