Livro revela o papel de Eduardo Salvatore como articulador do fotoclubismo paulista - São Paulo São

Eduardo Salvatore (1914 - 2006) foi advogado formado pela Faculdade de Direito do Largo São Francisco, São Paulo, em 1936. A partir de 1937, dedica-se, como amador e autoditata, à fotografia artística. Em 1939, foi um dos fundadores do Foto Cine Clube Bandeirante, entidade que presidiu no período de 1943 a 1990.

O livro "Eduardo Salvatore e seu papel como articulador do fotoclubismo paulista", de Marly Porto, que será lançado em edição bilíngue (inglês), no próximo dia 17 de março, no Unibes Cultural, revela a trajetória pessoal do fotógrafo, que se confunde com a própria história do Foto Cine Clube Bandeirante - que iniciou suas atividades, instalando sua sede em três salas alugadas no 22º andar do Edifício Martinelli.

O livro é ilustrado com fotografias produzidas por Eduardo Salvatore (1914-2006) entre 1942 e 1959. Esse recorte temporal teve como ponto de partida a realização do 1º Salão Paulista de Arte Fotográfica, que pouco depois passou a ser internacional, e estendeu-se até o fim da década de 1950, quando o Foto Cine Clube Bandeirante (FCCB), começou a perder o espaço que havia conquistado junto ao circuito de arte. 

A eleição de Eduardo Salvatore, um dos fundadores do FCCB, para o cargo de presidente da associação, em 1943 marcou o início do desenvolvimento do Clube e trouxe as consequências decorrentes da sua expansão. Foi responsável pela organização da 1ª Convenção Brasileira de Arte Fotográfica realizada em dezembro de 1950, que resulta, anos depois, na fundação da Confederação Brasileira de Fotografia e Cinema, que reunia os fotoclubes do país.

Chuva. Foto: Eduardo Salvatore.Chuva. Foto: Eduardo Salvatore.Chuva. Foto: Eduardo Salvatore.

Salvatore era ainda membro frequente dos júris dos salões de arte fotográfica, promovia palestras, orientava seminários internos, participava de excursões fotográficas, recepcionava amadores de outros estados e países, colaborava com as revistas especializadas da época, de forma que sua trajetória pessoal se incorpora à história do Bandeirante.

No entanto, não há até o momento trabalhos que tratem da contribuição de Salvatore para a expansão do FCCB e para a formação do movimento fotoclubista nacional. Essa lacuna justifica a escolha do tema desta publicação que tem por objetivo narrar essa história adotando como fio condutor as conquistas do Clube e sua repercussão. Salvatore foi presidente do FCCB até 1990.

Composição em V. Foto: Eduardo Salvatore. Composição em V. Foto: Eduardo Salvatore. Composição em V. Foto: Eduardo Salvatore.

Sobre a autora


Marly Porto (SP, 1958) é autora da dissertação “Confrontos e paralelos: O Salão Internacional de Arte Fotográfica de São Paulo (1942 -1959” entregue ao Programa de Pós-Graduação Interunidades em Estética e História da Arte (USP), em 2018 e bacharel pelo curso Arte: História, Crítica e Curadoria (PUC). Como palestrante, participou da conferência organizada pelo Museum of Modern Art (MoMA), em maio de 2017, apresentando o painel “The Salons of Foto Cine Clube Bandeirante (1942 - 60): A Venue for the Promotion, Sharing and Update of Photography by National and International Photo Clubs”. Atua no mercado cultural há 20 anos, através da sua empresa, Porto de Cultura, sendo responsável pela curadoria e organização de exposições, publicações editoriais, eventos e seminários sobre artes visuais. 

Serviço

"Eduardo Salvatore e seu papel como articulador do fotoclubismo paulista" 
Autora: Marly Porto.
Edição bilíngue (inglês), Ilustrado - 80 páginas.
Gratuito / Disponível para download.
Grão Editora.

Lançamento e palestra
Dia 17 de março, sábado.
Das 11h às 13h.
Unibes Cultural.
Rua Oscar Freire, 2500 – ao lado da estação de metrô Sumaré.
Tel: 11.3065.4333.

***
Com informações Unibes Cultural.