Em futuro próximo Dublin vai banir carros de seu Centro - São Paulo São

User Rating: 0 / 5

Na semana passada, o conselho da cidade de Dublin, na Irlanda, revelou um plano para banir os carros dos pontos principais do centro da cidade, muito congestionada em 2017 .

Dublin pode se tornar um das capitais mais amigas dos pedestres em toda a Europa. Na semana passada, a cidade lançou um plano de € 150 milhões para banir os carros dos principais pontos do centro da cidade a partir de 2017.

Se o plano passar pela consulta pública em julho, os principais centros serão 'hubs' de conexão enquanto que, as ruas principais, vão permitir apenas transporte público e entregas. É uma reviravolta radical para uma cidade que tem reputação de ter um trânsito terrível e foi considerada a décima mais congestionada do mundo no ano passado.

De acordo com dados divulgados pelo conselho de Dublin, o centro da cidade é um lugar que enfrenta 192 mil viagens todos os dias úteis, sendo que 33% são carros para chegada e saída. As ruas antigas, não foram projetadas tendo carros em mente, o que faz com que no fluxo diário as ruas fiquem obstruídas, poluídas e úmidas.

Se nada for feito, a situação vai piorar ainda mais. A esperada recuperação econômica da Irlanda vai concentrar ainda mais as atividades no Centro de Dublin, e o Conselho da cidade prevê 42 mil viagens adicionais diárias em 2023.

Se a mesma proporção de passageiros chegar de carro como hoje, isso significaria quase 14 mil viagens de carro extras diariamente, um número enorme para uma cidade que tem pouco mais de 500.000 habitantes em seus limites.

Por conta do nível de congestionamento, a reformulação para livrar o centro de Dublin é absolutamente necessária. Seu denso e congestionado nó das ruas históricas poderia ser maravilhoso se não fosse tão atormentado pelo tráfego. Agora, alguns dos mais belos recantos da cidade poderão ganhar a sensação de mais espaço e facilidade de que necessitam para florescer.

Além do plano para se livrar do carros, a cidade já está investindo € 368.000.000 em uma grande extensão de sua rede de metrô rápido, estendendo-o para o nordeste, em uma linha que vai começar a operar em 2017. O plano define o pedestre como foco principal.

A meta é ousada neste plano para se livrar dos carros: reduzir a proporção de viagens diárias de 33 por cento para 20 em apenas dois anos.

Mas para onde irão todos esses motoristas? Uma proporção provavelmente vai começar a usar a extensão do metrô rápido, enquanto que Dublin também planeja aumentar a frequência e a capacidade dos serviços de ônibus e trem. A nova rede de ciclovias segregadas de forma adequanda, de acordo com o Conselho Dublin será criada em breve, enquanto algumas ruas que são de mão única para carros serão feitas de duas vias para bicicletas.

Há também a proposta da criação do Bus Rapid Transit e a construção de novas pontes na zona das docas da cidade para aproveitar o rio que cruza o centro. Mas isso tudo, são ainda mais recomendações do que propostas.

Os planos podem parecer ousados, mas eles são realmente, parte de uma onda pró-pedestre em toda a Europa que tem adotado planos radicais similares para os centros de Paris, Bruxelas e Madrid. Em outras palavras este plano, pode ser visto como uma coisa normal.

Em 50 anos, os pedestres poderiam se encontrar caminhando por um centro de Dublin mais limpo e mais verde, rindo de si mesmos, com a ideia de que os carros nunca foram autorizados a incomodá-los.

Fonte: CityLab