Fachada do Copan será bandeira LGBT para lembrar os 50 anos da Revolta de Stonewall  - São Paulo São

No primeiro aniversário da Revolta de Stonewall, em 28 de junho de 1970, as primeiras marchas do orgulho gay aconteceram nos EUA. Foto: Getty Images.No primeiro aniversário da Revolta de Stonewall, em 28 de junho de 1970, as primeiras marchas do orgulho gay aconteceram nos EUA. Foto: Getty Images.

Em celebração aos 50 anos da Revolta de Stonewall, o Edifício Copanterá sua fachada transformada na bandeira LGBT. A campanha de financiamento coletivo A Bandeira pretende levantar fundos para a instalação de luzes coloridas nos emblemáticos brises do maior edifício habitacional do Brasil.

A intervenção será realizada entre 19 e 26 de junho, semana em que será realizada a 23ª Parada LGBT(23/06), e consiste na instalação de 4.232 lâmpadas abrigadas pelos brises horizontais da fachada voltada para a Avenida Ipiranga. De acordo com os organizadores da campanha, as fontes luminosas ficarão invisíveis aos olhos dos pedestres e iluminarão os mais de 41.000m² de superfície dos brises.

A intervenção será realizada entre 19 e 26 de junho, semana em que será realizada a 23ª Parada LGBT(23/06). Imagem: reprodução.A intervenção será realizada entre 19 e 26 de junho, semana em que será realizada a 23ª Parada LGBT(23/06). Imagem: reprodução.

O projeto permanecerá ativado durante 69 horas, em reverência ao ano em que a Revolta de Stonewall ocorreu, 1969, porém, em momentos diferentes conforme o dia da semana. 

As luzes serão acesas no dia 19 de Junho, quarta-feira, às 17:50h. No dia da Parada LGBT, a intervenção permanecerá ativada até o amanhecer, assim como na noite do cinquentenário (28/06). No dia 29, às 23h59, as luzes serão apagadas permanentemente.

Imagem: reprodução.Imagem: reprodução.

Segundo os organizadores: "A Bandeira visa levantar nossos olhares à imensidão que é a diversidade humana. Através das cores da bandeira que marca a luta por direitos LGBTQIA+ queremos trazer o foco para a luta diária que é resistir ao preconceito e ficar de pé e cabeça erguida nas ruas, da maneira que somos e sentimos ser. Iluminando a bandeira em meio ao caos urbano do Centro de São Paulo queremos manifestar nossa (re)existência e profundo respeito pela diversidade de nossa gente e nossa cidade, que tanto merecem cuidado."

Participe da campanha de financiamento coletivo no Catarse, aqui. E siga o Instagram do projeto aqui.

Leia também: Como a revolta de Stonewall, em 1969, empoderou o ativismo LGBT para sempre.

***
Fonte: ArchDaily Brasil.



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio