Encontros - São Paulo São

São Paulo São Encontros

Estudos apontam que os aplicativos de compartilhamento de carros e caronas, delivery e organização de rotas estão causando grande impacto na escolha das pessoas na hora de se locomover. Para empresas, o Brasil é um dos países com frete mais caro do mundo. Além de dimensões continentais, contamos com um sistema logístico – para não dizer, já dizendo – defasado. Uma das soluções? Tecnologia.

Para o consumidor parece estar funcionando e bem alinhado com o raciocínio do “usar” sobre o “ter”. É uma mudança secular de comportamento? É! E é exatamente por isso que precisa de discussão, de estratégia, de inteligência na hora da execução. Um dos esforços que o ecossistema está tendo o privilégio de contemplar é o WeMuv Summit. No próximo dia 28 de novembro, no Instituto Tomie Ohtake, acontecerá a segunda edição do evento, cujo objetivo é discutir o futuro da mobilidade e como o mundo será reativo diante dessas mudanças. Serão dez horas de conteúdos exclusivos sobre locomoção corporativa e tendências tecnológicas.

Mais um dado na onda do que estamos falando: segundo a Kantar TNS, uma multinacional de pesquisa responsável por estudos automotivos e de mobilidade urbana, 75% das pessoas nas cidades estão usando aplicativos para organizar ou orientar seu trajeto. Em São Paulo, o número de motoristas caiu 37% em comparação ao ano passado. No Rio de Janeiro, diminuiu em 36%. No futuro quem sabe, com a realidade iminente dos carros autônomos e elétricos, as manutenções de automóveis serão feitas por engenheiros de software. São todos os agentes do ecossistema sendo afetados por uma nova fase industrial.

“Acreditamos que empresas e pessoas podem criar um futuro sem trânsito. Essa mudança já vem acontecendo gradativamente, por isso os eventos sobre mobilidade são importantes e precisam ser realizados. O WeMuv Summit vai reunir as empresas que definirão o futuro da mobilidade para debater todos os pontos dessa nova realidade”, disse Fernando Saddi, CEO da Easy Carros, uma das empresas apoiadoras do evento.

Estação de recarga e estacionamento de carros elétricos em Paris. Foto: Groume.Estação de recarga e estacionamento de carros elétricos em Paris. Foto: Groume.

Estarão presentes grandes nomes do setor, como Fábio Rabelo, Head de Digital e Novos Modelos da Volkswagen; Flávio Tavares, do Instituto PARAR; Carolline Volpato, da WeMuv; Fernando Miranda, da Webmotors; Maximiliano Fernandes, da Ticket Log; Mariana Avezum, da WARR Hyperloop; Sylvio de Barros, da iCarros; Diego van Dyk, da Voom; Marcos Valillo, da Pointer, Renato Franklin, da Movida; e Felix Cardamone, da ConectCar. Além das palestras, também acontecerá uma feira de negócios com stands das empresas, como Movida e Easy Carros, oferecendo experiências de mobilidade para o público que poderão ser vivenciadas durante o evento.

Por fim, a União Internacional dos Transportes Públicos (UITP) realizou simulações em capitais de países europeus, que mostraram que a combinação de transporte público de alta capacidade e o compartilhamento de carros e caronas poderia remover até 65 de cada 100 carros nos horários de pico. Falando das principais capitais do país, parece ser uma boa ideia.

Mais informações sobre o WeMuv Summit e ingressos podem ser encontrados aqui. Se você entrar com o código STARTSE, você tem direito a 20% de desconto.

Serviço

II WeMuv Summit
Terça, 28 de novembro de 2017.
Das 8h – 23h
Instituto Tomie Ohtake.
Avenida Brigadeiro Faria Lima, 201 - Pinheiros, SP.

