Viaje pela gastronomia e conheça os sabores do mundo na cidade - São Paulo São

Dizem que a vida é muito curta pra não ter carimbos no passaporte e que viajar é trocar a roupa da alma. Eu, particularmente, acho que a melhor frase sobre isso é a que reúne minhas duas grandes paixões, livros e viagens:  “o mundo é um livro e quem não viaja lê apenas uma página.”

Tirando os profissionais de turismo que fazem da viagem o seu dia a dia, participando de eventos em diferentes países, os profissionais de outros setores acabam deixando para as férias de julho ou do final do ano suas grandes viagens em família ou mesmo sozinhos. Claro que a gente sempre pode incluir uma viagenzinha num feriado esticado ou aproveitar o final de semana para as muitas dicas que dou aqui, de passeios rápidos ou conhecer lugarzinhos pitorescos pertinho da cidade de São Paulo mesmo.

Então, um jeito bem simples e mais barato de conhecer outras culturas é mesmo através da gastronomia e nessa grande metrópole que é São Paulo isso é muito fácil. Não bastassem os bairros temáticos que nos reservam delícias árabes, bolivianas, japonesas, mexicanas, italianas e muitas outras, a cidade ainda tem bons restaurantes, tascas, tavernas, bares, botequins e bistrôs com sabores de todo mundo.

Dos croissants franceses da padaria Santa Marcelina aqui no Campo Belo, aonde moro, passando pelo Kibe Kibe de delícias como homus, coalhada seca e esfihas e quibes, os bairros são ótimos redutos de imigrantes que fazem da culinária sua forma de expressão e conexão com suas origens.

Buffet do Kibe Kibe. Foto: Trip Advisor.Buffet do Kibe Kibe. Foto: Trip Advisor.Até um restaurante turco tem aqui no Brooklin. O Capadócia, da Eda e do Izzet, oferece um buffet por quilo com comida caseira típica das terras otomanas como o kafta ou kebab turco e a cada dia um doce diferente.

Dos japoneses nem preciso falar, né? Tem vários espalhados por aí. Tem os italianos e aquele maravilhoso saladão com folhas, erva doce, pimentões, tomates gigantes, palmitos  e aquelas torradinhas de alho maravilhosas. Tem os mexicanos cheios de cores e perfumes das especiarias e pimentas e abacates que eu adoro. Enfim, eu acredito que quando a gente compartilha destes sabores está se conectando com a cultura e com a energia de todo o povo daquela localidade.

Semana passada, por exemplo, tive o privilégio de fazer parte de uma experiência gastronômica peruana no restaurante La Mar Cebicheria, do renomado Gastón Acurio e que tem unidades em Lima, San Francisco, Chile, Bogotá, Miami e Buenos Aires.

Aqui no Brasil, o comando da casa é do casal Alexandre e Sandra Miqui  e a experiência peruana foi quase um banquete dePrancha de camarões no La Mar. Foto: Divulgação.Prancha de camarões no La Mar. Foto: Divulgação. pratos elaborados pelos chefs dos restaurantes de São Paulo (Marcela Calegari), de Buenos Aires (Anthony Vasquez ) e de Juan Lopez Sabino, de Lima, no Peru. Sem contar a simpática figura do bartender Alexander Quiñones que fez maravilhas com frutas e Pisco Vargas harmonizando com todos os pratos e deixando um gostinho de quero mais. A sobremesa de mil folhas com creme de graviola fechou a noite como se fosse a cereja do bolo.

Comer em um restaurante temático, que em muitos casos inclui a decoração, a trilha sonora, o idioma dos garçons, a louça e, claro, a culinária, é fazer uma viagem sem pegar o avião. É se transportar para o país e compartilhar sabores, cores, aromas e experiências inesquecíveis.

Aproveita que até dia 16 de abril está rolando a Restaurante Week e viaje com a família, com os amigos, com seu amor para um dos estabelecimentos participantes. Estas viagens não deixam carimbos no passaporte mas fazem você colocar o pé na estrada com um gosto delicioso na boca.

***
Por Rose de Almeida no MICE Business em parceria de conteúdo com o São Paulo São.


-->