A 6ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental exibe 100 filmes e promove debates sobre os problemas contemporâneos

Gratuitos, os encontros acontecem de 1º a 13 de junho no Cine Reserva Cultural e no Cine Caixa Belas Artes e estão vinculados às seções do evento – Homenagem Vincent Carelli, Panorama Histórico e aos eixos temáticos da Mostra Contemporânea Internacional. “A Amazônia no Imaginário do Cinema Brasileiro”, “Mudanças Climáticas e Geopolítica”, “Soluções para o Amanhã”, “O Dilema da Carne”, “A Contaminação Nossa de Cada Dia”, “Exploração e Conflito na Amazônia”, “Direito à Cidade”, “O Desafio do Trabalho” e “Cinema e Resistência – Uma Homenagem a Vincent Carelli” são os temas dos debates.

Os cineastas André Luiz Oliveira, Hermano Penna, Jorge Bodanzky, Lauro Escorel e Zelito Viana abrem o ciclo de debates no dia 1º de junho, quinta-feira, às 19h20, no Cine Caixa Belas Artes, com mediação do cineasta e curador da Mostra Ecofalante, Francisco César Filho. Com filmes presentes na seção Panorama Histórico da Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental 2017, os profissionais vão contar como era fazer cinema no período da ditadura civil-militar (1964-1985) no Brasil e, mais especificamente, na Amazônia. É uma oportunidade para entender a importância de abordar a região naquele momento e hoje. O debate “A Amazônia no Imaginário do Cinema Brasileiro” é precedido pela projeção do filme “Avaeté – Semente de Vingança”, de Zelito Viana (às 17h10) e sucedido pela exibição de “A Lenda de Ubirajara” (de André Luiz Oliveira), às 21h10, ambos integrantes do Panorama Histórico. 

‘Furacão - A Odisseia do Vento‘ (Hurricane, A wind odyssey). Cyril Barbaçon, Andrew Byatt & Jacqueline Farmer (2015). Foto: Divulgação.Outro encontro sobre as questões socioambientais no cinema brasileiro está marcado para o dia 13 de junho, terça-feira, às 20h00, no Cine Reserva Cultural. Intitulado “Cinema e Resistência – Uma Homenagem a Vincent Carelli”, ele faz parte da homenagem que o evento promove em torno da obra do premiado documentarista e criador do projeto Vídeo nas Aldeias. Além de Vincent Carelli, participam ainda Tonico Benites Guarani Kaiowá, cineasta e liderança indígena Guarani Kaiowá, o roteirista e diretor Leandro Saraiva, e Fábio Costa Menezes, realizador, montador, finalizador e colaborador do Vídeo nas Aldeias, coordenando oficinas audiovisuais. O curador da Mostra Ecofalante, Francisco César Fiho, será o mediador. Antecedendo o debate, que tem caráter de cerimônia de homenagem a Carelli, acontecem as projeções de “Corumbiara”, às 16h30, e de quatro títulos marcantes realizados pelo projeto Vídeo das Aldeias, às 18h30: “O Espírito da TV”, “Vídeo nas Aldeias”, “A Arca dos Zo’é” e “Segredos da Mata”. Após o encontro, às 21h, vem a exibição de “Martírio”, o mais recente longa-metragem do homenageado.

Cena do documentário ‘Corumbiara‘ de Vicent Carelli (2009). Foto: Divulgação.No dia 2 de junho, sexta-feira, às 20h30, no Cine Reserva Cultural, o debate “Mudanças Climáticas e Geopolítica” reúne Carlos Rittl, secretário-executivo do Observatório do Clima, Eduardo José Viola, coordenador da Rede de Estudos e Pesquisas sobre Mudanças Climáticas Globais e Relações Internacionais, e Érika Pires Ramos, do Instituto Brasileiro para o Direito das Mudanças Climáticas, com mediação do jornalista Maurício Tuffani. O encontro é precedido pela exibição, às 19h00, do filme “A Era das Consequências“, que revela, a partir da perspectiva de oficiais da Segurança Nacional dos EUA, como as mudanças climáticas afetam os conflitos e guerras nas várias regiões do mundo.

“Soluções para o Amanhã” é o debate que acontece no Cine Reserva Cultural no dia 3 de junho, sábado, às 21h00. Tem como debatedores o especialista em sustentabilidade Aron Belinky, Carolina Catini, doutora na área de Educação, Estado e Sociedade, a economista Leda Paulani, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Economia Política, e Ricardo Abramovay, coordenador do Projeto Temático FAPESP sobre Impactos Socioeconômicos das Mudanças Climáticas no Brasil. A mediação é da jornalista Amália Safatle. O debate é precedido pela exibição, às 19h, do filme “Amanhã” (dirigido por Cyril Dion e Mélanie Laurent), no qual um grupo de amigos roda o mundo procurando soluções sustentávies em agricultura, energia, economia, política e educação!

