Recomendados - São Paulo São

São Paulo São Recomenda

Em que medida a arquitetura pode ser entendida como moldura de uma sociedade? Quais os papéis desempenhados pela disciplina num contexto de urbanização? Como ela se curva a eventuais pressões políticas, ideológicas ou mesmo sociais? Essas são algumas das indagações que cercam e estruturam a obra de Carlos Garaicoa, artista multidisciplinar cubano que, entre 7 de fevereiro e 6 de maio, tem seu trabalho celebrado pelo Espaço Cultural Porto Seguro.

O Santander Brasil inaugura, no próximo dia 25, o Farol Santander, um centro de empreendedorismo, cultura e lazer. A mais nova atração da cidade de São Paulo, localizada em um emblemático ponto turístico da região central, o antigo edifício Altino Arantes, promoverá discussões de ideias, será um sinalizador de caminhos, um polo para atrair as pessoas ao centro da cidade.

“Há 70 anos o edifício é um ponto de referência de São Paulo. O Farol Santander já nasce, portanto, como um símbolo de uma cidade contemporânea, que aponta para o futuro e preserva as referências do passado”, afirma Marcos Madureira, vice-presidente executivo de Comunicação, Marketing, Relações Institucionais e Sustentabilidade do Santander Brasil. “De um farol, podemos enxergar longas distâncias e trazer para perto o que há de novo no mundo”.

A Vista 360o de Vik Muniz fica em uma sala especial, no 4o andar do Farol Santander. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.A Vista 360o de Vik Muniz fica em uma sala especial, no 4o andar do Farol Santander. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.Vick Muniz resolveu montar painéis com a imagem da vista de todo o entorno do prédio, utilizando material reciclado da reforma. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.Vick Muniz resolveu montar painéis com a imagem da vista de todo o entorno do prédio, utilizando material reciclado da reforma. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.As atrações do Farol Santander ocupam 18 andares dos 35 do edifício de 162 metros, que por um longo período foi a maior estrutura de concreto armado da América do Sul. As visitas começarão pelo hall do andar térreo, um dos tombados pelo Condephaat (assim como o 2o, 3o, 5o, 6o e mirante), e seguirão até o mirante do 26o andar, onde foi instalado um café com inspiração art déco.

Após eleger os temas que seriam distribuídos pelos andares, o Santander buscou a expertise de um seleto grupo de curadores para criar a programação. 

Entre eles estão Facundo Guerra e Tatiana Wlasek (Storymakers), a cargo das exposições de Arte Imersiva. Guga Ketzer (Suno United Creators), responsável pelo Loft do 25o por Triptyque, pista de Skate por Bob Burnquist, Oficina de Sucata por Marcelo Stefanovicz e uma Vista 360 por Vik Muniz. Ana Carla Fonseca e Alejandro Castañé (Garimpo de Soluções), idealizadores da Arena de Economia Criativa, Baixo Ribeiro (Choque Cultural) desenvolveu intervenção artística na Arena e na pista de skate.
‘Diurna‘, de Laura Vinci, projeto inédito especialmente concebido para o Farol Santander, traz uma experiência íntima de paisagem e natureza. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.‘Diurna‘, de Laura Vinci, projeto inédito especialmente concebido para o Farol Santander, traz uma experiência íntima de paisagem e natureza. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.O coletivo russo TUNDRA, pela primeira vez no Brasil, apresenta em sua obra inédita ‘O Dia que Saímos do Campo‘ (The Day We Left Field). Foto: Renato Suzuki / Divulgação.O coletivo russo TUNDRA, pela primeira vez no Brasil, apresenta em sua obra inédita ‘O Dia que Saímos do Campo‘ (The Day We Left Field). Foto: Renato Suzuki / Divulgação.Nos andares de memória o Farol contou com a consultoria do professor Paulo César Garcez e projeto expográfico do Bruno Ogura (Case Lúdico). Por último, foi montado um café e mirante inspirados na arquitetura art déco do prédio que será operado pelo Suplicy Cafés.

A partir de vídeo, e linhas do tempo, o público poderá entender o processo de construção do edifício, sua relação com a história da cidade e como se tornou um ícone para os paulistanos. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.A partir de vídeo, e linhas do tempo, o público poderá entender o processo de construção do edifício, sua relação com a história da cidade e como se tornou um ícone para os paulistanos. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.Estarão expostos objetos como calculadoras, cadernetas, fichas de atendimento e documentos gerais, e sonorização ambiente. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.Estarão expostos objetos como calculadoras, cadernetas, fichas de atendimento e documentos gerais, e sonorização ambiente. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.A missão foi trazer propostas inovadoras, que lancem um novo olhar para São Paulo. O propósito é manter esta inquietação ativa na programação que sempre terá novidades.

