Fortaleza ganha prêmio internacional de mobilidade urbana sustentável - São Paulo São

As ações com foco no trânsito desenvolvidas nos últimos anos em Fortaleza tornaram a Capital cearense vencedora do Sustainable Transport Awards, prêmio internacional concedido pelo Instituto de Políticas de Transporte & Desenvolvimento a cidades com projetos inovadores de mobilidade urbana sustentável.

Premiação no Congresso Mobilize, evento que reuniu especialistas mundiais da área de mobilidade em Dar es Salaam, Tanzânia. Foto: Divulgação.Premiação no Congresso Mobilize, evento que reuniu especialistas mundiais da área de mobilidade em Dar es Salaam, Tanzânia. Foto: Divulgação.

Iniciativas como a implantação de corredores exclusivos para coletivos e a criação dos sistemas de carros e bicicletas compartilhadas foram alguns dos pontos levados em consideração para agraciar a Cidade com o título.

O anúncio foi feito ontem (28 de junho) durante o Congresso Mobilize, evento que reuniu especialistas mundiais da área de mobilidade e que, neste ano, teve como sede Dar es Salaam, a maior cidade da Tanzânia, na África, última vencedora da premiação. A entrega do prêmio será realizada em janeiro de 2019, em cerimônia em Washington, nos Estados Unidos.

De acordo com o comitê responsável pela escolha da cidade ganhadora, as políticas públicas de trânsito da Capital se destacam por priorizar pedestres, ciclistas e usuários de transporte coletivo, com projetos baseados em intervenções de baixo custo, parcerias com a iniciativa privada e coleta de dados para justificar ações de maior porte.

Ações

Iniciativas como a implantação de corredores exclusivos para coletivos e a criação dos sistemas de carros e bicicletas compartilhadas foram alguns dos pontos levados em consideração para agraciar a Cidade com o título. Foto: Helene Santos / Diário do Nordeste.Iniciativas como a implantação de corredores exclusivos para coletivos e a criação dos sistemas de carros e bicicletas compartilhadas foram alguns dos pontos levados em consideração para agraciar a Cidade com o título. Foto: Helene Santos / Diário do Nordeste.

Segundo o prefeito Roberto Cláudio, a mobilidade urbana tem sido, nos últimos anos, um dos pilares da gestão municipal, incluindo investimentos em ações que vão desde mudanças na legislação até intervenções concretas, como a criação do Bilhete Único, a implantação de BRTs e faixas exclusivas para ônibus, e reformas de terminais.

"Havia uma necessidade para qualificar políticas de trânsito e transporte. Contratamos uma consultoria que nos ajudou a conhecer melhor as boas práticas internacionais, que fez diagnóstico da nossa realidade e o planejamento de ações que pudessem contemplar uma política com algumas premissas, como priorizar novos modais e também estimular a qualificação do transporte público para aumentar número de usuários", disse o gestor.

Em Fortaleza, projeto batizado "Cidade da Gente" transformou a Avenida Central, no bairro Cidade 2000, onde os carros tinham prioridade, em um espaço público para pessoas. Foto: Rodrigo Capote / WRI Brasil.Em Fortaleza, projeto batizado "Cidade da Gente" transformou a Avenida Central, no bairro Cidade 2000, onde os carros tinham prioridade, em um espaço público para pessoas. Foto: Rodrigo Capote / WRI Brasil.

Depois - Foto: Rodrigo Capote / WRI Brasil.Depois - Foto: Rodrigo Capote / WRI Brasil.

Outro objetivo era reduzir a mortalidade em acidentes de trânsito na Capital, em especial de pedestres. "Através de uma parceria internacional com a Fundação Bloomberg, há três anos passamos a implantar uma pauta de prevenção de acidentes, envolvendo fiscalização, ações educativas e mudanças na engenharia de trânsito", explicou Roberto Cláudio.

Paradigmas

Para o secretário executivo de Conservação e Serviços Públicos, Luiz Alberto Saboia, além de melhorias na mobilidade e na segurança viária, um dos principais ganhos das ações realizadas até agora é a quebra de paradigmas relacionados ao trânsito na Capital cearense.

"Fortaleza, nas últimas décadas, foi uma cidade pensada muito para o transporte individual. Nós mudamos esse paradigma. Hoje, o agente principal é transporte público, e em segundo lugar o transporte sustentável, como a bicicleta, a caminhada. Com esse conjunto de políticas, conseguimos atacar vários problemas, como o engarrafamento, a poluição e a segurança viária, por exemplo", observou.

***
Fonte: Diário do Nordeste.

 



-->