***
Por Lucas Bicudo no Portal StartSe.

Ganhador da Palma de Ouro no Festival de Cannes por “Elefante” e indicado ao Oscar por “Milk – A Voz da Igualdade” e “Gênio Indomável”, o diretor estadunidense Gus van Sant vem ao Brasil participar de um encontro durante a 25ª edição do Festival Mix Brasil da Diversidade Sexual, evento que tem copatrocínio da Secretaria Municipal de Cultura e da Spcine. 

O cineasta de “O Mar de Árvores” participa da abertura da 2ª edição do Mix Lab Spcine, no dia 17 de novembro, no Centro Cultural São Paulo (CCSP), e as inscrições estão abertas.

Gus van Sant é o homenageado dessa edição com o troféu Ícone Mix pelo conjunto da obra, e ganha também uma retrospectiva com seis de seus filmes – as exibições acontecem em diversos espaços, incluindo o CCSP e as salas do Circuito Spcine. Os longas-metragens escolhidos são aqueles com temática relacionada à diversidade sexual.

Gus van Sant começou sua carreira com “Mala Noche”, lançado em 1985. O filme conta a história de um rapaz que se apaixona por um imigrante mexicano que está ilegalmente nos Estados Unidos. O diretor retomou o tema da homossexualidade e de pessoas à margem da sociedade diversas vezes, entre elas em “Garotos de Programa” (1991), que conta a história de dois jovens acompanhantes que viajam juntos; e em “Milk – A Voz de Igualdade” (2008), que rendeu um Oscar de Melhor Ator para Sean Penn no papel de Harvey Milk, um dos primeiros homens abertamente homossexual eleito para um cargo público nos EUA. Além de seus trabalhos no cinema, o diretor também tem curta trajetória no mundo dos videoclipes, tendo filmado “Weird”, de Hanson, e “Under The Bridge”, do Red Hot Chilli Pepper.

Cenas do filme "Elefante" (2003) vencedor da Palma de Ouro em Cannes, parte da retrospectiva de Gus van Sant (Foto: Divulgação)Cenas do filme "Elefante" (2003) vencedor da Palma de Ouro em Cannes, parte da retrospectiva de Gus van Sant (Foto: Divulgação)Com programação voltada a discutir a sexualidade sem tabus, o Festival acontece entre os dias 15 e 26 de novembro e tem sessões gratuitas no Centro Cultural São Paulo (CCSP) e nas salas do Circuito Spcine. O CCSP recebe ainda shows e peças teatrais. A programação completa pode ser acessada em breve no site http://www.mixbrasil.org.br/

O Mix Lab Spcine, que acontece entre os dias 17 e 22, é um evento que promove o intercâmbio de experiências entre profissionais do audiovisual, por meio de palestras e debates. Entre os palestrantes, está o diretor executivo da Spcine, Renato Nery, além de curadores de Festivais internacionais como Magali Simard (Toronto) e Pavel Cortés (Guadalajara). Para se inscrever no encontro com Gus van Sant, é necessário preencher o formulário no link a seguir:http://bit.ly/mixlab2017.

Serviço

25º Festival Mix Brasil
De 15 a 26 de novembro em diversos espaços.
Mix Lab Spcine. 
Centro Cultural São Paulo (CCSP).  R. Vergueiro, 1.000, Paraíso. Próximo da estação Vergueiro do metrô. Centro. | tel. 3397-0001 e 3397-0002. 
De 17 a 22/11.
Abertura: Gus van Sant, dia 17, 11h (necessário preencher formulário para seleção).

***
Fonte: Em Cartaz / SMC. 

A maior tela de cinema do mundo erguida no descampado do Jockey Clube. Foto: Divulgação / Shell Open Air.A maior tela de cinema do mundo erguida no descampado do Jockey Clube. Foto: Divulgação / Shell Open Air.O que leva o público a sair de casa para ver um filme em uma época na qual os serviços de streaming ganharam popularidade? Para o projeto Shell Open Air, a resposta está em proporcionar uma experiência impossível de ser reproduzida entre quatro paredes.

