Projeto VivaSP recupera histórias reais de uma São Paulo multifacetada - São Paulo São

 
São Paulo cresceu recebendo gente de várias regiões do Brasil e do mundo e, por isso, tem muita história para contar. Essas histórias estão na memória de seus moradores – e são elas que a plataforma colaborativa VivaSP veio descortinar.
 
Após reunir mais de 8 mil histórias entre 2003 e 2009, em 2016 o projeto ressurge em novo formato: 93 dos textos mais significativos do acervo serão publicados em 3 tipos de livro (impresso, digital ou customizado), com direito a fotos e episódios em vídeo. As antologias serão organizadas em temas e poderão ser consultadas também por região ou década.
 
 

Imagem: Lidia Walder. Arquivo pessoal para o Projeto.
 
Colaboração em todos os níveis
 
Assim como a ideia original do projeto era a colaboração, o financiamento do novo formato também será coletivo, via plataforma de crowdfunding Catarse (www.catarse.me/vivaSP). Apoiada ainda por uma fanpage no Facebook (www.facebook.com/vivaSPnoFace), a “vaquinha” virtual começará dia 16 de março no Catarse e ficará no ar até início de maio.
 
Para contribuir, basta clicar em uma das Recompensas disponíveis na plataforma. Elas contemplam não só os livros, mas também agradecimentos nas obras, brindes e até itens personalizados, como uma edição artesanal com histórias escolhidas pelo apoiador e um vídeo exclusivo com a pessoa de preferência contando histórias da cidade. O valor mínimo das colaborações é de R$ 15.
 
A iniciativa das antologias também surgiu de forma colaborativa, como um desafio entre os Amigos dos Editores Digitais (AEDs). Segundo a coordenadora Gabriela Dias, a ideia era incentivar projetos editoriais inovadores no grupo, que reúne mais de 2.700 pessoas.
 
Criado pelo antropólogo e historiador Juliano Spyer, o projeto VivaSP terá e-books a cargo da Alpendre, editora especializada na área e recém-premiada pelo “melhor e-book de gastronomia do Brasil” no Gourmand Cookbook Awards; livros impressos feitos pelo Clube de Autores, maior comunidade de autopublicação da América Latina; e edições artesanais customizadas do coletivo Dulcineia Catadora, que trabalha com materiais reciclados.
 
Sobre o VivaSP
 
VivaSP é uma biografia viva, uma história de São Paulo contada por pessoas comuns. O projeto teve origem no rádio, onde em 2003 ouvintes passaram a contar histórias sobre a cidade. Um site, transformado em diário coletivo, reunia essas contações e inspirava novas histórias. Esses textos se perderam quando o site original do projeto saiu do ar, em 2009. 

Inspirado em Achei que meu pai fosse Deus (e outras histórias verdadeiras da vida americana), do escritor norte-americano Paul Auster, o projeto estreou em virtude dos 450 anos de São Paulo. As histórias iam ao ar toda semana na Eldorado AM e FM e na internet. 
Essas histórias falam principalmente das transformações ocorridas na cidade no século XX e tocam em temas atuais como mobilidade, violência, qualidade de vida e meio-ambiente. O grupo de autores passou a se reunir também para encontros e passeios pela cidade, evidenciando que um cidadão só se sente parte de uma cidade quando de fato se ocupa das experiências e das inquietações que ela pode proporcionar.

***
Com informações de Paulo Ferreira - Mundo Comunicação / Assessoria.