'Você não está sozinha': Instituto Avon em campanha de alerta contra a violência doméstica - São Paulo São

Imagem: reprodução / Instituto Avon.Imagem: reprodução / Instituto Avon.

Com uma agenda que, há tempos, procura cuidar de temas relacionas ao bem-estar feminino, passando desde prevenção ao câncer de mama, ao estímulo ao empreendedorismo e combate a desigualdades e preconceitos, o Instituto Avon, junto com a agência J. Walter Thompson, decidiram fazer um alerta a toda a sociedade a respeito dos casos de violência. Com o título “Você não está sozinha”, a campanha reúne sete diferentes histórias de abusos físicos, sexuais e psicológicos enfrentados por mulheres e meninas, narrados por objetos domésticos, como uma taça, uma panela ou um urso de pelúcia.

Imagem: Divulgação..Imagem: Divulgação..As histórias narradas são inspiradas em casos reais e, segundo a diretora do Instituto Avon, foram buscadas pela agência nos cinco tipos de violência doméstica definidos pela Lei Maria da Penha. “As histórias buscam contextualizar e humanizar eventos que, lamentavelmente são mais do que ocorrências isoladas e constituem verdadeiros padrões de comportamento na nossa sociedade. Para alterarmos esses padrões precisamos alcançar suas raízes culturais e transformar os modelos mentais que perpetuam esse problema sistêmico”, argumenta Daniela.

Além do site Você Não Está Sozinha, que reúne as história de violência, a campanha também está sendo exposta ao público por outras vitrines. A primeira exposição dos cartazes aconteceu durante o fórum Fale Sem Medo, realizado em março, em São Paulo, com apoio da ONU Mulheres. Posteriormente, as peças da campanha foram espalhadas pelo mobiliário urbano e outros pontos estáticos de São Paulo. Na Avenida Paulista, quatro painéis com QR Code levam o público diretamente ao site da campanha, onde as pessoas também poderão contar histórias de casos de violência.

Para o Instituto Avon, o papel da companhia é, cada vez mais, dar visibilidade ao tema, ampliando o debate e, dessa forma, contribuindo para a redução a cultura da violência. “No segundo semestre vamos realizar a campanha de 21 dias de ativismo pelo fim da violência contra mulheres e meninas, período que se inicia em 25 de novembro (data próxima do Dia da Consciência Negra) e vai até o dia 10 de dezembro (Dia dos Direitos Humanos)”, antecipa Daniela. “Além das campanhas de conscientização, em seus onze anos de atuação, o instituto já destinou R$ 30 milhões para 153 projetos voltados ao fortalecimento e integração da rede de proteção à mulher em situação de violência”, complementa a diretora-executiva.

Imagem: reprodução / Instituto Avon.Imagem: reprodução / Instituto Avon.

Imagem: reprodução / Instituto Avon.Imagem: reprodução / Instituto Avon.

***
Por Bárbara Sacchitiello no Meio & Mensagem.



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio