No Rio de Janeiro, o maior grafite do mundo produzido por uma mulher - São Paulo São

O maior grafite do mundo já pintado por uma mulher é obra de uma brasileira. Batizado de “Contos”, o mural assinado pela artista paulista Luna Buschinelli, de 19 anos, foi inaugurado no último dia 19, no Rio de Janeiro, e apresentado ao Guinnes Book, o livro dos recordes.

Com 2,5 mil m², o mural foi pintado ao redor do prédio da Escola Municipal Rivadávia Corrêa e traz, na fachada principal, a figura de uma mulher e três crianças. Segundo a artista, ela representa uma mãe que, mesmo analfabeta (a personagem carrega no vestido o “X” com que os analfabetos assinavam seus nomes no passado), segura o livro como se lesse nele a fábula que compartilha com os filhos.

O projeto

O convite para que Luna assinasse o mural partiu do produtor Pagu, um dos responsáveis pelos murais do Boulevard Olímpico, entre os quais está a obra Etnias, assinada pelo muralista Kobra.

A obra “Contos” integra o projeto “Rio Big Walls”, feito em parceria com a Secretaria de Cultura do município, que pretende levar o grafite para outras 19 escolas municipais até o final deste ano. O objetivo, segundo a pasta, é divulgar a arte de rua como forma de qualificação e humanização dos espaços urbanos, além de posicionar o Rio de Janeiro entre as cidades que valorizam o grafite como bem cultural.

Do desenvolvimento do projeto à finalização da obra, Luna conta que foram 45 dias de trabalho, incluindo feriados e finais de semana.

Luna trabalhou das 8 às 18h por cerca de 1 mês para pintar os cerca de 2.500 m² do complexo escolar. Foto: Humberto Ohana.Luna trabalhou das 8 às 18h por cerca de 1 mês para pintar os cerca de 2.500 m² do complexo escolar. Foto: Humberto Ohana.

O trabalho faz parte do projeto ‘Rio Big Walls‘ da Secretaria Municipal de Cultura que pretende valorizar espaços por meio da arte urbana. Foto: Humberto OhanaO trabalho faz parte do projeto ‘Rio Big Walls‘ da Secretaria Municipal de Cultura que pretende valorizar espaços por meio da arte urbana. Foto: Humberto Ohana“O recorde é o que mais está repercutindo, mas, para mim, o principal é o empoderamento que estou trazendo com este trabalho para as mães, professores e para todas as pessoas que se sintam representadas por ele. A mensagem é para que as pessoas acreditem em si mesmas e nos seus sonhos, pois a gente é muito maior do que imagina”, conta a artista, que se diz orgulhosa pela aposta que foi feita nela em “ocupar este lugar”.

O mural já foi apresentado ao Guinnes Book e está em processo de reconhecimento pela publicação como o maior grafite do mundo já pintado por uma mulher.

***
Fonte: Haus.