Nessa cidade em constante mudança, o Farol Santander foi concebido para ser um elemento de conexão entre os cidadãos, sua capacidade, identidade cultural e relação social afetiva, e com isso contribuir para a revitalização do Centro histórico da cidade.

A Arena de encontros, no 8o andar, vai receber aos sábados, especialistas em desenvolvimento de negócios e cidades. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.A Arena de encontros, no 8o andar, vai receber aos sábados, especialistas em desenvolvimento de negócios e cidades. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.A venda de ingressos terá início em 20 de janeiro, pelo site https://farolsantander.com.br, e o prédio estará aberto para a visitação do público em geral a partir do dia 26. Os valores podem variar de acordo com o combo desejado pelo público para visitação. Serão diversas opções de formatos para o visitante decidir quais atrações quer acompanhar e quais andares quer conhecer. O horário de funcionamento é de terça a domingo, das 9h às 20h. 

Um loft exclusivo de 335 metros quadrados, no 25o andar, poderá ser alugado para hospedar pessoas ou realizar eventos. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.Um loft exclusivo de 335 metros quadrados, no 25o andar, poderá ser alugado para hospedar pessoas ou realizar eventos. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.

Os visitantes poderão acessar o mirante para apreciar toda a cidade e ainda desfrutar um café. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.Os visitantes poderão acessar o mirante para apreciar toda a cidade e ainda desfrutar um café. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.História do Farol

O emblemático Edifício, inaugurado há 70 anos, é um ícone da cidade de São Paulo e um símbolo da destacada posição econômica e política do estado no contexto nacional da época. Na ocasião da sua inauguração, a então sede do Banco do Estado de São Paulo era a mais alta construção do mundo em concreto armado e o maior edifício da América do Sul, ocupando este posto até 1965.

Foto: Renato Suzuki / Divulgação.Foto: Renato Suzuki / Divulgação. As vistas de seu mirante tomadas ao longo dos anos revelam, inclusive, as transformações urbanísticas da cidade.

Desde sua inauguração, tornou-se o ponto culminante do centro da capital, o que lhe garantiu ampla visibilidade e a constante permanência de sua silhueta na memória de várias gerações de paulistanos. O Edifício Altino Arantes é um marco no processo de verticalização da paisagem urbana, processo do qual o Brasil participou pioneiramente.

Em 2014, sua importância como patrimônio foi reconhecida através do tombamento pelo Condephaat – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo-, que se aplica a determinadas áreas do edifício, como o saguão, o caixa-forte, o mirante, e alguns dos seus andares, onde originalmente situavam-se o salão nobre e as dependências da presidência e diretorias. 

Parte de seus interiores e seu rico acervo de objetos históricos foram preservados pelo Condephaat no ato de tombamento. A partir de 2000, o Banco Santander Brasil assumiu a preservação desse acervo. Além disso, o edifício é um ícone da cidade e sua memória construtiva e o ponto mais alto da pirâmide de prédios visíveis das zonas Leste, Oeste e Norte.

Com o Farol Santander, o prédio terá, agora, sua importância renovada. Acompanhar sua história e seu acervo permite que nos aproximemos da trajetória de um dos ícones fundamentais da paisagem paulistana.

Público “mergulha no tempo” ao visitar o Farol Santander

A partir da consultoria curatorial do prof. Paulo Garcez, especialista em mobiliário histórico e patrimônio integrado, o 5o andar permite um mergulho literal à época. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.A partir da consultoria curatorial do prof. Paulo Garcez, especialista em mobiliário histórico e patrimônio integrado, o 5o andar permite um mergulho literal à época. Foto: Renato Suzuki / Divulgação.

Quem for visitar o Farol Santander, no antigo Edifício Altino Arantes, vai vivenciar um “mergulho no tempo”. O conceito criativo “do centro para o tempo” foi desenvolvido pela FutureBrand São Paulo. Junto a outros parceiros, a agência de branding desenhou a jornada de visitação como uma experiência imersiva na história do prédio em todos os andares: do hall de entrada ao café do mirante, inspirado no estilo arquitetônico da época, o Art Déco. A FutureBrand São Paulo também é responsável pela criação da identidade visual e do wayfinding do Farol Santander. 

