Encontros - São Paulo São

São Paulo São Encontros


“Essa não será a Mostra da crise, pois será uma Mostra forte.” Bastaram poucas palavras para Renata de Almeida, diretora da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, cuja 39ª edição começa no dia 22 de outubro e vai se estender até 4 de novembro, já ganhar os primeiros aplausos, no início da coletiva de imprensa, na manhã de sábado, 10. Palavras fortes para um momento delicado, em que o mercado cultural se encolhe por causa do arrocho econômico.

Desde a morte de seu marido e idealizador do evento, Leon Cakoff, em 2011, Renata tomou para si as rédeas da organização do principal festival de cinema de São Paulo e um dos mais destacados da América Latina. Cercou-se de uma equipe fiel e trabalhadora e manteve, ano a ano, a luta pela manutenção dos patrocínios. A crise econômica de 2015, porém, tornou o céu mais nebuloso – cotas antes rapidamente garantidas demoraram para confirmar; outras até sumiram e um facho de luz surgiu com a recente inclusão da CPFL. Com isso, o orçamento ficou reduzido em 40%, o que afetará na diminuição dos convidados internacionais, na ausência de festas e na mudança da sede da Mostra para outro QG, o hotel Maksoud Plaza.

“Mesmo assim, me orgulho de confirmar 312 filmes de 63 países, que ocuparão 22 endereços da cidade”, disse Renata. E o cardápio, de fato, continua de primeira: o publico terá à disposição longas premiados como Dheepan, de Jacques Audiard, que conquistou a Palma de Ouro no Festival de Cannes, e o venezuelano Desde Allá, de Lorenzo Vigas, Leão de Ouro em Veneza (veja mais na lista de destaques).

 

Mostra de Cinema

Renata de Almeida, diretora da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo na coletiva de imprensa.

Além disso, a Mostra contará com deferências, como receber a estreia mundial do novo filme de Hector Babenco, Meu Amigo Hindu, que vai abrir o evento, no dia 22, e do longa Um Dia Perfeito, de Fernando León de Aranoa, que vai encerrar a maratona, em 4 de novembro. Ambos diretores estarão presentes.

Não havia, de fato, como não realizar a Mostra. “Ela já se tornou parte integrante do calendário cultural de São Paulo”, observou Marcos André Silva, da Petrobrás, empresa que há 14 anos patrocina o evento mas que, por motivos bem conhecidos, passa por um delicado momento financeiro. Mesmo com atraso (assim como fez a Prefeitura de São Paulo), o compromisso foi honrado e as contas, aos poucos, foram fechando.

Mesmo com um orçamento reduzido, Renata faz questão de manter o mantra do idealizador da Mostra, Leon Cakoff, para quem o público tinha de ser o principal beneficiado. Assim, além de sessões em salas tradicionais de cinema, a programação inclui uma itinerância por 10 cidades do interior paulista, graças a uma parceria com o Sesc, e uma exibição simultânea de filmes da programação em Campinas, fruto do acerto com a CPFL.

Exibições ao ar livre também continuam com força total, como a exibição de Meu Único Amor, filme mudo de 1927, que será mostrado na área externa do Auditório Ibirapuera, acompanhado da Orquestra Sinfônica de Heliópolis. Também o vão livre do Masp, que já recebeu um emburrado Pedro Almodóvar em priscas eras, será palco para a homenagem a José Mojica Marins, o criador do Zé do Caixão, que vai receber o Prêmio Leon Cakoff.

O cineasta Martin Scorsese é o autor do desenho que inspirou o cartaz e a vinheta da Mostra, que também o homenageia. “Mas não pensamos em exibir um ciclo de seus filmes, que estão facilmente à disposição do público”, conta Renata. “Preferimos homenagear a atitude de Scorsese em recuperar e preservar filmes do mundo inteiro, representada pela The Film Foundation, que ele criou há 25 anos.” Com a missão de manter viva a história do cinema, a entidade será lembrada com a exibição de 25 filmes selecionados entre os mais de 700 já preservados graças à sua ação.

