‘J1‘, a excêntrica moto elétrica austríaca tem bateria que dura até 20 anos - São Paulo São

A empresa austríaca Johammer desenvolveu um novo conceito de motocicletas elétricas. Apelidada de J1, a moto inova no design e na tecnologia, trazendo para a realidade atual um modelo que lembra diversas ideias futuristas. De tradicional, a moto elétrica traz apenas o fato de ter duas rodas, um assento e um guidão. Ela tem uma boa semelhança conceitual com as “Speeder Bikes” dos filmes de Star Wars.

A estrutura da J1 é feita em alumínio, envolta por uma capa de polipropileno, que oculta totalmente o moto elétrico. O modelo é equipado com uma bateria de 72V/12,7kWh e um motor elétrico de 11kW, com pico de até 16 kW. A moto tem autonomia de 200 km e velocidade máxima de 120 km/h, limitada eletronicamente.

Além de ser carregada através de uma tomada, a J1 também possui um sistema de frenagem regenerativa, que aproveita a energia da frenagem para abastecer o motor. De acordo com a fabricante, a recarga total leva 3,5 horas.

Mas apesar do seu design pouco comum a Johammer J1 é uma das poucas E-Bikes capaz de rodar 200km com somente um carga em sua bateria. Isso a coloca em um patamar mais realista e competitivo no mercado, pois pode ser comparada a autonomia de uma motocicleta que roda com gasolina, por exemplo.

A J1 é a primeira motocicleta elétrica de série com alcance além de 200 quilômetros. Foto: Divulgação.A J1 é a primeira motocicleta elétrica de série com alcance além de 200 quilômetros. Foto: Divulgação.A excentricidade do modelo é tanta que ela nem possui os tradicionais medidores de velocidade e nível de combustível (no caso, nível de bateria) em um painel frontal.  Ambas as informações são exibidas em um display com 2.4” de alta resolução instalados dentro dos retrovisores da J1.

Esses displays aliados com o seu guidão alto fazem com que o piloto possa sentir ainda mais livre na hora de viajar. E, ao contrario de motos tradicionais, a J1 oferece duas posições de apoio para os pés: um posição mais esportiva, onde os pés ficam mais para trás; e outra posição mais confortável, onde as pernas ficam um pouco menos flexionadas e mais relaxadas.

Engrenagem elétrica e controles são integrados na roda traseira com requisitos de serviço de manutenção livre. Foto: Divulgação.Engrenagem elétrica e controles são integrados na roda traseira com requisitos de serviço de manutenção livre. Foto: Divulgação.

A motocicleta austríaca vem equipada com um motor elétrico de 11kW que é montado em anexo a roda traseira, onde é capaz de fornecer a potência de 14cv utilizando uma transmissão de marcha única. Sua velocidade é limitada eletronicamente para rodar até 100km/h. A Johammer apresenta duas versões dessa E-Bike: a J1.150, que vem equipada com uma bateria de 8,3 kWh, garantido ao modelo percorrer um total de 150 km; e a versão J1.200 que traz consigo uma bateria de 12,7 kWh que lhe garante rodar aproximadamente 200km.

A empresa fabricante garante que a bateria vai se manter conservada em até 85% nos primeiros quatro anos de uso, ou, até rodar 200mil quilômetros. Sua recarga até 80% do total demora 3,5 horas utilizando uma tomada 220v ou, pode ser carregada em apenas 1,2 horas se recarregada com um carregador de 400v (item opcional). Uma característica importante no quesito bateria está na recuperação de carga acumulada através da utilização dos freios, semelhante ao usado em carros de F1 que armazenam a energia gerada nas frenagens para serem reutilizadas posteriormente.

Outro diferencial da J1 é o seu painel, aliás, a falta de um painel. Diferente das motos tradicionais, este modelo não possui um painel central. As informações de velocidade, carga e distância aparecem nos espelhos retrovisores, para causar menos distração aos pilotos.

A moto elétrica da Johammer está disponível em dois modelos, equipados com diferentes baterias. Ela também está disponível em cinco cores diferentes.

***

Com informações Ciclo Vivo e Motorede.