Serviço – Farol Santander

Onde: Rua João Brícola, 24 – São Paulo, Centro (estação São Bento – linha 1, azul do metrô). Entrada acessível: Rua João Brícola, 32.
Site: https://farolsantander.com.br
Abertura ao público: 26 de janeiro (sexta-feira) às 9h. 
Funcionamento: terça a domingo Horários: 09h às 20h.
Ingressos: site e bilheteria física no local Horário Bilheteria: 9 às 19h. 
Recepcionistas: 1 por andar (mínimo).
Capacidade Elevadores: 15 pessoas por elevador.
Comunicação visual: Bilíngue - português e inglês.
Capacidade por andar: 60 pessoas.
Brigada de incêndio e Seguranças: Efetivo total de 60 pessoas.
Banheiros: 2 por andar – 1 masculino e 1 feminino.
Acessibilidade: Banheiros e elevadores adaptados, rampas de acesso, áudio guias e comunicação em braile.
Bicicletário.
Saídas de emergência. 

Com informações: Banco Santander e Marra Comunicação.

EstereoEnsaios São Paulo é um filme-ensaio que revive o espírito dos filmes Sinfonia de Cidades da era silenciosa, no contexto estereográfico digital do século XXI. O filme foi composto como sinfonia musical com o intuito de dialogar com o filme São Paulo, Sinfonia da Metrópole, realizado em 1929.

Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.Em EstereoEnsaios, a cidade de São Paulo é revisitada dos pontos de vista macro e micro em um ensaio poético experimental em 3D, que é intercalado com cenas em preto e branco do filme antigo. Atravessando a imensidão de São Paulo, onde as disparidades socioeconômicas e a falta de planejamento urbano geraram uma grande diversidade de edifícios, o filme retrata a cidade do ponto mais alto, o Terraço Itália e também se conecta com o micro espaço de pedestres e vendedores de rua, misturados com a multidão de carros e motocicletas da cidade.

Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.

Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.O filme traça a arquitetura modernista de Niemeyer, com suas curvas e movimentos, mostrando a convivência das pessoas em um ambiente futurista e utópico do passado recente. O filme, antes de tudo, reorganiza e ressignifica a espacialidade visual. Com um design de som autônomo, EstereoEnsaios São Paulo pretende ser um registro poético de uma cidade de nossa época.

Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.

Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.EstereoEnsaios São Paulo foi filmado com tecnologia de câmeras 4K 3D (super-alta- definição e estereoscópica). O filme explora a linguagem do gigantismo da cidade por coerência com a tecnologia 4k que reflete mais de oito milhões de pixels por frame. O filme foi captado com apenas um par de câmeras suportadas e posicionadas em um rig para produzir a estereoscopia.

Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.

Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.

O filme explora o "espaço", usando estereografia não como um efeito, mas como uma linguagem. O filme é inspirado em Walter Benjamin e seus escritos sobre a cidade moderna do início do século XX, em que ele descreve edifícios e objetos que se destacam no olho do observador, estereoscopicamente, como se fossem “gavetas abrindo".

Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.

Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.Foto: EstereoEnsaios / Divulgação.

Créditos

Direção: Jane de Almeida.
Roteiro: Alfredo Suppia e Jane de Almeida.
Fotografia: Patricia Gimenez.
Trilha sonora: LivioTragtenberg.
Estereógrafo: José da Silva Neto (Chiquinho).
Montagem: Luca Alverdi.
Website do filme – com todos os créditos e patrocínios: www.estereoensaios.com.br
Projeto realizado com o apoio do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Estado da Cultura – Programa de Ação Cultural – 2015.
Patrocinador: Eletropaulo.

Serviço

Evento:EstereoEnsaios São PauloSão Paulo 3D + Excerto De São Paulo: Sinfonia da Metrópole Com Orquestra ao Vivo

Cine Sesc da Rua Augusta, em São Paulo, exibirá o curta-metragem EstereoEnsaiosSão Paulo 3D com execução da trilha por orquestra de Músicos de Rua ao vivo sob direção do criador da trilha original Lívio Tragtenberg, seguido de excerto de São Paulo, Sinfonia da Metrópole (Dir: Rodolfo Lustig e Adalberto Kemeny, Brasil, 1929, 40 min).

Dia 18/01, quinta-feira, às 19h. Livre. Grátis. Ingressos 1h30 para credenciados plenos do Sesc e 1h antes para outros públicos 

Exibições: EstereoEnsaios São Paulo 3D + São Paulo: Sinfonia Da Metrópole.

De 19/01 a 24/01, às 19h. Segunda, terça e quinta: R$17. R$8,5 (SSS). R$5 (TTT); Quartas: R$12. R$6 (SSS). R$3,5 (TTT); Sábado e domingo: R$20 R$10 (SSS). R$6 (TTT). Classificação: Livre.

***
Com informações EstereoEnsaios