Outros - São Paulo São

São Paulo São Outros

Atualmente existe um debate acalorado sobre o verdadeiro significado de uma cidade inteligente ou smart city. Enquanto municipalidades buscam melhorar seus serviços, a academia discute as consequências de uma cidade mais informatizada e empresas estabelecem centros de pesquisa para desenvolvimento de soluções para problemas urbanos. Estaria a cidade inteligente mais dependente de sistemas tecnológicos inovadores ou de processos participativos eficientes?

O inverno começa com elevação da temperatura em São Paulo. Foto: Yahoo News.O inverno começa com elevação da temperatura em São Paulo. Foto: Yahoo News.

O inverno começou com as características bem típicas da estação: tempo ensolarado e seco em todo o estado de São Paulo. Mas, chama a atenção a elevação nas temperaturas neste início de estação, que estão bem acima do normal para esta época do ano.

Santa Fé do Sul e Uchoa, ambas no Estado de São Paulo, lideram o ranking nacional que avalia o saneamento básico em cidades brasileiras com mais de 100 mil habitantes. O município de Novo Repartimento (PA) teve o pior desempenho.

Entre as capitais, Curitiba (PR) teve o índice mais alto e Porto Velho (RR), o mais baixo. O resultado foi divulgado, na semana passada, pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), que avaliou 1.894 municípios.

Vista da Pedra Grande. Foto: Karine Kakazu.Vista da Pedra Grande. Foto: Karine Kakazu.

A Serra da Cantareira é um dos últimos refúgios verdes da cidade de São Paulo. Uma ótima pedida para quem deseja fugir da rotina de trânsito, poluição e barulho, situações cotidianas da grande metrópole. Considerada a maior floresta urbana do mundo, oferece quatro núcleos abertos à visitação aos finais de semana: Engordador, Pedra Grande, Águas Claras e Cabuçu.

As projeções para o mundo urbano foram atualizadas. Em maio, a Organização das Nações Unidas divulgou uma nova edição do World Urbanization Prospects, relatório que lança um olhar aprofundado para os centros urbanos do planeta, com a seguinte conclusão: 68% da população mundial viverá em cidades até 2050. A estimativa é 2% maior em relação ao último estudo, publicado em 2014, da série sob responsabilidade do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas (Desa).