Fábrica de doces portugueses abre primeira loja em São Paulo - São Paulo São

Com ovos, leite, farinha e amêndoas, basicamente, Maria Fernanda Guerra Marques Paixão Silva, 84, portuguesa de Portugal, faz de tudo: pastéis de nata, toucinho do céu, travesseiro de Sintra, fofo de belas (parecido com o sonho) um caderno de receitas herdado da família rende cerca de 20 docinhos conventuais.
 
Os quitutes que antes eram fornecidos a empórios e restaurantes ganharam no mês passado uma loja própria, situada no térreo de um prédio empresarial na região da Paulista.
 
Uma fábrica na região norte que dona Maria Fernanda toca com a filha Susana abastece a doceria. (de R$ 6,50 a R$ 9,50) com destaque para o vistoso pudim de claras.
 
Quem não é fã dos doces feitos com ovos encontra opção no salame de chocolate ou na oferta de salgados: o pastel de bacalhau (R$ 12) é feito com a mesma massa folhada usada na versão doce, de nata, mais conhecida como pastel de Belém.
 
Há também pão de queijo e empadas de frango e de palmito. Além dos comes, o cardápio sugere cafés, cappuccino, chocolate quente e vinhos (alguns em taça), como sugestão de harmonização a queijada portuguesa, por exemplo, cai bem com vinho do Porto.
 
Fofo de Belas: espécie de sonho português, com recheio de creme de baunilha e massa assada. Foto: Divulgação.Fofo de Belas: espécie de sonho português, com recheio de creme de baunilha e massa assada. Foto: Divulgação.
 
O espaço
 
Aberto há menos de um mês em um espaço de 180 metros quadrados na movimentada Rua Freia Caneca, quase na esquina com a Avenida Paullista, a Arte Nata chama atenção pela variedade dos doces que surgem em suas vitrines. São, ao todo, 16. Os mais vendidos são os pasteis de nata, assados várias vezes ao dia e servidos quetinhos. Frescos, eles literalmente derretem na boca.
Para os apaixonados pelos chamados doces conventuais (aqueles que nasceram nos conventos para dar uma destinação às gemas enquanto as claras eram usadas para engomar roupas), a casa oferece boas opções. Uma delas é o travesseiro de Sintra, que leva recheio de ovos e amêndoas. Tem também o vistoso e inusitado, porém gostoso, bolo de papo de anjo, com fios de ovos no topo.
 

Outras opções são o famoso toucinho do céu, o regional bolo da ilha da madeira, a queijadinha portuguesa com fartura de queijo e coco, além de criações menos conhecidas pelos paulistanos como o cornucópia, uma espécie de cone em massa folhada com recheio de creme de baunilha, e o delicioso “fofo de Belas” (foto acima), uma espécie de sonho português não frito. Sua massa é um pão-de-ló assado. “O recheio é de baunilha mesmo. Não usamos farinha nem maizena para engrossar”, garante José Carlos Zucheran Carneiro, dono da Arte Nata ao lado do sócio Luis Fernando.

Pastel de bacalhau e café gourmet 

Na parte salgada, não deixe de experimentar o pastel de bacalhau, cuja massa é exatamente a mesma do pastel de nata, folhada laminada com três dobras. Aproveite e regue o quitute com um pouco de azeite, sempre à mesa. Outra opção é comer um sanduíche de pão com presunto. Mas não é qualquer pão tampouco qualquer presunto. O pão, conhecido por Papo Secos, é mais molhinho. O presunto, de Portugal, é artesanal é menos salgado que a maioria.

Para acompanhar, destaque para os dois cafés gourmet servidos na casa, como o Astro Café e o Peneira 19. Também dá para pedir um cálice de vinho do Porto como o Royal Ruby. Ou, quem sabe, um licor de anis.

Expansão

Foram dois anos de planejamento antes de inaugurar o Empório Arte Nata. Como fabricantes, eles planejam replicar sua presença com varejo próprio, a partir da expansão do modelo em outras lojas.

Destaque para a decoração que usa madeira de reflorestamento e também para o detalhe do balcão que reproduz o parapeito da Torre de Belém, em Lisboa, com o símbolo da Cruz de Malta. Para os escritórios nas redondezas, a Arte Nata tem uma sala voltada para reuniões, com equipamento de videoconferência e capacidade para até 12 pessoas. O aluguel é por hora e pode incluir café e comidinhas.
 
Serviço

Empório Arte Nata  
R. Frei Caneca, 1.380, Consolação, região central.
Tel. 3263-0803. 
Seg. a sex.: 8h às 20h.

***
Com informações do Guia da FolhaPrazerices.