‘Uma Caçadora e sua Águia‘ (The Eagle Huntress) de Otto Bell (2016). Foto: Divulgação.O eixo temático “Alimentação & Gastronomia”, uma inovação na Mostra Contemporânea Internacional, apresenta filmes que mostram como as diferentes culturas contemporâneas se relacionam com a própria comida. Um dos títulos é “Desejo de Carne”, que acompanha a experiência de uma mulher que sempre tentou não comer carne, já que tem inúmeros motivos racionais para isso, mas que não consegue porque adora o alimento. O filme está programado para o dia 4 de junho, domingo, às 19h00, no Cine Reserva Cultural, antecedendo o debate “O Dilema da Carne”, que acontece no mesmo local a partir das 20h30. Reúne a premiada chef Bel Coelho, a jornalista Francine Lima, criadora do canal “Do Campo à Mesa”, e o também jornalista, além de ambientalista e cozinheiro, Roberto Smeraldi. Será mediador outro jornalista, Denis Russo Burgierman.

Cena de ‘Desejo de Carne‘ (Need for Meat) de Marijn Frank (2015). Foto: Divulgação.Já o debate “A Contaminação Nossa de Cada Dia”, no dia 5 de junho, segunda-feira, às 20h30, no Cine Reserva Cultural, terá as presenças do jornalista José Alberto Gonçalves Pereira, especializado em questões relacionadas ao agronegócio, economia e meio ambiente, do médico patologista e professor da USP Paulo Saldiva, e de Roberto Kishinami, coordenador o programa de energia do Instituto Clima e Sociedade e ex-diretor executivo do Greenpeace Brasil. A jornalista Maura Campanili será mediadora deste encontro, que é precedido pela sessão, às 19h, do filme “Cheirando Mal“, no qual um pai solteiro descobre químicos danosos nos produtos que utilizamos cotidianamente.

No dia 6 de junho, terça-feira, às 20h45, no Cine Reserva Cultural, o tema “Exploração e Conflito na Amazônia” é discutido por Sônia Bone Guajajara, considerada uma das maiores lideranças indígenas brasileiras, Nicole Figueiredo de Oliveira, especialista nas áreas de Mudanças Climáticas, Direito e Sustentabilidade Internacional, e pelo ambientalista Paulo Adário, um dos fundadores do Greenpeace no Brasil e o primeiro a ser eleito pela ONU “herói da floresta da América Latina e Caribe”. Mediação da jornalista Paulina Chamorro. Antes, às 19h, é apresentado o filme “Quando Dois Mundos Colidem“, sobre a luta de indígenas da Amazônia Peruana contra a exploração de petróleo e gás de xisto.

Cena de ‘A Lenda de Ubirajara‘ de André Luiz Oliveira (1975). Foto: Divulgação.“Direito à Cidade” é o tema do debate do dia 7 de junho, quarta-feira, as 20h30, no Cine Reserva Cultural. São debatedores a professora Vera Telles, coordenadora da linha de pesquisa Cidade e Trabalho no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da USP; o padre Júlio Lancellotti, que atua junto a imigrantes, menores infratores, detentos em liberdade assistida, pacientes com HIV/Aids, populações de baixa renda e em situação de rua; o professor Pedro Jacobi, coordenador do Grupo de Estudos Meio Ambiente e Sociedade do Instituto de Estudos Avançados da USP; e José Marcelo Zacchi, diretor executivo da Associação Casa Fluminense, secretário geral do Gife – Grupo de Institutos e Fundações de Empresas e apresentador do programa Navegador (GloboNews). O mediador será o sociólogo Silvio Caccia Bava. Antes do debate, às 19h00, são exibidos o curta-metragem “Champ des Possibles”, sobre a cidade como prisão, e o longa ”Frágil Equilíbrio”, um retrato de três realidades entrelaçadas a partir de uma entrevista com o ex-presidente uruguaio Pepe Mujica: a de migrantes africanos rumo a Europa, a expulsão de moradores espanhóis pela especulação imobiliária e o esgotamento pelo trabalho de executivos japoneses.

Cena de ‘Império da Fantasia‘ (Dream Empire) de David Borenstein (2016). Foto: Divulgação.“O Desafio do Trabalho” é o tema da mesa programada para o dia 8 de junho, quinta-feira, às 20h30, no Cine Reserva Cultural. Participam a professora Ludmila Costhek Abílio, especializada em relações entre exploração do trabalho e financeirização, desenvolvimento, e relações entre trabalho e consumo, o professor da Unicamp Ricardo Antunes, um dos principais nomes da Sociologia do Trabalho no Brasil, e Silvia Viana, pesquisadora de temas ligados à ideologia, indústria cultural, consumo, trabalho e subjetividade. Terá como mediadora a jornalista Andrea Vialli. Antecede o debate a projeção, às 19h, do curta-metragem “Consumido”, sobre a cadeia de produção e as impressões dos trabalhadores da China e da Coréia, e do longa ”Brumário”, sobre a transformação do mundo do trabalho na França a partir do fechamento de sua última mina de carvão.

Serviço

Debates da 6ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental
1º a 13 de junho de 2017, em diversos horários.
Entrada franca.

Onde:
Cine Reserva Cultural –  Av. Paulista 900, Bela Vista, São Paulo, tel (11) 32873529.
Cine Caixa Belas Artes – Rua da Consolação 2423, Consolação, São Paulo, tel (11) 2894.5781.

Mais informações no site www.ecofalante.org.br/mostra

Redes sociais:
facebook.com/mostraecofalante
twitter.com/MostraEco
instagram.com/mostraecofanlate​
mostraecofalante.wordpress.com

***
Com informações ATTi Comunicação e Ideias.

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.