Circuito Municipal de Cultura recebe sessões do Cine Solar movidas à energia limpa - São Paulo São

O projeto itinerante CineSolar, promove exibições de filmes a partir da energia captada pela luz do sol. Em fevereiro, O Circuito Municipal de Cultura recebe três sessões do evento, nos dias 3, 17 e 24 de fevereiro.

Que cinema é magia, poucos duvidam. A tela grande, o escurinho, os mundos que se contam em som, em imagem, em movimento. O Cinesolar é tudo isso. E um pouco mais. Porque a magia do cinema se realiza sem rede elétrica. A essência do projeto, que já levou a telona para mais de 70 mil pessoas em 215 cidades do País, desde 2013, são placas que captam energia solar e garantem as exibições.

O CineSolar é um projeto de cinema móvel que conta com dois carros equipados viajando separadamente para atenderem diferentes cidades. Os carros são equipados com placas solares que possibilitam a conversão de energia solar para a elétrica. Uma unidade é equipada com cabine de DJ, e conta também com espaço reservado a um acervo artístico feito por participantes de oficinas artísticas realizadas em diversas cidades que já receberam o projeto. A segunda estação móvel é chamada de CineSolar Tupã e conta com uma instalação de estúdio de TV.

Para Cynthia Alaro, sócia fundadora da Brazucah Produções e idealizadora do CineSolar, as oficinas são muito impactantes. “As oficinas de vídeo e de cinema trabalham um conteúdo a partir da realidade local, com pessoas que nunca foram a um cinema e que, ao verem os filmes produzidos pelas crianças e adultos, ficam emocionadas ao conhecerem uma nova forma de ver e retratar o próprio cotidiano e os seus arredores. O que é muito especial para a comunidade e para a nós.”

Cynthia conta que a ideia do Cinesolar surgiu depois que ela teve contato com um projeto semelhante na Holanda, em 2010. “Achei que era a cara do Brasil”, diz. “Fizemos uma estação móvel de arte, sustentabilidade, cinema e cultura”, define.

Para as apresentações do Circuito Municipal de Cultura foram selecionados cinco curtas metragem e dois longas-metragem. Os curtas abordam temas educativos e de sustentabilidade voltados ao público infantil. “Nega que é nega não nega não”, que retrata o protagonismo e a força do universo negro feminino para a sociedade e as próximas gerações. O outro filme exibido, “Detox SP”, é um documentário que mostra a poluição do rio Tietê na cidade de São Paulo. 

Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes - Rua Inácio Monteiro, 9600 Dia 3/2. Sábado, 20h.
Casa de Cultura de São Mateus - Rua José Francisco dos Santos, 502, Jardim Tiete Dia 17/02. Sábado, 20h.
Casa de Cultura Vila Guilherme - Praça Oscar da Silva, 110, Vila Guilherme Dia 24/11. Sábado, 20h.

***
Com informações da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo / Em Cartaz.