Bate-Papo, livro e exposição - '100 anos de fotografia e moda no Brasil' - São Paulo São

Composta por 120 fotografias, a exposição apresenta um panorama dos hábitos e costumes dos brasileiros nos últimos 100 anos, com ênfase na moda feminina cotidiana.

Durante amplo período de pesquisa iconográfica, feita por Goya Cruz, foram resgatadas fotografias – oriundas de álbuns de família, instituições, museus e acervos particulares – que traçam uma análise social e histórica da sociedade brasileira, ao longo dos últimos 100 anos. Além de fotógrafos anônimos, que registraram o dia a dia de suas famílias, a pesquisa inclui imagens de nomes consagrados, como Augusto Malta, Jean Manzon e Marcio Scavone. Com este material, e partindo do pressuposto de que “Tudo o que acontece na sociedade se reflete na forma de vestir”, surgiu o projeto Arquivo Urbano, composto por um livro (lançado em 2013, pela Luste Editores), e pela presente exposição. O livro – indicado do Prêmio Jabuti 2014 na categoria Arte e Fotografia -, traz as imagens acompanhadas por um texto de autoria de Mario Mendes, e relatam comportamentos difundidos por fontes como cinema, rádio, jornais, revistas e televisão, desvendando o país antes e depois do advento da indústria da moda.

Agora, as fotografias mais interessantes e emblemáticas ocupam o espaço Senac Lapa Faustolo em SP com ampliações e reproduções - as imagens que contam a história até os anos 2000 são impressas em tecido e exibidas em móbiles espalhados pelo museu; as mais recentes são mostradas em vídeo representando um novo tempo, a tecnologia e a velocidade que a comunicação atinge o público.

Ocorridas do início do século XX para o XXI, grandes transformações na sociedade geraram diversas mudanças nos hábitos e costumes da população. “A moda, o lazer, a alimentação: tudo mudou de forma extraordinária”, comenta Jussara Romão. A exposição Arquivo Urbano: 100 anos de Fotografia e Moda no Brasil apresenta o cotidiano dos brasileiros nos últimos 100 anos, enfatizando os aspectos da moda com imagens que provêm de acervos de diversas regiões, o que possibilita uma análise não restrita aos tradicionais centros políticos e financeiros do país.

Com isso, é contada uma história do Brasil. Não a história oficial de políticos e homens importantes para o país, mas a vida cotidiana dos brasileiros e sua evolução - um tema de interesse para os mais diversos públicos. A exposição representa, desta forma, um importante registro não apenas para historiadores e estudantes, mas também para o público em geral, uma vez que traz imagens curiosas, que contam a trajetória do país de modo pouco usual.

O Livro: Arquivo Urbano.

A Luste Editores lança Arquivo Urbano, da editora de moda, artista plástica e designer de jóias Jussara Romão, com texto escrito por Mário Mendes, curadoria fotográfica de Goya Cruz. e direção de arte de Guilherme Rex. O livro é um registro das mudanças no modo de vestir dos brasileiros, através de fotografias que contam a história do século XX no país.

Ao realizar algumas pesquisas, Jussara chegou à conclusão de que os acontecimentos históricos, econômicos e artísticos estão fortemente ligados à criação da moda, como objeto de desejo aos consumidores. “Tudo o que acontece na sociedade se reflete na forma de vestir.”, comenta a autora. A partir deste tema, veio a ideia de resgatar fotos de pessoas comuns em instituições, álbuns de família e acervos particulares, acompanhadas por um texto que resumisse a História do Brasil em cada década.

Tomando como ponto de partida o modo de vestir das pessoas, mostrado por meio de imagens, a autora traça uma análise social e histórica da sociedade brasileira, revelando fatos e acontecimentos que influenciaram fortemente o país.  Ao longo de 11 capítulos, Jussara relata comportamentos difundidos por fontes como cinema, rádio, jornais, revistas e televisão, desvendando o país antes e depois do advento da indústria da moda, sem estabelecer uma cronologia rígida.

Com o processo de criação do livro, Jussara destaca a noção de que a entrega de nossas fotos de família às instituições que preservam acervos fotográficos permite que a história de uma cidade, de um Estado, de um país seja contada. “Terá valido a pena ter registrado cada momento. Por isso minha gratidão a todas as famílias e pessoas que me ajudaram a contar como através da moda é possível conhecer e entender uma época.”

Serviço

Bate-papo:
Data 30/06  das 19h30 às 20h30. 
Capacidade - 100 pessoas que farão inscrições através do site.  
www.sp.senac.br/lapafaustolo

Exposição:
Data 30/06  à partir das 21h30.

Local: Senac Lapa Faustolo - Rua Faustolo, 1347.
A exposição ficará aberta ao público até o dia 24/07, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 21h30, e aos sábados, das 8h às 14h30.