#somosmaisque16porcento quer mais representatividade das mulheres nas homenagens dos espaços urbanos - São Paulo São

84% das ruas que homenageiam pessoas ilustres em São Paulo nomeiam homens, segundo a pesquisa realizada pela ProScore.

Antenado e vendo a profundidade da discussão ao redor do levantamento destes dados, O Estado de S. Paulo resolveu começar um debate sobre a representatividade da mulher nos tributos da cidade. Para incitar o diálogo, em parceria com a FCB Brasil - que encabeça a criação do projeto –, o jornal lança: #somosmaisque16porcento.

Para iniciar a conversa sobre esta estatística, a ação pretende montar o primeiro banco de dados com nomes de mulheres que fizeram história no País a serem indicadas às homenagens dos espaços urbanos de São Paulo. Ao final da campanha, o Estadão irá entregar um documento oficial à Câmara dos Vereadores com o intuito de incentivar a mudança destes 16%. “Essa é mais uma ação do Estadão, que trata de forma inovadora e transformadora um dos temas abordados com frequência em nossa cobertura editorial, o preconceito com as mulheres”, explica Marcelo Moraes, Diretor de Marketing Publicitário do jornal.

No site (estadao.com.br/16porcento), será possível votar em nomes de mulheres pré-selecionadas por seu histórico e/ou indicar o nome de outras. Para cada nova indicação, será necessário fazer uma justificativa sobre a escolha dessa mulher e o upload de uma foto dela. “Com esta ação não haverá mais desculpas para essa estatística continuar assim. Novamente, o Estadão quer levantar questões importantes sobre a forma como as mulheres são retratadas na sociedade”, comenta Joanna Monteiro, Chief Creative Officer da FCB.

A plataforma ainda conta com uma sessão de curiosidades sobre a discrepância entre os tributos feitos aos homens e às mulheres em São Paulo, como por exemplo, o fato de a cidade ter 1.170 ruas homenageando doutores e apenas 11 à doutoras. O mesmo se aplica a professores, com 637 nomes de ruas e apenas 79 de professoras. De acordo com a Lei n° 6.454 de 1977 é proibido atribuir nome de pessoas vivas a logradouros, obras, serviços e monumentos públicos, portanto, só serão válidas indicações de mulheres póstumas. “Os nomes das ruas das cidades brasileiras contam a história do País, porém com estes números que histórias estamos contando?”, completa Joanna Monteiro.

A campanha também será anunciada no jornal Estadão e em posts nas redes sociais proprietárias, incentivando a participação dos leitores.

Ficha técnica

Título: #somosmaisque16porcento
Produto: Estadão.
Agência: FCB Brasil Diretora Geral de Criação: Joanna Monteiro.
Diretor Executivo de Criação: Fábio Simões.
Diretor de Arte: Juliana Utsch, Lucas Succi.
Redator: Marilu Rodrigues, Lucas Saicali.
Projetos: Elaine Santos.
Tecnologia: Márcio Bueno, Victor Odo.
Atendimento: Cris Pereira Heal, Anna Sant’Anna, Henrique Neto.
Mídia: Fábio Freitas, Cristina Omura.
Aprovação do cliente: Flávio Pestana, Marcelo Moraes, Marcela Dalla, Luis Fernando Bovo.

***

Com informações da assessoria de imprensa da FCB Brasil.

 


APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio