'A água que falta': documentário estréia no Dia Mundial da Água com alertas e debate sobre o tema - São Paulo São

Em 2013, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, alertava que até 2030 quase metade da população global teria problema de abastecimento e que em 2030 a demanda por água vai superar a oferta em mais de 40%. Também segundo ele, nenhuma mensagem sobre a água deveria ser feita sem mencionar o saneamento. São 2,5 bilhões de pessoas no mundo que não têm acesso a um banheiro.

Ban Ki-moon alertou que o acesso à água potável segura e ao saneamento básico está entre as “questões mais urgentes” que afetam populações em todo o mundo. Foto: ONU / Divulgação.Ban Ki-moon alertou que o acesso à água potável segura e ao saneamento básico está entre as “questões mais urgentes” que afetam populações em todo o mundo. Foto: ONU / Divulgação.

Essas informações preocuparam o produtor audiovisual Sérgio Lopes, que começou a pesquisar as razões pelas quais nos recusamos a cuidar de maneira adequada de um bem tão fundamental para a vida de todos. Através do documentário “A água que falta”, Sérgio procurou dar um olhar mais abrangente ao tema da conservação da água, buscando provocar reflexão e engajamento na audiência.

 Através do documentário “A água que falta”, Sérgio procurou dar um olhar mais abrangente ao tema da conservação da água, buscando provocar reflexão e engajamento na audiência. Imagem: Divulgação. Através do documentário “A água que falta”, Sérgio procurou dar um olhar mais abrangente ao tema da conservação da água, buscando provocar reflexão e engajamento na audiência. Imagem: Divulgação.

Por que convivemos com rios fétidos à nossa volta, aceitando essa situação como se não tivéssemos nada a ver com a cidade em que vivemos? Em São Paulo existem quase 400 rios, e afastamos não só nosso contato com a água, mas também nosso olhar desse elemento que vai se tornando hostil, portador de mau cheiro e doenças.

O filme conta com entrevistas de Benedito Braga (presidente do Conselho Mundial da Água), André Palhano (jornalista e idealizador da Virada Sustentável) e do americano Seth Siegel (palestrante nas universidades de Harvard, Yale e Princeton, que defende soluções diplomáticas para conflitos internacionais relacionados à água). Além deles, foram ouvidos vários outros representantes da gestão pública, da iniciativa privada e cidadãos, com diversas opiniões sobre os assuntos abordados.

O americano Seth Siegel, advogado e ativista em defesa dos recursos hídricos do planeta. Foto: Divulgação.O americano Seth Siegel, advogado e ativista em defesa dos recursos hídricos do planeta. Foto: Divulgação.

“A água que falta” possui argumento do jornalista Francisco Alves, roteiro de Camila Gonzatto, produção executiva de Sílvia Prado, direção de Paula Galacini e direção de fotografia de Pichi Martirani.  A trilha sonora é de Paulo Garfunkel. Recebeu apoio institucional da Rede Pacto Brasil – ONU e do The Nature Conservancy Brasil, além do patrocínio da AMA, marca de água mineral da Cervejaria Ambev, AEGEA - empresa de saneamento e Netafim Amanco.

O projeto conta com parceria de conteúdo da Revista Saneamento Ambiental e tem realização da produtora Conteúdos Diversos, que desenvolve projetos audiovisuais sobre causas aliadas ao propósito da transformação social, cidadania e educação.

O arquiteto José Bueno, co-fundador da iniciativa "Rios & Ruas". Imagem: Youtube / Reprodução.O arquiteto José Bueno, co-fundador da iniciativa "Rios & Ruas". Imagem: Youtube / Reprodução.

Para a estreia do documentário, será realizado o Fórum Água Que Falta, apoiado pela Climatempo Bio. O evento acontecerá no dia 22 de março, Dia Mundial da Água, das 19h às 22h, na Unibes Cultural. Após a exibição do filme, haverá uma mesa de debates com a mediação de Matthew Shirts e participação de convidados, além de discussões com o público. A entrada é franca.

"As pessoas pensam que adotar a sustentabilidade e o respeito com os recursos naturais, tem a ver com limitação da sua qualidade de vida, ... não tem. Na verdade, basta a gente ter bom senso, usar esses recursos de maneira inteligente.” André Palhano, criador da Virada Sustentável.

Imagem: ONU / Reprodução.Imagem: ONU / Reprodução.

Serviço

Local: Unibes Cultural
Rua Oscar Freire, 2500 - Sumaré, São Paulo.
Data: 22 de março.
Horário: 19h às 22h.

Programação completa:

19h - Recepção.
19h30 - Exibição do documentário “A água que falta” (52 minutos).
20h25 - Mesa de Debates com mediação de Matthew Shirts e participação de convidados.

Patrocínio da  AMA, marca de água mineral da Cervejaria Ambev, AEGEA - empresa de saneamento e Netafim Amanco.

***
Com informações da equipe de Jornalismo Junior da USP.