No 3º Festival Red Bull Basement, um ano do projeto ‘Smart Orelhão‘, palestras e oficinas voltadas para soluções urbanas - São Paulo São

A cidade de São Paulo tem aproximadamente 25 mil orelhões praticamente desativados. Segundo dados da ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações), cada um deles é usado, em média, duas vezes por dia. Enquanto isso, 2,7 milhões de pessoas que se locomovem por semana utilizando o serviço de ônibus da cidade não possuem internet no celular. Como dar uma nova função aos telefones públicos e fazer com que, de fato, os aparelhos tenham um impacto significativo na vida do cidadão?

Repensar o mobiliário urbano e transformar os objetos que caíram em desuso é uma das propostas do Festival Red Bull Basement por meio da ação “Smart Orelhão”, desenvolvida pela SalveTribal Worldwide, que completa um ano de funcionamento no mês de agosto. Nos últimos 356 dias, aproximadamente dez mil ligações foram efetuadas através do sistema espalhados pela capital paulista. 

Como funciona?

Os telefones, que muitas vezes estão instalados próximos aos mais de seis mil pontos de ônibus distribuídos pela cidade de São Paulo, foram transformados em centros de informações acerca de horários e itinerários das linhas de ônibus que circulam naquele perímetro.

Ao usuário basta uma ligação gratuita para o número 0800 887 0878 e o sistema, automaticamente, identificará de qual orelhão ele está ligando e o informará sobre os horários e as linhas de ônibus que servem o ponto de ônibus mais próximo. O orelhão funciona como uma central que, ativada por geolocalização, é capaz de mapear o perímetro e produzir dados úteis aos cidadãos.

Foto: Divulgação / Red Bull Station.Foto: Divulgação / Red Bull Station.Sobre o Red Bull Basement

O Red Bull Basement é um espaço de produção, pesquisa e difusão de projetos que exploram formas colaborativas de experimentação com mídias digitais. Tem como objetivo desenvolver a colaboração e troca entre pessoas e coletivos com diferentes perfis: programadores, hackers, desenvolvedores de software e makers.

No próximo dia 2 de setembro (sábado), das 11h às 20h, vai ocorrer a terceira edição do Festival Red Bull Basement, cujo o tema desta vez será Tecnologia e Sociedade. Uma série de palestras e oficinas, além de uma exposição, vão tomar conta do Red Bull Station, no Centro de São Paulo, para tratar especialmente sobre como projetos inovadores podem solucionar diversos tipos de questões sociais.

Programação
Datacracia: tecnologias de “big data” que usam teorias computacionais para prever dinâmicas e interações. Foto: ECA / USP.Datacracia: tecnologias de “big data” que usam teorias computacionais para prever dinâmicas e interações. Foto: ECA / USP.Palestras

11h30 às 12h40 – "Vivendo Dentro da Máquina: Como Sobreviver à Datacracia do Futuro"

Com Luli Fadherer, professor-doutor de Comunicação Digital da ECA da USP e consultor para projetos de inovação digital.
Datacracia é o regime político cada vez mais baseado em dados, sensores e analytics, que muitas vezes causa problemas e miopias geopolíticas. Um exemplo é a operação do metrô de Londres estar nas mãos da Microsoft, que usa os dados obtidos para fins comerciais. A palestra vai abordar os riscos da manipulação de dados e o que isso significa. Entrada gratuita.

14h às 15h10 – “Litro de Luz: Iluminando o Mundo, uma Garrafa de Cada Vez”

Com Laís Higashi, presidente da ONG Um Litro de Luz, que leva energia elétrica a comunidades que vivem sem luz.
Ela vai contar como o movimento, que já alcança mais de 20 países, utiliza garrafas PET e energia solar para iluminar as casas de comunidades de todo o mundo. Entrada gratuita.

15h35 às 16h45 – “O Futuro das Manufaturas Distribuídas”

Com Jorge Lopes, doutor pela Faculdade de Engenharia Química da Unicamp.
O panorama atual e perspectivas futuras dos sistemas de manufatura aditiva e escaneamento 3D, que transformam a prática de designers, engenheiros e artistas, é tema da palestra de Jorge Lopes. A democratização e disseminação dos meios tecnológicos através de sistemas abertos, bem como as novas tecnologias que impactam a qualidade de vida e a longevidade, também serão abordadas. Entrada gratuita.

17h às 18h10 - “Empreendedorismo, Hardware e Impacto Social.”
Com Anielle Guedes.

18h25 às 20h - Apresentação dos Projetos Residentes da 3ª Residência Hacker.

Entrada gratuita.
Lotação: 100 pessoas.
Local: Auditório.

Oficinas

Synth Intro: Atari Punk Console
A portabilidade das novas tecnologias tem também modificado a forma como utilizamos o espaço público para o lazer. Atualmente, podemos criar equipamentos portáteis que promovem novas formas de fazer música e ocupar novos espaços na cidade.