E, por falar em recuperação, a Mostra faz ainda uma homenagem ao cineasta Mario Monicelli, que completaria cem anos em 2015, com a exibição de cinco de seus filmes. As permanentes começarão a ser vendidos a partir do dia 17, na Central da Mostra, no Conjunto Nacional.

O discurso de Renata contra a ação da crise econômica foi ouvido com orgulho por um espectador especial: Jonas, um de seus filhos com Leon. Foi a primeira entrevista coletiva da mãe a que participou. E aprovou. Alguma intenção de ingressar no comando da Mostra? “Não sei, mas pretendo estudar cinema a partir do próximo ano”, disse, sorriso aberto.

Principais filmes

Dheepan, de Jacques Audiard (Palma de Ouro no Festival de Cannes); Desde Allá, de Lorenzo Vigas (Leão de Ouro no Festival de Veneza); Pardais, de Rúnar Rúnarsson (Concha de Ouro no Festival de San Sebastian); A Terra e a Sombra, de Cesar Augusto Acevedo (Camera D’Or no Festival de Cannes); A Ovelha Negra, de Grímur Hákonarson (Vencedor do Un Certain Regard no Festival de Cannes); Chronic, de Michel Franco (Melhor Roteiro no Festival de Cannes); Son of Saul, de László Nemes (Grande Prêmio do Júri e Prêmio FIPRESCI no Festival de Cannes); Virgin Mountain, de Dagur Kári (Melhor Filme, Roteiro e Ator no Festival de Tribeca); A Bruxa, de Robert Eggers (Melhor Direção no Festival de Sundance)

Serviço

Permanentes e pacotes promocionais.
Permanente Integral – R$ 430,00.
Permanente Integral Folha (15% de desconto para o titular da assinatura, mediante apresentação da carteirinha de assinante) – R$ 365,50
Permanente Especial (para sessões de 2ª a 6ª feira até às 17:55h, inclusive, não contempla finais de semana nem sessões noturnas) – R$ 100,00.
Pacote de 40 ingressos – R$ 315,00.
Pacote de 20 ingressos – R$ 185,00.

Central da Mostra
Conjunto Nacional – Avenida Paulista, 2073.
De 12 a 16/10, das 12h às 18h.
Vendas: De 17/10 a 04/11, das 11h às 21h.

Ubiratan Brasil em O Estado de São Paulo.

 

 
Em comemoração ao dia das crianças, o Centro Esportivo Tietê, zona norte, reuniu no último sábado (10) mais de 20 atrações para crianças de todas as idades. De acordo com estimativas da Secretaria Municipal de Esportes (SME), uma das organizadoras do evento, a ação contou com a participação de mais de 6 mil pessoas.

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, o secretário municipal de Esportes, Celso Jatene e a primeira-dama e coordenadora do Programa São Paulo Carinhosa, Ana Estela Haddad, estiveram no local para acompanhar as atividades.
 
Ana Estela Haddad, Fernando Haddad  e Celso Jatene no Centro Esportivo do Tietê. Foto: Fernando Pereira / Secom.

Por mais de seis horas, as crianças assistiram a shows, apresentações, participaram de oficinas de oficina de skate, de escoteiros, empinaram pipas e brincaram com outros materiais disponíveis na ação.
 
Atividades de lazer no Centro Esportivo Tietê. Foto: Fernando Pereira / Secom.
 
Com o intuito de permitir que crianças de todas as regiões participassem do evento, a SME disponibilizou 130 ônibus, que saíram dos Centros Esportivos das Comunidades (CDC) de diferentes bairros. “Eu gostei muito de poder vir aqui hoje. Assim que eu soube que haveria esse passeio eu me inscrevi e não via a hora de participar”, disse Priscila Soares (10), que frequenta o CDC Vila Guarani.
 
Os adultos presentes também puderam aproveitar as atividades, por meio de uma parceria com a Fundação Abióptica – Pelo Direito de Enxergar Direito, que ofereceu testes de visão a todos os frequentadores. A ação faz parte da “Campanha Olho Vivo”, que busca alertar a população sobre a importância dos cuidados com a visão.

