SXSW e as principais tendências do Festival de comunicação digital que completou 30 anos - São Paulo São


O SXSW, principal evento de comunicação digital e tendências, completou 30 anos. Está mais forte do que nunca. Pela primeira vez teve a participação de um presidente dos EUA em exercício: Barack Obama.
 
O SXSW mostrou um mundo que é muito distante de nós, brasileiros, mas que já é muito real nos EUA e principalmente em Austin, Texas, onde acontece o evento.
 
A evolução com o ano passado é brutal. O que era tendência virou realidade. Cases de sucessos de assuntos como Realidade Virtual (VR), Big Data e internet das coisas foram apresentados no evento por diversas marcas e experimentados in loco.
 
Listo abaixo os 5 tópicos mais marcantes do que vi este ano:  
 
1. Inteligência artificial

Também citado como cognitive ou machine learning, o tema inteligência artificial (ou AI, Artificial Intelligence) tomou conta de grande parte do festival.
 
Por que isso é importante?
 
Primeiro, isso mudará o emprego como conhecemos. Mais de dois terços dos empregos serão extintos, criando por outro lado muitos novos empregos (que provavelmente ainda não existem). Toda atividade e trabalho que demanda produtividade será feito por máquinas.
 
Segundo, inteligência artificial fará das máquinas “seres” mais pensantes. De forma prática, o Google já deu um grande passo nessa área ao fazer uma rede de máquinas conseguir descobrir que um gato se chama ‘Gato’. Ninguém ensinou a máquina isso, ainda assim ela descobriu sozinha! Por que isso é tão importante? Uma das primeiras coisas que o ser humano aprende a fazer é nomear as coisas à sua volta.
 
Então, podemos dizer que demos o primeiro grande passo neste assunto.
 
Max Levchin, co-fundador do PayPal, também colocou a inteligência artificial como um super-assistente de humanos – e não ao contrário. Por exemplo: imagine um paciente consultar o médico se está com alguma doença. Antes do médico dar sua posição, o seu caso será analisado pela máquina, comparado a diversos outros casos e ao seu próprio histórico para poder prover ao médico uma ficha de qual seria o provável diagnóstico. Ainda assim, a tomada de decisão final continuará sendo do próprio médico, mas com muito mais informação. Kevin Kelly, fundador da revista Wired, fez inclusive uma previsão que as próximas 10 000 start-ups serão sobre “pegar x (qualquer coisa) e adicionar inteligência artificial”.  
 
2. Virtualidade everywhere
 
O mundo virtual também tomou conta do evento. Os óculos de realidade virtual (VR – Virtual Reality) já podem ser comprados nos varejistas dos EUA e basta colocar esses óculos para imergir num novo mundo. Diferente de assistir TV, quando você coloca esses óculos é como se tivesse de fato sido transportado para um novo mundo. 
 
Realidade virtual (VR)Realidade virtual (VR)

A IBM proporcionou uma experiência de Realidade virtual (VR) na qual as pessoas passeiam por cidades de bicicleta, sem sair do lugar. 
 
Um exemplo, oferecido pela IBM, era colocar o óculos para andar de bicicleta na cidade ou no campo. A resistência nas pedaladas (que ficava maior, nas subidas) e o som durante a expedição, além de obviamente o campo de visão 360 graus, te transportam de fato para uma sensação de andar de bicicleta num espaço aberto.
 
O mundo também tem se tornado mais virtual graças à internet das coisas (IoT – Internet of Things), ou seja, qualquer objeto conectado à internet. Jared Ficklin, um dos palestrantes, disse: “O objetivo antes era ter um computador por residência, mas hoje a ideia é ter 1 000 computadores por casa”.
 
Por isso, a internet das coisas ganhou destaque e também foram apresentados vários exemplos. Para citar dois: uma empresa chamada Sengled levantou a bandeira da convergência e de objetos conectados numa casa inteligente. Eles criaram uma lâmpada de luz que usa a mesma fonte de energia para oferecer um alto-falante acoplado à lâmpada. Ou seja, ao mesmo tempo que é uma lâmpada, é também um som portátil para conectar com o Spotify e tocar música em qualquer cômodo da sua casa. 
 
A Under Armour mostrou um aplicativo para celular que te ajuda a controlar sua saúde com o uso de uma pulseira e mostra dicas e comparativos com atletas no mundo inteiro.A Under Armour mostrou um aplicativo para celular que te ajuda a controlar sua saúde com o uso de uma pulseira e mostra dicas e comparativos com atletas no mundo inteiro.

A Under Armour mostrou um app que ajuda a controlar a saúde com o uso de uma pulseira e mostra comparativos com atletas no mundo inteiro. 
 
Outro exemplo foi apresentado por Kevin Plank, fundador da Under Armour. Ele mostrou uma pulseira que armazena dados de atletas no mundo todo com objetivos arrojados, como por exemplo ajudar a prever e evitar doenças cardíacas. 
Robôs também estavam em todo evento passeando entre os humanos. 
Você já pode ter o seu robô caseiro com inteligência para aprender com seus hábitos e ajudar nas suas tarefas diárias. 
 
