“Viva os Severinos!“ Heróis solitários e anônimos cuidam do patrimônio dos paulistanos - São Paulo São

"Há 5 anos fotografo com compromisso cadeiras, banquinhos e banquetas estacionados nas calçadas dos bairros de classe média-alta da cidade de São Paulo. 


São mais de 200 exemplares arquivados nesses anos, mobiliário geralmente furado, remendado, muitas peças com pinta que serviu a família por décadas, que esteve na sala de jantar, na beira da piscina, no escritório do doutor, no quarto da empregada…

E por fim, em vez do lixo, está lá servindo para mal acomodar o guarda da rua faça frio, faça calor. De certa forma este ensaio é uma analogia à nossa sociedade casagrande-senzala e egoísta, um retrato da burguesia paulistana….   

Uma salva de palmas para o Severino, o seu Manoel, o Cosme, o Seu Zé, o Nonato, o Piaui, proprietários de lombares de aço, heróis solitários que estão sempre a postos e sujeitos a esculacho de bandidos, mas protegendo o patrimônio do patrão muitas vezes avaliado em muitos milhões de reais," escreve Fernando Costa Netto, fotógrafo e sócio-proprietário da DOC Galeria para a introdução deste ensaio exclusivo.

Confira as imagens e veja como ele tem razão ao homenagear os “Severinos“!

Perdizes.Perdizes.

 

Butantã.Butantã.


Itaim.Itaim. 

Jardim Paulistano.Jardim Paulistano.


Moema.Moema.

 
Pacaembu.Pacaembu.
 
Pinheiros.Pinheiros.   
Alto de Pinheiros.Alto de Pinheiros.


Pompéia.Pompéia.
Higienópolis. Higienópolis.

 Sumaré.Sumaré.
 
Vila Madalena.Vila Madalena.

***
Ensaio de Fernando Costa Netto exclusivo para o São Paulo São.