A ideia desta oficina é montar um oscilador/sintetizador Atari Punk Console com sensor de luz para modular a frequência gerada. Esse circuito serve como porta de entrada para o mundo dos sintetizadores analógicos. É hackeável e versátil.

Vagas: 15
Carga horária: 11h às 13h.
Facilitação: Mauricio Jabur.
Local: Ateliê Analógico.
Grátis.

Uso de Arduino para Irrigação Automatizada de Hortas Urbanas

A oficina visa potencializar a emancipação das pessoas através automatização da irrigação de hortas urbanas. Foto: Divulgação / Red Bull StationA oficina visa potencializar a emancipação das pessoas através automatização da irrigação de hortas urbanas. Foto: Divulgação / Red Bull StationEsta oficina visa potencializar a emancipação das pessoas através automatização da irrigação de hortas urbanas. O objetivo é montar e projetar o próprio sistema de controle e monitoramento da irrigação utilizando a plataforma Arduino. Além de hortas urbanas, esse sistema pode ser usado em iniciativas de agricultura urbana de médio porte. O caráter acessível e adaptável da plataforma Arduino permite que o sistema possa ser adaptado às necessidades específicas de cada usuário, ou seja integrado a outras técnicas, como a captação da água de chuva e o monitoramento climático local.

Vagas: 15 
Carga horária: 11h às 17h.
Facilitação: Saulo Jacques e Marina Freitas.
Local: Makerspace.
*Obs.: os participantes precisam trazer seu notebook.
Grátis.

Workshop de Design Paramétrico

Neste workshop os participantes conhecerão o processo de parametrização, criação e produção de mobiliário para corte em CNC Router. Também farão a montagem de um banco que ficará exposto no prédio. O workshop será ministrado pelo Studio dLux.

Vagas: 15
Carga horária: 14h às 15h30.
Facilitação: Studio dLux
Local: Galeria Principal
Grátis.

Café Reparo

Café Reparo: projeto de difusão da cultura hacker, que tem como objetivo estimular a curiosidade para descobrir como as coisas funcionam. Foto: Fabio Piva / Red Bull Basement.Café Reparo: projeto de difusão da cultura hacker, que tem como objetivo estimular a curiosidade para descobrir como as coisas funcionam. Foto: Fabio Piva / Red Bull Basement.Projeto de difusão da cultura hacker, que tem como objetivo estimular a curiosidade para descobrir como as coisas funcionam.
Com o objetivo de interromper o ciclo do descarte e retomar ou dar novos usos a equipamentos existentes, o Café Reparo vai ser ponto de encontro de pessoas, coletivos e utilizadores de computadores, mobiliário e equipamentos elétricos e eletrônicos, interessados em reparar seus objetos e equipamentos e também aprender a fazer pequenos reparos, aumentando a vida útil de objetos considerados descartáveis.

Horário: 11h às 20h.
Local: Galeria Principal.
*Não é necessário inscrição. É só trazer seu objeto para conserto!

Oficinas - Pré-festival

Workshop e Execução de Fabricação Digital para Mobiliário Urbano*
Workshop de fabricação digital para mobiliário urbano, que será produzido pelo maker Forest CNC. Serão três encontros, onde os participantes terão um introdução a novas tecnologias de corte, aprenderão a desenhar o mobiliário e os construirão no terceiro encontro. Com Studio dLux.

Vagas: 15
Horário: 18h30 às 22h30.
Data: 28, 29 e 30/8
Local: Galeria Principal
Grátis.
* Os alunos precisam ter domínio em AutoCAD ou Corel e deverão trazer seus notebooks no segundo e terceiro dias.

Olhar do Toque: Construindo mapas Táteis para Pessoas com Deficiência Visual

Nesta oficina construiremos um mapa tátil em grupo. Serão abordados temas como a colaboração da cultura faça-você-mesmo no desenvolvimento desses projetos, conceitos da tecnologia assistiva e a construção de diversos mapas táteis, passando por método artesanais à impressão 3D e corte a laser.
Durante o festival os mapas serão exibidos no Red Bull Station, onde serão mantidos como legado.

Data: 01/09
Vagas: 16
Carga horária: 14h às 18h.
Facilitação: Marcos Oliveira, fundador da plataforma MeViro
Local: Ateliê Analógico.
Grátis.

Exposição

Exposição dos protótipos desenvolvidos pelos residentes da 3ª Residência Hacker.
Local: Galeria Transitória

Projetos:
1) Micro Aerogerador;
2) Tecnologia Cidadã por meio de estações meteorológicas modulares;
3) Flux;
4) ClimoBike;
5) Horta vertical automatizada.

***
Com informações da Agência Lema.