Mês da criança
Em comemoração ao mês da criança, um esforço articulado entre as secretarias de Cultura, Esportes, Educação, Serviços e Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, com o Programa São Paulo Carinhosa, ampliou este ano a oferta de atrações infantis pelos bairros distantes da capital.

A programação foi pensada para atender uma faixa etária de crianças mais ampla (dos bebês à pré-adolescência), além de envolver suas famílias e cuidadores.

Entre as atrações descentralizadas, o público infantil conta com eventos durante asViradinhas e a primeira Mostra de Cinema para criança e família, a CineMinha, lançada pela Spcine, em cartaz em 20 CEUs da cidade.
 
Fonte: Secretaria Executiva de Comunicação.
 

 
A inspiração é estrangeira, mas o patrimônio é local. Pela primeira vez, São Paulo terá seus principais prédios históricos abertos ao público por 24h ininterruptas. 
 
Trata-se da Jornada do Patrimônio, evento marcado para os dias 12 e 13 de dezembro. Vinte e dois imóveis públicos já estão com participação confirmada. Na última quinta, a Prefeitura divulgou chamamento público para que os responsáveis por cada um dos cerca de 3 mil endereços tombados pelo Conpresp, o órgão municipal de proteção ao patrimônio, também possam aderir – as inscrições ficam abertas até o dia 25.
 
“Não gosto muito de usar o termo ‘virada’ porque parece moda, tudo se transformou em ‘virada’. Mas é uma espécie de ‘virada do patrimônio’”, diz o secretário municipal de Cultura, o arquiteto Nabil Georges Bonduki. “O importante é que o evento sirva para a cidade se reconhecer e recuperar a memória de sua identidade.” 
 
Com a expectativa de entrar para o calendário anual de São Paulo, a Jornada do Patrimônio nasce nos moldes das parisienses Journées du Patrimoine – cuja primeira edição ocorreu em 1984 e acabou inspirando iniciativas parecidas em outras capitais europeias e, nos Estados Unidos, a nova-iorquina Open House. 
 
Diretora do Departamento do Patrimônio Histórico (DPH) de São Paulo, a arquiteta Nadia Somekh conta que o projeto vem sendo preparado há pelo menos dois anos. Nos últimos dias 19 e 20 ela participou, como convidada, do evento de Paris – justamente para acompanhar a logística lá consolidada e pensar nas adaptações necessárias à capital paulista. 
 
“Aprendi muita coisa e pude mostrar a eles o nosso projeto também”, relata. “A ideia principal da Jornada é sensibilizar e mobilizar a população para que todos vejam que a cidade tem história e tem memória. Vamos alargar o conceito de patrimônio.” Nadia acredita ser importante conscientizar os proprietários de imóveis privados tombados pelo Conpresp para que estes tenham orgulho da situação. “No mundo todo, ter um bem tombado é sinal de prestígio”, comenta. 
 
O secretário Bonduki prevê que tours noturnos sejam organizados, sobretudo em alguns dos 22 imóveis já listados (confira lista na galeria de imagens abaixo) pela Prefeitura como participantes. “E, quem sabe, alguns desses passeios possam continuar ocorrendo de forma constante, periodicamente”, vislumbra.
 
A programação completa do evento será divulgada em novembro, após o recebimento das propostas por meio do chamamento. 
 
Com informações da Secretaria Municipal de Cultura e do Blog do Edison Veiga no Estadão.
 
 


Bike Tour SP tem uma novidade para as crianças! É o Bike Kids, um trailer especialmente desenvolvido para levar crianças de até 8 anos de idade para um divertido passeio pela cidade, audioguiado com informações e curiosidades sobre cada ponto visitado. Com arte do grafiteiro Tinho a.k.a. Walter Nomura, o Bike Kids é uma iniciativa para oferecer cultura, cidadania e diversão saudável para os pequenos desde cedo.

A inauguração do trailer acontece durante o feriado de 12 de Outubro, com todos os horários reservados para as crianças da Missão Cena, que atende jovens moradores da região do Centro Novo, rota de estreia do Bike Kids. Após a data, o trailer será itinerante pelos outros roteiros do Bike Tour SP e estará à disposição de todos.