Isso significa que, até o dia 26, o Jockey Club de São Paulo se transforma em um cinema a céu aberto com capacidade para 1.300 pessoas de quarta a domingos, para a exibição de clássicos, blockbusters, pré-estreias e filmes nacionais.

Na tela, do tamanho de uma quadra de tênis e considerada a maior do mundo, erguida em meio ao descampado, o público pode assistir a uma seleção de 21 filmes, entre clássicos, lançamentos recentes e pré-estreias.

Entre as produções estão os blockbusters “Titanic“ (remasterizado), o recente “Dunkirk”, de Christopher Nolan, as dobradinhas de sucessos como a cultuada série de Quentin Tarantino, “Kill Bill – Vol 1” e “Kill Bill – Vol 2”; além de “Noivo Neurótico, Noiva Nervosa” e “Vicky Cristina Barcelona”, de Woody Allen. Para os amantes de musicais as versões de 1980 e 1984 de “Fame” e “Footloose” prometem animar as noites de sextas antecipando shows ao vivo de bandas famosas e apresentação de pocket shows. Além disso, o evento tem um espaço gastronômico para os interessados.

Com Dunkirk, o diretor Christopher Nolan muda o gênero de guerra. Foto: Divulgação.Com Dunkirk, o diretor Christopher Nolan muda o gênero de guerra. Foto: Divulgação.

Cena de Nicole Kidman no filme “Moulin Rouge - Amor em Vermelho“ de Baz Luhrmann. Foto: Divulgação. Cena de Nicole Kidman no filme “Moulin Rouge - Amor em Vermelho“ de Baz Luhrmann. Foto: Divulgação. Uma Thurman é Mamba Negra, A Noiva ou Mamãe no filme Kill Bill, de Quentin Tarantino. Foto: Divulgação.Uma Thurman é Mamba Negra, A Noiva ou Mamãe no filme Kill Bill, de Quentin Tarantino. Foto: Divulgação.A primeira edição do evento, sob o patrocínio da marca Shel, foi realizada no Rio de Janeiro, no mês de junho. A edição carioca foi um sucesso, tendo ingressos esgotados em todas as sessões. “A iniciativa está completamente alinhada ao posicionamento da marca Shell, que proporciona experiências cada vez mais prazerosas e descomplicadas para a rotina diária do nosso consumidor”, diz Renato Grego, gerente de Comunicação de Marketing da Raízen, licenciada da marca Shell do Brasil.


Serviço

Shell Open Air São Paulo
Até 26 de novembro de 2017 – de quarta a domingo.
Local: Jockey Club de São Paulo | SP - Dr. José Augusto de Queiroz, portão 1. Cidade Jardim, São Paulo.
Programação e ingressos: http://openairbrasil.com.br/ 
Associados do Jockey Club de São Paulo com a mensalidade em dia têm condições especiais na aquisição de ingressos: 50% de desconto em até dois convites, mediante apresentação da carteirinha (identificação) no ato da compra na bilheteria do evento.

***
Da Redação.

Todas as atrações do SlowKids serão distribuídas na área de piquenique do Parque Villa-Lobos, em meio a árvores. Foto: Divulgação.Todas as atrações do SlowKids serão distribuídas na área de piquenique do Parque Villa-Lobos, em meio a árvores. Foto: Divulgação.

A 9ª edição do SlowKids, está confirmada para o dia 18 de novembro (sábado) a partir das 10h, no Parque Villa-Lobos, e contará com uma série de atividades lúdicas, teatro, música, literatura e arte.

O projeto visa desacelerar as crianças do universo digital e tecnológico, oferecendo brincadeiras tradicionais, contato com a natureza e com outras crianças. O ato de brincar auxilia no desenvolvimento da criatividade e incentiva a capacidade de se relacionar com outras crianças. Criado por Tatiana Weberman, do Respire Cultura, o SlowKids já recebeu 60 mil pessoas em suas oito edições anteriores. A 9ª edição conta a parceria do Instituto Alana e terá o patrocínio de O Boticário.

