‘Picnic‘, evento europeu de criatividade e inovação ocupará o Parque Lage no Rio, em novembro - São Paulo São

Já estão definidas as datas para a primeira edição do Picnic, festival nascido em Amsterdã, no Brasil. Entre os dias 3 e 5 de novembro o evento ocupará o Parque Lage, tradicional ponto turístico do Rio de Janeiro.

Com foco em criatividade, inovação e conhecimento, o Picnic é uma iniciativa da Waag Society, em parceria com o Governo da Holanda, e será realizado pela primeira vez fora da Europa, desde sua criação, em 2006. A sua vinda para o Brasil é fruto de uma parceria com a curadoria Nuvem Criativa e a rede de inteligência GiG. Com produção da SRCom, a ideia é que, até 2021, cinco edições do festival sejam realizadas por aqui.

“O Picnic é uma plataforma para pensar soluções em conjunto e propor mudanças através da criatividade. Trouxemos o festival para o Brasil com o objetivo de criar um ambiente permanente de troca de ideias, que vai muito além do evento”, explica André Eppinghaus, sócio-fundador da GiG e diretor criativo do festival. Ele acrescenta que há todo um ecossistema da economia criativa e do pensamento de inovação no Brasil que precisa ser estimulado. “Queremos compartilhar conhecimento e inspirar os empreendedores do século 21. Essa é nossa missão”, reforça.

Para isso, o Picnic Brasil 2016 reunirá especialistas brasileiros e internacionais no Parque Lage com o intuito de apresentar soluções no universo da economia criativa, influenciando a sociedade a dialogar e a formular políticas que estimulem o desenvolvimento sustentável. A expectativa dos organizadores é de que, ao longo dos três dias, o evento atraia cerca de 2.400 pessoas, impactando ainda outras três milhões. Os ingressos já estão à venda no site do festival; associados dos clubes de criação do Rio e de São Paulo terão 10% de desconto.

Além de palestras com especialistas do Brasil e do exterior, o evento contará com workshops, laboratórios, espaços para exposições (Maker Faire), apresentação de startups e um desafio para artistas, designers, hackers e programadores, conhecido como Hackers Camp. O tema da edição de estreia em solo brasileiro será “Redesenhando o Crescimento” (Redesign Growth). Para discutir esta questão, o Picnic reunirá  nomes dos setores de inovação, tecnologia, criação, ciências e negócios. O objetivo é compartilhar ideias e projetos que ajudem a gerar negócios, com foco em tecnologia e processos disruptivos, através de  35 palestras, sendo 20 de especialistas internacionais. Entre eles estão nomes como Christine Gould (Thought for Food), Matthias Hollwich (Hollwich Kushner) e Mitchell Joachim (arquiteto especializado em sustentabilidade e cofundador da Terreform ONE).

“O Picnic tem a missão fundamental de acelerar mudanças sociais através da inovação. Criatividade e tecnologia são as ferramentas para essas mudanças”, explica Daniela Brayner, fundadora da Nuvem Criativa e diretora geral do festival. O público será convidado a explorar o desconhecido, sair da zona de conforto e criar colisões inesperadas. “Seremos o ponto de encontro para inspirar novas ideias, construir novos projetos e soluções de impacto. O Picnic é um convite às pessoas com o desejo de explorar como a aplicação criativa da tecnologia pode nos permitir enfrentar juntos os desafios da sociedade hoje, em constante transformação”, conclui.

***
Por Teresa Levin no Meio & Mensagem.