“Todas as doações de alimentos que pedimos como contrapartida aos participantes na rota Centro Novo já estavam sendo encaminhadas à instituição. Agora, com o passeio no bike trailer, podemos entregar às crianças do CENA um presente que não é material, mas que vai ficar na lembrança deles para sempre”, afirma André Moral, que é, ao lado do irmão Daniel, idealizador do Bike Tour SP.

Desenvolvido especialmente para o projeto, o bike trailer conta com pintura externa feita a mão pelo grafiteiro Tinho, que tem as crianças da região central paulistana entre as temáticas de sua arte e já expôs em países como França, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Rússia.

Passeios

Depois do feriado, o bike trailer será itinerante pelas 6 rotas do projeto: além de Centro Novo, o Bike Tour SP oferece aos participantes as rotas Centro Velho, Avenida Paulista, Faria Lima, Parque Ibirapuera e Vila Madalena – recém-lançada e percorrida com bicicletas elétricas.

Para participar, basta fazer a inscrição gratuita pelo site do projeto e levar, no dia, 2 kgs de alimento não perecível. A bicicleta e os equipamentos de segurança o Bike Tour SP empresta e ainda guia os grupos por meio de um sistema de audiotour acoplado ao capacete, que traz informações e curiosidades sobre cada ponto visitado na cidade.

O Bike Tour SP ainda oferece passeios exclusivos para pessoas com mobilidade reduzida, que podem participar do tour com hand bikes ou trenzinhos de até 3 lugares puxados pela bicicleta de um dos monitores. “Já recebemos desde pessoas que puderam fazer um passeio de bicicleta pela primeira vez até senhoras com mais de 90 anos, que há muito tempo não faziam uma atividade como essa ao ar livre. É muito gratificante para nós”, conta André.

Além do CENA, o Bike Tour SP encaminha as doações recebidas nas outras rotas ao Núcleo Assistencial Bezerra de Menezes, instituição que ajuda mais de 300 famílias carentes em São Paulo e na região do Vale do Ribeira. Em quase 2 anos de projeto, os idealizadores já arrecadaram mais de 13 toneladas de alimentos.

Mais informações no site oficial.

Com informações Bike Tour e Vá de Bike.

 

Quem quiser, de uma vez só, passear por um belíssimo complexo arquitetônico, conhecer a produção de artistas e estilistas de vanguarda, ouvir música brasileira da melhor qualidade (Calefação Tropicaos), dançar, ver homens tricotando, assistir a um desfile com inspiração punk e acompanhar o lançamento de uma coleção da Chilli Beans, já tem onde ir: ao Mercado Mundo Mix. O evento acontece na Praça das Artes (Avenida São João, 281), dias 17 e 18 de outubro, das 10h às 21h. E não paga nada para entrar.

Os visitantes do MMM encontrarão produtos de mais de 100 expositores variados que movimentam a economia criativa do país. São roupas (feminina, masculina, infantil e plus size), calçados, bijuterias, objetos de arte e decoração, acessórios para cabelo, cintos, bolsas, mochilas, carteiras em estandes, trucks ou fashion kombis.

Vale a pena ficar de olho – Conhece o artista-estilista Vicente Perrotta? Sua proposta é desconstruir o conceito de roupas binárias (feitas para homem ou para mulher) e contribuir com a reciclagem de materiais têxteis. “A minha ideia é produzir roupas não-binárias com materiais de descarte da indústria têxtil, tendo como resultado peças únicas que discutem estética, corpo, consumo e política”, declara Vicente. “

A Allezy, marca de streetwear, tem como principal diferencial suas estampas que vêm do grafite. “É isso mesmo, todas as nossas peças carregam obras de artes assinadas por grandes artistas urbanos, em uma perfeita união entre qualidade, arte e estilo”, explica a estilista Beatriz Cori, que também adianta que no evento será apresentada em primeira mão a coleção Spray Art.

