Família produz 3 toneladas de alimentos orgânicos no próprio quintal - São Paulo São


Com uma dieta vegetariana, cerca de 90% do que a família come vem do próprio quintal, que funciona como uma espécie de fazenda urbana.

Atualmente, com o consumismo exagerado e a produção desenfreada de alimentos cheios de agrotóxicos e outros itens nocivos à saúde, muitas pessoas tem investido nos alimentos orgânicos.

Esse é o caso de uma família norte-americana que produz mais de 3 toneladas de alimentos orgânicos no próprio quintal, em uma região urbana. A ideia começou em meados de 1980, quando os Dervaes se propuseram a fazer uma revolução sustentável e decidiram iniciar o projeto de uma fazenda urbana.

Morando em uma casa com estilo rústico, localizada a 15 minutos do centro de Los Angeles, na cidade de Pasadena, eles investiram no sistema e ganharam uma agricultura autossuficiente, com uma horta orgânica espalhada nos mais de 1.300 m².

A família mantém uma dieta vegetariana e 90% de tudo o que comem vêm de seu próprio quintal. Além do plantio, o local também conta com um espaço para a criação de galinhas e cabras, de onde eles tiram ovos e leite, e um apiário, usado para a produção de mel.

Apesar de seguirem a metodologia Homestead Urban, onde tudo é orgânico e o excedente é comercializado para a comunidade local, a família não tem um objetivo comercial com a iniciativa e afirma que é apenas uma forma de evitar o desperdício e proporcionar alimentos de qualidade a outras pessoas.

Para incentivar outras pessoas a replicarem em suas casas o projeto, eles têm compartilhado as experiências e oferecido apoio. Além disso, os detalhes do funcionamento da fazenda estão presentes no site da Homestead Urban.

Projeto vai além dos alimentos

Além da segurança alimentar, os Dervaes tomaram outras medidas para garantir que o desperdício seja evitado e os recursos melhor aproveitados. Dessa forma, investem na potencialização da casa com energias alternativas e no uso do biodiesel para abastecer o carro.

Para os próximos anos, a ideia é considerar ainda mais o uso de fontes renováveis para o consumo diário.

***

Redação Pensamento Verde.