Paralelo com as apresentações do palco, as crianças poderão aproveitar uma série de atividades no gramado. Foto: Divulgação.Paralelo com as apresentações do palco, as crianças poderão aproveitar uma série de atividades no gramado. Foto: Divulgação.A cada dia que passa a infância é reduzida a rotinas intensas ou as brincadeiras são deixadas de lado na substituição de jogos e aparelhos eletrônicos. Brincar é uma importante forma de comunicação, é por meio deste ato que a criança pode reproduzir o seu cotidiano, num mundo de fantasia e imaginação. O ato de brincar possibilita o processo de aprendizagem da criança, pois facilita a construção da percepção, da autonomia e criatividade.

“Brincar no parque, jogar bola no quintal com os amiguinhos, desenhar nas paredes... Situações assim fazem parte da memória de infância de muita gente, da época em que voltar para casa com a roupa suja de terra. Mas as coisas mudaram. Porém, ao contrário do que alguns pais podem pensar, romper com o ciclo tecnológico não é uma tarefa fácil, porém, possível. É pensando nisto que criamos o SlowKids, uma grande oportunidade para incentivar as brincadeiras ao ar livre”, explica Tatiana Weberman, do Respire Cultura.

Saúde

romper com o ciclo tecnológico não é uma tarefa fácil, porém, possível. Foto: Divulgação.romper com o ciclo tecnológico não é uma tarefa fácil, porém, possível. Foto: Divulgação.Crianças que passam muitas horas por dia na frente de uma tela de computador ou celular têm mais risco de sofrer problemas psicológicos, mesmo que mantenham atividade física intensa. Os dados são de um estudo publicado nesta segunda-feira, 21 de agosto, pelo periódico americano Pediatrics. Até agora, estudos demonstravam que as crianças fisicamente mais ativas compensavam os efeitos negativos das horas passadas em frente a uma tela, e muitos pais acreditam que os filhos pudessem passar muito tempo vendo TV ou jogando, desde que esta atividade fosse compensada com exercícios.

O estudo publicado pela Pediatrics e comandado pelos pesquisadores da universidade de Bristol, na Inglaterra, afirma que as crianças que passavam duas ou mais horas por dia na frente de uma tela eram mais hiperativas, tinham mais dificuldades em se relacionar socialmente e mais problemas emocionais do que aquelas que passavam menos tempo na TV ou no computador, ainda que, fisicamente, fossem bastante ativas.

Atrações

Outra atração é a Kombi dos Sonhos. Trata-se de um projeto inovador, que levará diversas brincadeiras para praças e parques espalhados pela cidade. Foto: Divulgação.Outra atração é a Kombi dos Sonhos. Trata-se de um projeto inovador, que levará diversas brincadeiras para praças e parques espalhados pela cidade. Foto: Divulgação.Todas as atrações do SlowKids serão distribuídas na área de piquenique do Parque Villa-Lobos, em meio a árvores. É ali também que um palco será montado para receber o espetáculo Circense Le Petit Potpourri com o Parque do Circo, a Banda Trupe Pé de Histórias e POIN – Pequena Orquestra Interativa. No gramado o espetáculo continua com a Hora do Conto, do grupo Salto Fino e Contação de Histórias com Ateliê da Primeira Infância.

Paralelo com as apresentações do palco, as crianças poderão aproveitar uma série de atividades no gramado, como Erê Lab, Bambolizar, Oficina de Percussão, Yoga para crianças, Feira de troca de brinquedos, Circo com Parque do Circo, Casa do Brincar com brincadeiras tradicionais e passeios pela natureza com Ser Criança é Natural. Outra atração é a Kombi dos Sonhos. Trata-se de um projeto inovador, que levará diversas brincadeiras para praças e parques espalhados pela cidade. Abaixo detalhes das brincadeiras que serão realizadas pela equipe da Kombi dos sonhos no SlowKids.

