LLYC aumenta em 12% suas receitas no primeiro semestre

A LLYC (BME:LLYC) obteve receitas operacionais de 39,9 milhões de euros no primeiro semestre do ano. O número representa um aumento de 12% em relação ao mesmo período de 2022, de acordo com o andamento dos resultados pendentes do relatório final de auditoria. O total de receitas também aumentou 12%, para 48,7 milhões de euros. Enquanto isso, o EBITDA (LAJIDA) recorrente (resultado operacional bruto) melhorou 9%: 8,8 milhões de euros. Os resultados até junho estão alinhados com o orçamento. Após seis meses, a empresa alcançou 50% da meta de receitas e previsão de EBITDA (LAJIDA) para todo o ano.

O crescimento orgânico das receitas de 8% superou o apresentado pelas empresas do setor, promovido pelas operações de mais impacto no grupo devido ao volume: Madri, São Paulo e México.

A aquisição da BAM em março posicionou os Estados Unidos como o terceiro maior mercado em volume para a LLYC, logo atrás da Espanha e do México. A BAM é uma agência americana, com sede em San Diego, especializada em relações públicas e marketing, atendendo startups e empresas de tecnologia que contam com o apoio de capital de risco.

Sólido crescimento do Deep Digital

O Deep Digital, que reúne marketing digital (criatividade, performance e paid media) e soluções baseadas em transformação e inteligência digital, consolida o seu crescimento. Esta divisão, que acaba de integrar a agência de áudio Voikers, é uma das grandes apostas da empresa em seu recente Plano Estratégico. Sua receita aumentou 25% no primeiro semestre. 

A contribuição do Deep Digital para o resultado total da consultoria é cada vez maior, e já representa 34% dos resultados operacionais e 26% do EBITDA (LAJIDA) recorrente. Este é o balanço das outras divisões da LLYC: a Europa representa 34% das receitas operacionais e 40% do EBITDA (LAJIDA) recorrente até junho; a América Latina, 25% e 26%, respectivamente; os Estados Unidos respondem por 7% das receitas e 8% do resultado operacional bruto.

Distribuindo os resultados do primeiro semestre por regiões, a Europa (Espanha e Portugal) representa 44% dos resultados operacionais e 49% do EBITDA (LAJIDA) recorrente; a região Norte (México, Panamá e República Dominicana), 26% e 21%, respectivamente; a região Andina (Colômbia, Peru e Equador), 11% as duas variáveis; os Estados Unidos, 9% das receitas operacionais e 10% do EBITDA (LAJIDA) recorrente; e a região Sul (Brasil, Argentina e Chile), 10% e 9%.

“Estamos satisfeitos porque conquistamos esses resultados em um ambiente bastante complexo. A melhoria dos números a partir do segundo trimestre e o dinamismo da nossa aposta na área do digital e marketing ou de Healthcare nos deixam otimistas. Tenho certeza de que a solidez do negócio, a nossa diversificação, a confiança dos nossos clientes e o esforço diário dos quase 1.200 profissionais que formam a LLYC nos ajudarão a alcançar os objetivos que traçamos para 2023. Este será mais um ano de crescimento de dois dígitos”, declarou Alejandro Romero, sócio e CEO Global na LLYC.

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found
Posts relacionados
Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.