Festival Varilux de Cinema está de volta com a nova safra da cinematografia francesa - São Paulo São

O Festival Varilux de Cinema Francês está de volta! O público terá a oportunidade de assistir aos mais novos trabalhos de cineastas, astros e estrelas já consagrados e também de premiados jovens talentos que imprimem diversidade e originalidade ao cinema francês. Serão 21 longas-metragens entre eles o clássico Z, de Costa-Gavras. As sessões acontecem entre os dias 7 e 20 de junho em 63 cidades brasileiras.

O suspense erótico “O Amante Duplo“ , traz Marine Vacth e Jérémie Rénier nos papéis principais, casal que serviu de inspiração para o cartaz oficial do Festival Varilux 2018. Foto: Divulgação.O suspense erótico “O Amante Duplo“ , traz Marine Vacth e Jérémie Rénier nos papéis principais, casal que serviu de inspiração para o cartaz oficial do Festival Varilux 2018. Foto: Divulgação.Na edição 2018, a mostra trará um badalado longa em destaque: O Amante Duplo, último longa de François Ozon. Concorrente à Palma de Ouro 2017, o suspense erótico traz Marine Vacthe e Jérémie Rénier nos papéis principais, casal que serviu de inspiração para o cartaz oficial do Festival Varilux 2018.

Rénier, que virá ao Brasil passando por cidades como Rio de Janeiro e São Paulo por ocasião do Varilux, também trará uma de suas obras como diretor: o drama Carnívoras, realizado em conjunto com seu irmão, o cineasta Yanick Rénier. Quem também virá ao país é a atriz Zita Hanrot, vencedora do César de Melhor Atriz Revelação em 2016, por Fátima.

Destaques da programação

O ator Thomas Gioria em cena de Custódia, de Xavier Legrand: destaque na programação. Foto: Divulgação / Festival Varilux de Cinema Francês.O ator Thomas Gioria em cena de Custódia, de Xavier Legrand: destaque na programação. Foto: Divulgação / Festival Varilux de Cinema Francês.Entre as produções, destacam-se três filmes da nova geração francesa de cineastas, designada várias vezes pela crítica de “nouvelle guarde”: “Custódia” (Jusqu’à la garde), de Xavier Legrand, que acompanha a disputa entre um casal pela guarda do filho. O longa foi vencedor do Prêmio de Melhor Direção e Melhor Primeiro Filme no Festival de Veneza. “A Excêntrica Família de Gaspard” (Gaspard va au marriage), de Antony Cordier, comédia maluca e melancólica sobre o adeus à infância, desejo e tempo. “Diane” (Diane a les épaules), de Fabien Gorgeart, em que uma mulher concorda em gerar o filho de um casal de amigos homossexuais, abordando com humor e ternura a temática dos novos modelos familiares.

Cena de “A Excêntrica Família de Gaspard“. Foto: Divulgação / Festival Varilux de Cinema Francês.Cena de “A Excêntrica Família de Gaspard“. Foto: Divulgação / Festival Varilux de Cinema Francês.

Também obras de jovens cineastas, dois filmes de gênero pouco comuns na França tem como cenário uma Paris pós-cataclismo. Ao mesmo tempo uma sátira social e um filme de zumbis, a longa de Dominique Rocher “A Noite Devorou o Mundo” (La nuit a dévoré le monde) mostra a cidade invadida pelas criaturas, com um único ser humano tentando sobreviver. Na mesma veia, “O Último Suspiro” (Dans la brume), do quebequense Daniel Roby, mostra uma família tentando se salvar após uma contaminação química, com Romain Duris no papel principal.

O Festival

Jean Dujardin e Mélanie Laurent em O Retorno do Herói, de Laurent Tirard. Foto: Divulgação  Festival Varilux de Cinema Francês.Jean Dujardin e Mélanie Laurent em O Retorno do Herói, de Laurent Tirard. Foto: Divulgação Festival Varilux de Cinema Francês.

O evento, que no ano passado conquistou o ranking de maior festival de cinema francês do mundo ultrapassando o da Austrália, Alliance Française French Film Festival, levou 180 mil pessoas aos cinemas apontando um crescimento de 15% em relação ao ano anterior.

"Z", de Costa Gavras, o clássico do festival em 2018. Imagem / Reprodução."Z", de Costa Gavras, o clássico do festival em 2018. Imagem / Reprodução.

Pela primeira vez, o Festival, em parceria com a UnifranceFilms, apresentará uma seleção de sete curtas-metragens franceses, demonstrando dessa forma a diversidade e a criatividade da narrativa audiovisual da França. O Varilux promoverá também, pela segunda vez, uma Mostra de Realidade Virtual com curadoria do cineasta e especialista francês Fouazi Louahem, que também ministrará uma e Masterclass de Realidade Virtual.

Charlote Gainsbourg em cena de “La promesse de l´aube“, adaptação do livro de Romain Gary. Foto: Divulgação / Festival Varilux de Cinema Francês.Charlote Gainsbourg em cena de “La promesse de l´aube“, adaptação do livro de Romain Gary. Foto: Divulgação / Festival Varilux de Cinema Francês.

Além da exibição dos filmes, as atividades paralelas contemplam debates com os integrantes da delegação, ações e sessões educativas, laboratório franco-brasileiro de roteiros sob a coordenação de François Sauvagnargues, especialista de ficção e diretor geral do FIPA (Festival Internacional de Programação Audiovisual) – que está com inscrições abertas – e também um encontro entre profissionais franceses e brasileiros do audiovisual.

Uma novidade do Festival Varilux é que neste ano, por meio de uma parceria com o Sesc Nacional, 15 longas da programação serão exibidos em 29 unidades culturais do Sesc, com entrada gratuita, entre junho e julho.

Serviço

Festival Varilux de Cinema Francês 2018
Datas: 7 a 20 de junho em cinemas de 63 cidades brasileiras (o preço dos ingressos são os praticados nos cinemas).
Entre junho e julho: exibições gratuitas em 29 unidades do Sesc Nacional.
Mais informações e a programação estão disponíveis no site oficial.

***
Da Redação com informações do Festival Varilux.