3. Privacidade de dados digitais sob julgamento
 
Outro assunto de destaque no SXSW foi privacidade de dados no mundo digital. Um assunto quente é o processo em andamento da contenda Apple vs. FBI sobre compartilhar ou não acesso às informações guardadas nas plataformas da Apple.
 
Barack Obama em sua entrevista, para mim a melhor do SXSW, comentou sobre o assunto. Apesar de não se pronunciar diretamente sobre o processo, comentou sobre o governo ter acesso a dados pessoais nas plataformas digitais. 
 
Barack Obama, na melhor palestra do SXSW, convocou as pessoas a criarem plataformas e ideias que ajudem a resolver os problemas do mundo.Barack Obama, na melhor palestra do SXSW, convocou as pessoas a criarem plataformas e ideias que ajudem a resolver os problemas do mundo.

Barack Obama, na melhor entrevista do SXSW, convocou as pessoas a criarem plataformas e ideias que ajudem a resolver os problemas do mundo. 
 
Ele descreveu que concorda com a privacidade dos dados desde que tenha alguma concessão de acesso ao governo com o objetivo de prezar pela segurança de todos.
 
Como exemplo, Obama citou um motorista que ao trafegar na rodovia pode ser parado (e assim ter sua privacidade invadida) para saber se ele está bêbado representando assim um risco para outros na mesma rodovia.
 
Por outro lado, Bruce Sterling comentou sobre o mesmo tema. Sobre ser uma grande disputa de quem será o grande vigilante sobre dados digitais globais, já que Google, Apple, Facebook, entre outras plataformas, apesar de empresas americanas, têm usuários do mundo inteiro.
 
Enfim. Esse assunto vai longe. Então vamos pro próximo destaque do evento. 
 
4. Próxima parada: Marte

Assunto de muitos filmes de ficção científica, aparentemente estamos bem próximo de levar o homem a Marte. Este ano foi apresentado pela Nasa o plano de viajar para Marte com humanos. 
Anotem as datas: em 2018 a primeira viagem para Marte com um astronauta a bordo e em 2027 com ocupação humana. 
Enfim, quando for, não esqueça o casaco!   
5. O ecossistema do empreendedor
 
Por fim, esse é o grande destaque todo ano. O SXSW é de fato um festival que celebra e premia o empreendedorismo. Todo ecossistema é construído para isso. Tem sessões (SXSW Accelerator) onde o único objetivo é dar palco para startups contarem suas histórias e receberem perguntas (e boas críticas) de profissionais de grande sucesso.
 
Uma startup apresenta seu negócio na sessão de Aceleradoras, no SXSW.Uma startup apresenta seu negócio na sessão de Aceleradoras, no SXSW.

Uma startup apresenta seu negócio na sessão de Aceleradoras, no SXSW. 
 
Sessões com mentores também estão disponíveis. Além das palestras das grandes estrelas do festival que sempre dominam o palco: os empreendedores. Fundadores de empresas como Under Armour, PayPal e SoulCycle, entre outras, apaixonados pelo que construíram. Deu para ver claramente nos olhos deles a alegria de terem alcançado a maior realização profissional: empreender.
 
Este ano foram mais e novas histórias de superação onde o ponto em comum entre todas é saber que os fracassos são parte normal do processo.
 
Uma das empreendedoras inclusive disse que seu pai a perguntava todo dia: “Onde você fracassou hoje? Se não fracassou, não está empreendendo.”
 
Enfim, SXSW 16 foi uma longa viagem ao presente numa galáxia não muito distante!
 
Um presente real, mas contraditório.
 
Os discursos de Bruce Sterling e Casey Gerald colocaram de forma clara um sentimento que tive no evento (e tenho diariamente).
 
Avançamos muito na tecnologia. Tanto que estamos próximos de ocupar Marte!
 
Ainda assim é difícil de entender:
 
1) Como temos tanta tecnologia para conectar todos objetos do mundo, mas não conseguimos ajudar os imigrantes refugiados, que nenhum país quer escancarar a porta para os receber?
 
2) Como temos tecnologia para viajar até Marte, mas ainda não resolvemos o problema de fome no mundo?
 
3) Como temos tecnologia para ter acesso a muito mais informação, mas ainda não aceitamos as diferenças entre as pessoas e parecemos ter cada vez mais extremismos?
 
A viagem acabou e ficam as questões. Parece que quanto mais alto voamos com a tecnologia, mais aparecem as nossas falhas humanas. O mais interessante que levo do evento, é que o nosso grande desafio atualmente é social e não tecnológico! Desafio que cada vez terá mais foco em soluções. Num futuro e numa outra galáxia não tão distantes!  

***
André Artacho, 31, formado em ciências da computação, é VP de operações da Havas Worldwide. Foi presidente do comitê de Social Media do IAB Brasil e manager do Google Brasil.  *Artigo publicado originalmente no Projeto DRAFT.