Foto: Divulgação.Foto: Divulgação.

Brincadeiras

- Estação Primeira Infância
Experimentação de diversos mobiliários e recursos lúdicos para descoberta motora e sensorial com cores, texturas, sons e cheiros para estimulação do desenvolvimento motor e sensorial com exploração o mundo guiada pelo instinto natural de curiosidade em explorar tudo o que o rodeia.

- Estação de Pintura
As crianças são convidadas a pintar livremente com o corpo e acessórios de pintura com diferentes materiais para exploração do brincar livre e estímulo da criatividade com o trabalho das sensações, descobertas de si e do outro em um espaço de socialização mediada.

- Estação de Música
Instrumentos musicais têm muitos significados nas vidas de adultos e crianças. Eles permitem descobertas cheias de riquezas sensoriais e desenvolvem uma série de habilidades como criatividade, concentração, coordenação, expressão pessoal e muitas outras. Mas a brincadeira pode ir além: experimentar instrumentos musicais na interação pais e filhos fortalece laços e garante a diversão.

- Estação Bolhas de Sabão
A partir de muita criatividade e do brincar livre, a oficina multissensorial de bolhas de sabão permite desenvolver diversas habilidades com muita diversão.

- Estação de Leitura
A leitura frequente ajuda no desenvolvimento da linguagem e socialização, instrumentos vitais para o raciocínio e para a compreensão do outro. Sabendo disso, a estação de leitura conta com um espaço aconchegante comdiferentes livros para leitura livre em família com muita descoberta, faz-de-conta e diversão

- Estação Motora
Aqui objetos e brinquedos ficaram disponíveis para as crianças com intuito de desenvolver a coordenação motora e equilíbrio. Entre eles estão triângulo escada, pranchas de equilibrio, slackline, pula pula pneu.

Serviço

SlowKids @ Parque Vila Lobos
Data: 18 de novembro, sábado, das 10h às 16h.
Local: Parque Villa Lobos – Área do Piquenique.
Endereço: Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 2001 - Alto de Pinheiros, São Paulo.
Mais: www.facebook.com/movimentoslowkids

***
Com informações da  Agência Lema.

A associação Intermuseus traz pela primeira vez ao Brasil o Museu da Empatia, que estará com a instalação ‘Caminhando em seus sapatos…’ de 18 de novembro a 17 de dezembro, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo.

O projeto internacional sediado em Londres é dedicado a desenvolver a capacidade de olhar o mundo com os olhos de outras pessoas. Por meio de experiências sensoriais e situações de diálogo e conexão entre os indivíduos, busca explorar como a empatia pode transformar as relações interpessoais, inspirar mudanças de atitude e até contribuir para enfrentar desafios globais como preconceitos, conflitos e desigualdade (veja a matéria do São Paulo São de agosto de 2016).

Esta é a proposta de ‘Caminhando em seus sapatos…’, que contará com um acervo de 25 depoimentos na edição brasileira da mostra. São histórias especialmente captadas para conduzir o público a uma viagem empática e sensorial, com relatos que vão da perda à superação, do luto ao amor, do preconceito e exclusão à esperança e inspiração, e refletem os temas diversidade, violência social e direitos humanos, LGBTfobia, gordofobia, educação, cultura, acessibilidade e direito à cidade.

A vivência ocorrerá dentro de uma instalação que faz referência a uma caixa de sapatos gigante, onde estão pares de calçados disponíveis acompanhados de histórias que abordam a diversidade do ser e seu pertencimento comum à humidanidade. Ao escolher um deles, o visitante é convidado a caminhar com os sapatos pelo espaço, enquanto escuta o depoimento da pessoa a quem eles pertenceram. A ideia toma partido da expressão inglesa walk in someone’s shoes(caminhando com os sapatos de alguém), para propiciar a experiência de estar no lugar do outro, o que é a essência da empatia.

