No Acre, a Tribo Ashaninka e a Fundação House of Indians estão à frente do 1º ecomercado indígena - São Paulo São

User Rating: 0 / 5

Desde o último dia 31 de março, em Marechal Thaumaturgo, no coração da Floresta Amazônica, detritos plásticos e latas de alumínio poderão ser trocados por alimentos cultivados localmente. O primeiro ecomercado indígena do Brasil foi inaugurado, por meio de uma parceria entre a Fundação House of Indians, instituição holandesa com sede em Bruxelas (Bélgica), e a Tribo Ashaninka do Rio Amônia, no Vale do Juruá.

O projeto, que nasceu em 2014, é uma resposta ao excesso de detritos na região. O princípio é simples: permitir aos clientes de pagar a suas compras com plástico e alumínio. O ecomercado oferecerá alimentos e artesanato originário da cultura local, reforçando a economia indígena, favorecendo uma agricultura ecologicamente durável e garantindo às comunidades os meios de permanecerem proprietários de suas terras e simultaneamente protegendo a floresta.

Para Benki Pyãko, líder ashaninka, a iniciativa tem como objetivo desenvolver uma abertura de consciência sobre o valor ecológico e econômico da reciclagem. "Hoje, as comunidades indígenas das florestas tropicais tornam-se atores essenciais na proteção da Amazônia. Vivemos a consequência direta do crescimento do contato entre as populações e a consumo industrial (garrafas, sacos e embalagens plásticas, latas de alumínio). Infelizmente as políticas de reciclagem são raras nas regiões rurais da floresta, por isso temos de agir", enfatiza.

Segundo Marcelo Nunes Valladão, brasileiro que há 11 anos vive na Europa, fundador e presidente da House of Indians, a parceria com Benki enche a instituição de otimismo. "Benki é um ativista dos direitos do homem, defende a convivência pacifica entre o ser humano e o meio ambiente, desempenhando um papel ativo na proteção de suas terras, o que o tornou um líder das tribos vizinhas na reivindicação da autogestão política, econômica e agroecológica dessas tribos, em harmonia com as tradições culturais e espirituais. Temos certeza que esse projeto irá transformar Marechal Thaumaturgo", salienta.

A gestão do empreendimento está a cargo da tribo Ashaninka, que cuida do estoque de alimentos, da negociação com os fornecedores e da manutenção do estabelecimento. Também é responsável pelo processo de recebimento, pesagem, armazenamento e enfardamento dos recicláveis. O transporte do material recebido é feito por meio de uma parceria com a Prefeitura local. O espaço que abriga o ecomercado foi reformado e mobiliado com investimentos da fundação House of Indians.

Inicialmente, estarão disponíveis aos consumidores somente produtos orgânicos produzidos pela agricultura familiar local. Alimentos industrializados, produtos de limpeza ou outros itens de consumo poderão ser incluído com o avanço do projeto. "A proposta é empoderar os pequenos produtores rurais de todo o Acre e garantir a eles aumento de renda. Todos os produtos do ecomercado poderão ser adquiridos com a entrega de latas ou garrafas pet, mas a venda a dinheiro também poderá ser feita, mas não é o foco principal", ressalta Marcelo Nunes Valladão.

Com a parceria entre a Tribo Ashaninka e a Prefeitura de Marechal Thaumaturgo, a Fundação House of Indians espera ir além da geração de renda para a tribo. A outra meta é conscientizar a população para a necessidade de manter limpa a cidade e as margens do Rio Amônia, principal via de transporte na região. "Após seis meses de funcionamento do ecomercado e consequente avaliação dos resultados, a House of Indians pretende estabelecer na cidade um restaurante com as mesmas características comerciais. A partir daí o projeto deve ser expandido para outros estados e países", afirma o presidente da instituição.

Troco Troc foi inaugurado no município de Marechal Thaumaturgo, no interior do Acre. Foto: Anny Barbosa / G1.Troco Troc foi inaugurado no município de Marechal Thaumaturgo, no interior do Acre. Foto: Anny Barbosa / G1.

 

Plásticos e garrafas de alumínios podem ser trocados por alimentos no local; mercado consciente funciona no município de Marechal Thaumaturgo. Foto: Anny Barbosa / G1.Plásticos e garrafas de alumínios podem ser trocados por alimentos no local; mercado consciente funciona no município de Marechal Thaumaturgo. Foto: Anny Barbosa / G1.


O TrocTroc, oferece aos clientes a possibilidade de trocar PETs, latas de alumínio e lacres de garrafas plásticas por qualquer produto vendido no mercado. Foto: Divulgação.O TrocTroc, oferece aos clientes a possibilidade de trocar PETs, latas de alumínio e lacres de garrafas plásticas por qualquer produto vendido no mercado. Foto: Divulgação.

Forma de troca


Cada quilo de material reciclável (garrafas pet, latas de alumínio e os lacres das garrafas pets) valem R$ 0,50 que são revertidos na troca de alimentos dentro do mercado. Cada garrafa pet limpa e amassada tem um acréscimo de 20% no valor final do peso. Um grupo de 15 europeus esteve presente na inauguração do ecomercado para ajudar a divulgar o projeto e ensinar a comunidade como realizar as trocas.

House of Indians Foundation

A House of Indians Foundation é uma fundação com sede em Bruxelas, na Bélgica, que tem o objetivo de defender os índios em todo o mundo e criar um vínculo de cooperação entre a Europa e os povos das florestas. Um dos seus princípios é facilitar o acesso do povo europeu a estas comunidades e abrir a possibilidade de levar tecnologia, material e conhecimento para o melhoramento das condições de vida.

O presidente da fundação é o brasileiro Marcelo Valadão, que atualmente vive na Bélgica e que faz o intermédio entre os indígenas e os europeus em busca da preservação e respeito à cultura dos povos.

Assista o video do Troc Troc Supermercado Ecológico.

***
Com informações da House of Indians Foundation.