A Coletivo de Dois, de Daniel Barranco e Hugo Mor, faz uma moda urbana contemporânea que foge das tendências. Os estilistas (que também modelam cortam e costuram) contam que fazem roupas que eles gostariam de usar. E que isso, aliado à mistura de referências, o processo criativo e a produção artesanal garantem o sucesso da marca..

Já a Senhor da Moda veio com a proposta de fazer parte do dia a dia do homem, agregar valor ao seu estilo de vida, e mostrar que acessórios não são apenas “decoração”, mas uma fonte de inspiração e representação do caráter masculino.

Desfile com inspiração Punk – Ao longo da história da moda, influências ideológicas, musicais e elementos de outras culturas, foram atribuídos subgêneros a ao estilo punk. E assim nasceram algumas vertentes como Skate Punk, Punk Rock, Glam Punk e Afro Punk, entre outras.

O desfile, que acontecerá no sábado (17), às 15 horas, mostrará a liberdade que o estilo traz ao trabalhar com composições e sobreposições de peças seguindo as tendências atuais. Todas as peças apresentadas estarão à venda no evento.

 

crédito Rafael Guirrocrédito Rafael GuirroPraça das Artes. Foto: Rafael Guirro.

 

Lançamento: Beatles, por Chilli Beans

Última coleção temática da Chilli Beans deste ano, Beatles será apresentada ao público no Mercado Mundo Mix. Composta por óculos, relógios e armações de grau, foi inspirada em três estágios do quarteto de Liverpool: início da carreira e histeria das fãs nos anos 50 e 60; período psicodélico; e a fase hippie e zen. Dessa história saíram produtos como o relógio com pulseira em couro, semelhante às alças das câmeras fotográficas usadas na época; e os óculos “Lucy in the Sky with Diamonds”, com a inscrição do nome da canção e cristais Swarovski. Os modelos chegam aos pontos de venda de todo país em 19/10.

Homem na Agulha: workshop de tricô e crochê

Quando alguém pensa nas técnicas de crochê e tricô, é possível que a primeira imagem que lhe venha à cabeça seja a de uma senhora com óculos na ponta do nariz, em uma cadeira de balanço, preocupada em executar um cachecol ou uma toalha de mesa. Mas ela não é mais a única

Thiago Rezende, artista plástico e criador do projeto Homem Na Agulha, uniu a tradição de uma técnica milenar à visão contemporânea de produzir algo sem barreira de gênero, e juntamente com Luis Cambuzano leva a experiência ao Mercado Mundo Mix. O workshop gratuito, voltado para homens que queiram aprender e/ou praticar crochê e tricô acontece no dia 17/10, das 16h às 19h, e o material (agulhas e linhas) será emprestado durante a aula

Tem música no Mercado Mundo Mix. E comidinhas também.

Quem vai embalar as boas compras e o papo de quem passar pela Praça das Artes? No sábado, como já é tradição, a responsabilidade fica por conta da Rádio MMM, sob o comando do DJ Will Robson e seus convidados.

Já no domingo a diversão está garantida com a Feira Calefação Tropicaos e seus ritmos do norte e nordeste do país, e vídeo mapping do VJ Manuhell Borges:

12h – DJ Carol Mali.
13h30 – DJ Julião Pimenta.
15h –DJ Pita Uchôa.
18h – DJ Tudo e sua gente de todo lugar.
19h – DJ Pita Uchôa.

No espaço Tropicaos ainda haverá diversos itens de moda e objetos de design, produzidos artesanalmente, e exposição de fotos.

E para que os visitantes não precisem sair da Praça das Artes, o Food Park Mundo Mix será montado mais uma vez. Tendas de alimentação oferecerão sanduíches, camarão, risoto, pasteis, acarajé, comida oriental, drinks, sorvetes artesanais, doces diversos e muito mais.

Festival de Hambúrguer, a novidade do Mercado Mundo Mix

Comprometido com o movimento de revitalização do centro de São Paulo e de sua transformação por meio da economia criativa, o Mercado Mundo Mix vai destacar, em cada edição, um setor da economia criativa. Em outubro, foi o de cervejas artesanais. Agora é a vez do hambúrguer, lanche tão a gosto do brasileiro..

