Nos 130 anos da Lei Áurea, MASP anuncia programação 2018 com foco em narrativas afro-atlânticas - São Paulo São

“O menino“ (1917) de Arthur Timótheo da Costa. Acervo / MASP.“O menino“ (1917) de Arthur Timótheo da Costa. Acervo / MASP.O MASP anuncia sua programação de exposições para 2018. Narrativas afro-atlânticas irão permear todas as mostras do ano, que contemplam nomes como Aleijadinho, Sônia Gomes, Melwin Edwards, Maria Auxiliadora da Silva, Rubem Valentim e Pedro Figari.

Nove mostras já estão confirmadas, entre coletivas e individuais, todas idealizadas e produzidas pela equipe curatorial e demais núcleos do Museu.

No ano que marca os 130 anos da assinatura da Lei Áurea, uma das últimas estabelecidas pelo Império Brasileiro, que aboliu oficialmente a escravidão, o foco temático a permear toda a programação do MASP trata das histórias e narrativas afro-atlânticas. Essas se referem não só ao processo de escravização das populações africanas em territórios americanos, caribenhos e europeus, mas também às trocas bilaterais – culturais, simbólicas, artísticas, etc. – entre esses povos atlânticos, desde o século 16.

O Brasil é um território chave nessas histórias, pois recebeu cerca de 40% dos africanos que deixaram Rubem Valentim, óleo sobre tela na “Composição 12“. Ano de 1962. Acervo / MASP.Rubem Valentim, óleo sobre tela na “Composição 12“. Ano de 1962. Acervo / MASP.seu continente ao longo de mais de 300 anos para serem escravizados desse lado do Atlântico (número correspondente ao dobro dos portugueses que se estabeleceram no país para colonizá-lo). De maneira bastante perversa, o Brasil foi também o último país a abolir oficialmente a escravidão, em 1888.

Assim, uma grande mostra coletiva denominada Histórias afro-atlânticas, co-organizada com o Instituto Tomie Ohtake, está prevista para junho. Ao longo do ano, o programa inclui também exposições monográficas de artistas negros ou que trabalham com representações de temas afro-atlânticos de diferentes origens e gerações.

No primeiro semestre, em março, estão programadas as mostras de Aleijadinho e Maria Auxiliadora da Silva; e em abril, de Emanoel Araújo. No segundo semestre, em agosto, acontecem as individuais de Melvin Edwards e Rubem Valentim; em novembro, Sonia Gomes e Pedro Figari; e em dezembro, Lucia Laguna.

Basquiat cancelado

A respeito da exposição Basquiat afro-atlântico, prevista para ocorrer de março a julho de 2018, o MASP lamenta em divulgar que optou por seu cancelamento, devido ao anúncio de uma monográfica do mesmo artista, com abertura em janeiro, por outra instituição cultural de São Paulo. Apesar de Basquiat afro-atlântico ter sido concebida em 2016 e já contar com a confirmação de importantes empréstimos de grandes instituições internacionais, acreditamos que a realização de duas exposições do mesmo artista, que demandam alto investimento de recursos, no mesmo ano, seria um desserviço à população de São Paulo e um mal-uso de recursos incentivados.

O ciclo em torno das Histórias afro-atlânticas está inserido em um projeto mais amplo de exposições, palestras, oficinas, seminários e atividades do MASP, que atenta para histórias plurais, que vão além das narrativas tradicionais, tais como Histórias da loucura e Histórias feministas (iniciadas em 2015), Histórias da infância (em 2016) e Histórias da sexualidade (em 2017).

Serviço 

Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - MASP.“O Velório da Noiva“ (1974). Pintura de Maria Auxiliadora da Silva. Acervo / MASP.“O Velório da Noiva“ (1974). Pintura de Maria Auxiliadora da Silva. Acervo / MASP.
Endereço: Avenida Paulista, 1578, São Paulo.
Telefone: (11) 3149-5959.
Horários: terça a domingo: das 10h às 18h (bilheteria aberta até as 17h30); quinta-feira: das 10h às 20h (bilheteria até 19h30).
Ingressos: R$30,00 (entrada); R$15,00 (meia-entrada).
O MASP tem entrada gratuita às terças-feiras, durante o dia todo.
O ingresso dá direito a visitar todas as exposições em cartaz no dia da visita.
Estudantes, professores e maiores de 60 anos pagam R$15,00 (meia-entrada).
Menores de 10 anos de idade não pagam ingresso.

***
Com informações do MASP.