“A Mile in My Shoes”

Foto: Empathy Museum.Foto: Empathy Museum.‘Caminhando em seus sapatos…’ é um projeto idealizado pelo Empathy Museum, criado pela artista britânica Clare Patey em colaboração com o filósofo e escritor Roman Krznaric. No Brasil, tem curadoria Intermuseus, que o realiza em conjunto com Artsadmin em parceria com British Council e Instituto Alana e tem a FCB Brasil como agência oficial.

“Será um espaço para ouvir e refletir sobre experiências de vida que tocam em pontos fundamentais de nossos sentimentos, valores, crenças, percepções e atitudes”, explicou Andréa Buoro, diretora do Intermuseus.

O título original da exposição – ‘A Mile in My Shoes’ – remete ao provérbio indígena never judge a man until you have walked a mile in his moccasins (nunca julgue um homem até você ter andado uma milha em seus mocassins). Desde 2015, o Empathy Museum coletou mais de 150 histórias e pares de sapatos, tendo recebido um público de mais de 10 mil visitantes. A Mile in My Shoes foi exibida em Londres e em Redcar, na Inglaterra, e em Perth, Austrália. Nos próximos anos, há planos de realizar novas versões da instalação em Namur (Bélgica), Moscou (Rússia) e Milão (Itália).

Confira alguns trechos dos depoimentos de ‘Caminhando em seus sapatos…’:

Imagem: Empathy Museum.Imagem: Empathy Museum.“O mais difícil foi que, para priorizar o aluguel, eu passei muita fome. Ou eu pagava o aluguel ou eu comia. Aí, não conseguindo mais pagar o aluguel, eu fui para a rua com as crianças, embaixo do viaduto do Glicério.”

“Eu só posso falar do que eu vivo, e escutar do outro aquilo que ele vive. Eu só quero que você veja que é possível a gente existir e ser feliz do jeito que a gente é!”

“A dor da minha mãe não é a mesma dor que a minha, como irmã. Minha mãe até o dia de hoje está sentada no sofá esperando o meu irmão entrar porta adentro. O desaparecimento para mim é uma morte sem fim. É uma tortura que não passa nunca mais.”

“A família se coloca numa posição de preocupação com o sofrimento. Se você emagrece é a primeira coisa que falam: ‘nossa, como você emagreceu, está bonita, emagreceu!’ Me incomoda de ser pauta, entendeu? Por que você não me pergunta se eu estou bem, o que eu tenho feito, e não me elogia porque eu emagreci? Ser magra não é elogio.”

“A coisa que eu mais temi, por 15 anos da minha vida, foi abrir a porta do quarto do meu filho. Era a coisa que eu tinha mais pavor.”

“Um dia nasceram três passarinhos aqui na minha casa. E os pais deles abandonaram o ninho. Eu tive que cuidar deles. Aquilo mostrou que eu era alguém: um serzinho acreditava em mim, precisava de mim 24 horas por dia! Ali eu percebi que eu não era uma pessoa tão inútil assim, que eu tinha uma qualidade de poder cuidar dos outros.”

Foto: Empathy Museum.Foto: Empathy Museum.Serviço

Museu da Empatia – Caminhando em seus sapatos…
Onde: Parque do Ibirapuera – Praça das Bandeiras (área externa do pavilhão da Fundação Bienal de São Paulo), acesso pelo Portão 3.
Quando: de 18 de novembro a 17 de dezembro de 2017.
Horários: de terça a sexta, das 10h às 19h | sábados e domingos, das 11h às 20h.
Entrada grátis | Capacidade de 25 pessoas por vez (senhas distribuídas no local).
A página do proejto no Facebook.
Dá o play no vídeo pra conhecer mais sobre as propostas sensoriais do Museu da Empatia.

***
Da Redação com informações Intermuseus.

O Cine Pedal vai ocupar o Parque Villa Lobos com a exibição de filmes projetados a partir da energia gerada por meio de bicicletas pedaladas pelo público participante.

