Agência propõe projeto de “colmeias” gigantes para abrigar moradores de rua em Nova York - São Paulo São

Módulos podem ser impressos em 3D a partir de bioplásticos reciclados. Foto: Framlab.Módulos podem ser impressos em 3D a partir de bioplásticos reciclados. Foto: Framlab.

As paredes vazias de prédios da cidade de Nova York poderiam ganhar casulos em formatos de favos de mel para abrigar a crescente população de sem-tetos da cidade. É o que propõe a Framlab, fundada pelo designer norueguês Andreas Tjeldflaat. A agência de publicidade desenvolveu um projeto que propõe uma solução para a crescente população sem-teto de Nova York, que cresceu 40% desde 2012.

Trata-se de uma estrutura parecida com uma colmeia instalada na parede lateral de um prédio que, à primeira vista, parece uma obra de arte urbana. Dentro dos módulos hexagonais tridimensionais, porém, encontram-se pequenas unidades habitacionais.

Dentro dos módulos hexagonais tridimensionais encontram-se pequenas unidades habitacionais. Foto: Framlab.Dentro dos módulos hexagonais tridimensionais encontram-se pequenas unidades habitacionais. Foto: Framlab.

Os módulos podem ser adaptados às necessidades e desejos do residente. O espaço diminuto pode receber móveis e equipamentos tecnológicos especialmente criados para a perfeita integração ao local, garantindo o conforto e segurança do morador. As unidades podem abrigar diferentes tipos de cômodos, como um quarto com área de estudo, quarto loft ou banheiro.

"Embora quase todos os metros quadrados de espaço em Nova York já tenham sido ocupados, ainda existe uma abundância de "lotes verticais inativos", diz a Framlab."

O projeto permitiria a criação de comunidades de habitação que poderiam ser realocadas e expandidas com rapidez e facilidade nas paredes cegas de edifícios. Os módulos propostos pela Framlab, que tem sede em Nova York e Oslo, são impressos com tecnologia 3D a partir de bioplásticos reciclados, oferecendo uma montagem ecológica e econômica.

As unidades podem abrigar diferentes tipos de cômodos. Foto Framlab.As unidades podem abrigar diferentes tipos de cômodos. Foto Framlab.

“Enquanto o exterior é revestido por alumínio oxidado, o interior oferece um ambiente agradável e amigável”, informa o estúdio. Os designers responsáveis pelo projeto admitem que a proposta não seria capaz de resolver sozinha a crise da população sem-teto. “A enorme extensão e complexidade da situação requer trabalho em um nível de regulamentação e elaboração de políticas. Mas é fundamental que a comunidade de design seja parte do processo”.

Módulos podem ser adaptados para diferentes funções. Foto: Framlab.Módulos podem ser adaptados para diferentes funções. Foto: Framlab.

Enquanto o exterior é revestido por alumínio oxidado, o interior oferece um ambiente agradável e amigável. Foto Framlab.Enquanto o exterior é revestido por alumínio oxidado, o interior oferece um ambiente agradável e amigável. Foto Framlab.

De acordo com a agência, uma parede de 15 por 21 metros poderia comportar até 95 unidades hexagonais. Durante a noite, o mosaico urbano ainda poderia servir como uma tela para a apresentação de arte digital, informações públicas ou publicidade.

O sistema parasítico tem semelhança com a proposta do designer arquitetônico James Furzer de colmeias duradouras de sono para os sem-abrigo de Londres, que seriam feitas de madeira.

Durante a noite, fachada pode servir como tela para exibição de anúncios. Foto: Framlab.Durante a noite, fachada pode servir como tela para exibição de anúncios. Foto: Framlab.

As unidades pré-fabricadas da Framlab, no entanto, compreenderiam cascas exteriores de alumínio destinadas a suportar condições climáticas adversas, que encapsulariam estruturas de parede impressas em 3D feitas a partir de policarbonato reciclado.

As janelas de vidro inteligentes instaladas na frente das unidades oferecem vistas para os residentes. Elas também podem ser usadas ​​para exibir obras de arte ou propaganda para preencher as paredes vazias.

***
Por Eleanor Gibson no Deezen (Inglês).