O Mercado Mundo Mix, uma realização da ArtShine Promoções e Eventos, tem o apoio da Fundação Theatro Municipal e do Instituto Brasileiro de Gestão Cultural.

Serviço

'Mercado Mundo Mix'
Entrada gratuita
Data: 17 e 18 de outubro
Horário: das 10h às 20h
Local: Praça das Artes
Endereço: Av. São João, 281 – Centro
Para saber mais aqui.

Sobre o Mercado Mundo Mix

Movimento de moda, arte e cultura urbana, nascido em 1994, o Mercado Mundo Mix, evento pioneiro do país no fomento à economia criativa, passou uma temporada de 10 anos em Portugal. Em novembro de 2014, voltou ao Brasil e desde então realizou sete edições no país – cinco em São Paulo (SP) e duas em Campinas (SP) – sempre com entrada gratuita.

Sobre a Praça das Artes

Premiado complexo arquitetônico que liga a Rua Conselheiro Crispiniano, a calçada da Avenida São João e o Vale do Anhangabaú, a Praça das Artes abriga as Escolas Municipais de Música e de Dança, e os grupos artísticos da Fundação Theatro Municipal de São Paulo. Além de tudo isso, ainda engloba a histórica sala do Conservatório Dramático e Musical, construída em 1886. De acordo com o Diretor Geral da Fundação Theatro Municipal, José Luiz Herencia, “a população de São Paulo apropria-se cada vez mais do espaço público, e o Mercado Mundo Mix proporciona o encontro valioso do cidadão com a economia criativa e a com a cultura urbana”.

Natt Naville no Mistura Urbana.

 


A Biblioteca Mário de Andrade tem 90 anos de idade, ocupa um edifício que é patrimônio histórico da capital paulista e continua viva, firme e jovem. Com a energia da juventude, a novidade agora é que suas portas estarão abertas 24h, todos os dias. A iniciativa, que começa em outubro, vem de encontro ao público cada vez mais jovem. Cerca de 90% dos mais de 1,2 mil visitantes diários têm menos de 33 anos. A frequência desse público contribui para que o espaço bata o recorde de visitação a cada ano.

Segundo seus diretores, estima-se que 440 mil pessoas passem pela biblioteca até dezembro, um crescimento de 20% em relação a 2014, e 250% se comparado com 2013.

Entre os livros, os frequentadores buscam tranquilidade para estudar, ler ou usar o wi-fi gratuito, disponível desde agosto do ano passado. Com a mudança para período integral, a ideia é atrair ainda mais jovens. “Essa região possui vida cultural efervescente. Queremos fazer parte disso”, explica o diretor Luiz Armando Bagolin. 

Para garantir a segurança e atendimento, 15 funcionários serão contratados e o horário especial iniciará no dia 9 de outubro de forma gradativa. A previsão é que até o fim do ano, a biblioteca opere 24h por dia. Além das portas abertas full-time, uma série de eventos acontecerá. A primeira programação homenageará o cineasta italiano Pier Paolo Pasolini (1922-1975).

 
"Poéticos Eróticos – um sarau demasiado Pasolini”. Foto: Divulgação.
 

Na estreia (9/10), um “sarau erótico” será realizado no terraço a partir das 22h. Integrantes do grupo teatral Sensus deixarão todos arrepiados com sussurros de trechos picantes da obra do diretor no ouvido do público. Logo após, uma festa acontecerá até às 4h da manhã. Os organizadores já pretendem exibir filmes do diretor em outras noites.

Uma sala direcionada ao público infantil também está prevista para 2016 e um projeto de restaurante, que seria usado como bar durante a madrugada, já está em andamento. Para facilitar ainda mais o uso do espaço, a administração investe na digitalização de periódicos e automação dos empréstimos. Com acervo de mais de 360 mil livros e arquitetura art déco, a biblioteca foi reformada entre 2007 e 2010 e fica localizada na Rua da Consolação, 94.

Fonte: As Boas Novas