O Cine Pedal Brasil l começou no Rio de Janeiro em 2016, passou por Florianópolis, Porto Alegre, Belo Horizonte, Brasília, Goiânia, Pato Branco, Piracicaba e agora volta a São Paulo nos dias 4 e 5 de novembro.

Para participar pedalando e gerando energia, os interessados devem se inscrever no local, no estande de credenciamento de voluntários. Para animar o público, além da exibição dos filmes e dos diálogos com especialistas, o evento conta ainda com food bikes. O Circuito é um programa para toda a família e opção de lazer para quem vai de bicicleta ou não. O espaço terá tatames e cadeiras para quem quiser apenas chegar e assistir aos filmes.

O Cine Pedal Brasil já esteve presente em 34 municípios e já atingiu mais de 1 milhão de pessoas, gerando mais 9.600 kw de energia por evento segundo informa a empresa produtora do evento.

A iniciativa une a inovação à promoção da cultura e do audiovisual, além do estímulo à saúde e ao esporte em um só projeto. “Estamos a um passo de vivenciar mais uma inovação no cinema! Acreditamos na utilização do audiovisual como ferramenta de transformação e conscientização. Por meio dessa tecnologia inovadora, queremos difundir o conhecimento sobre as energias renováveis. A proposta de uma mostra de filmes onde toda a energia utilizada é gerada a partir de bicicletas é inédita. O conceito do projeto abre caminho para novas formas de pensar a produção e geração de energia limpa”, explica Adriana L. Dutra, diretora do evento.

A proposta do evento é chamar a atenção, por meio de uma ação criativa, para as questões ambientais e como ideias inovadoras podem afetar diretamente a vida do cidadão. Queremos propor o pensamento e uma nova maneira de enxergar a vida”, conclui Adriana.

Como participar

Para participar pedalando e gerando energia, os interessados devem se inscrever no local, no estande de credenciamento de voluntários. Os inscritos recebem diplomas e brindes de participação.

Como funciona

A infraestrutura do Cine Pedal Brasil conta com 14 bicicletas fixas e 10 bases onde o público poderá encaixar suas próprias bikes, de qualquer modelo, desde infantis até adultos. O festival também disponibiliza um pedal manual que pode ser utilizado por cadeirantes, crianças e idosos. Ao serem pedaladas, as bicicletas produzirão a energia motriz* (energia mecânica gerada por meio de movimentos contínuos) , que será recebida por um equipamento condensador responsável por alinhar toda a energia gerada e que, em seguida, a redistribuirá para o projetor e para os equipamentos de som e iluminação utilizados no evento.

Os participantes precisam gerar no mínimo 1300 watts para o cine funcionar. No local haverá um sinalizador exibindo em tempo real quantos watts estão sendo gerados. A energia produzida pelos participantes voluntários também poderá ser utilizada no carregamento de dispositivos eletrônicos do público presente.


Serviço


Cine Pedal Brasil
Dias e horários: 4 e 5 de novembro, das 17h às 20h.
Local: Parque Villa Lobos no gramado em frente ao Memorial.
Endereço: Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 2001 – Alto de Pinheiros, São Paulo – SP, 05461-010.
Grátis.
Site: http://cinepedalbrasil.com.br/

Programação

Dia 4 – Sábado

17h: Início de cadastramento para voluntários gerarem energia.
17h30: Início da geração de energia; Início de música e subida do telão.
18h: Debate – conhecimento, meio ambiente, sustentabilidade.
18h30: Curtas: Bicicleta Brasil, de Renata Falzoni e Efeito Casimiro, de Clarice Saliby
20h: Fim do evento

Dia 5 – Domingo 

17h: Início de cadastramento para voluntários gerarem energia.
17h30: Início da geração de energia; Início de música e subida do telão.
18h: Debate – Tecnologia e inovação.
18h30: Filme – Pinóquio, de Anna Justice.
20h – Fim do evento.

***
Da redação com informações Cine Pedal.