As cidades ‘inteligentes‘ e mais bem preparadas do mundo para se viver, segundo novo ranking global - São Paulo São

Se você está procurando a melhor cidade do mundo para viver, você terá novos argumentos em mãos. A EasyPark, startup europeia tem uma contribuição bem fundamentada e lançou um novo ranking das cidades "mais inteligentes" do mundo.

Segundo o relatório, estar preparada para futuro significa ser uma "cidade inteligente", o que atualmente é uma tendência. "Com o desenvolvimento da tecnologia, a sociedade está se transformando e cada vez mais se desenvolvem estudos para coletar dados tráfego urbano, níveis de poluição e o uso de energia, como o objetivo de tornar as cidades mais seguras, saudáveis e eficientes", aponta o documento.  

O aplicativo norueguês EasyPark, classificou 500 cidades ao redor do mundo com base em sete critérios amplos:  transporte e mobilidade, sustentabilidade, governança, economia, inovação, qualidade de vida e percepção externa.

Eles são subdivididos em outras 19 categorias como estacionamento inteligente, caronas compartilhadas, trânsito, transporte público, energia limpa, prédios inteligentes, planejamento urbano, educação, ecossistema empresarial, rede 4G, pontos de wi-fi, velocidade da internet, acesso online a serviços governamentais, nível de uso de smartphones, como a cidade está se tornando inteligente, qualidade de vida, participação cidadã, descarte de lixos e projeção ambiental. Para chegar a média final, todas as notas são somadas e divididas por 19.

Estocolmo, capital da Suécia, ocupa o terceiro lugar, a maior cidade da Suíça, Zurique, ocupa o quarto lugar, e Boston completa os cinco primeiros. Foto: City of Stockholm.Estocolmo, capital da Suécia, ocupa o terceiro lugar, a maior cidade da Suíça, Zurique, ocupa o quarto lugar, e Boston completa os cinco primeiros. Foto: City of Stockholm.

A capital da Dinamarca, Copenhague ocupa o primeiro lugar na lista das cidades mais habitáveis, classificando-se como um lugar que tornou a vida "mais suave ... através da digitalização" com base na gama de índices que vão do número de espaços verdes na cidade, o nível de desenvolvimento da habitação, o congestionamento do trânsito, a facilidade de acesso à internet, o nível de educação, o número de startups registradas e até a participação dos cidadãos nas eleições.

Copenhague não recebeu nota 10 em nenhuma categoria, mas com uma pontuação média de 8,24 em todas as categorias, encabeçou a lista de 500 cidades analisadas. Cingapura ocupa o segundo lugar no top10 que é dominado por cidades européias, mas também inclui duas cidades dos EUA - Boston e San Francisco.

Estocolmo, capital da Suécia, ocupa o terceiro lugar, a maior cidade da Suíça, Zurique, ocupa o quarto lugar, e Boston completa os cinco primeiros. A capital de Massachusetts, EUA, apareceu fortemente em todos os três critérios de sustentabilidade e foi a única cidade em todo o índice a alcançar a pontuação 10 em educação e inovação econômica.

Tóquio, no Japão aparece em sexto lugar no geral, antes da sétima colocada São Francisco (foto). Foto: The New Economy,Tóquio, no Japão aparece em sexto lugar no geral, antes da sétima colocada São Francisco (foto). Foto: The New Economy,
Tóquio, no Japão aparece em sexto lugar no geral, antes da sétima colocada São Francisco embora a “casa“ do Vale do Silício tenha batido todas as cidades no índice pelo critério de velocidade na internet. O hub tecnológico californiano foi o único a marcar um 10 perfeito nessa categoria específica.

A metrópole holandesa Amsterdam ocupou o oitavo lugar no geral, seguido de perto por Genebra, a segunda entrada da Suíça no top 10. Melbourne da Austrália completou a lista.

O ranking mais baixo na lista foi a capital alemã, Berlim, ganhando o 13º lugar, Londres do Reino Unido ficou no 17º e a metrópole francesa Paris no 20º lugar. O Canadá estava bem representado na mistura com Vancouver (11), Montreal (16) e Toronto (19), todos agarrados no top 20. Enquanto isso, Nova York e Washington D.C. ficaram para trás ao obter o 24º e 28º lugares, respectivamente.

A primeira brasileira na lista é São Paulo, que está na 80º posição com uma média final de 4,35 pontos. A segunda é Rio de Janeiro, na 86º posição, com 4,07 pontos.

Acesse o ranking da EasyPark.

***
Por Damien Sharkov na Newsweek (I
nglês).