Conheça 10 das cidades mais antigas do mundo

Por Augusto Dalla Costa.

Ratanabá, que nada — lendas de antigas cidades perdidas permeiam o imaginário humano há séculos, tanto com a promessa de ouro quanto a de paraísos na Terra, ou civilizações perdidas. O que a ciência já conhece, no entanto, são as verdadeiras metrópoles do mundo antigo — e há muitas delas, muitas mesmo. Para facilitar, vamos elaborar uma lista das 10 cidades mais antigas do mundo.

Damasco (Síria)

Mesquita Omíada, do século 8, em Damasco. Foto: Vyacheslav Argenberg.

Representando uma das cidades mais antigas do Oriente Médio e do mundo, Damasco foi fundada no terceiro milênio a.C., e arqueólogos encontraram evidências de habitação em escavações no local entre 8.000 e 10.000 a.C. Localizada na atual Síria, ela já foi habitada por diferentes culturas, como romanos e gregos, que deixaram vestígios de seu planejamento urbano.

O islã teve particular influência na cidade, deixando marcas como a Mesquita Omíada, também conhecida como Grande Mesquita, uma das maiores e mais antigas construções do tipo no mundo, construída entre 705 e 715 d.C.

Atenas (Grécia)

A Acrópole de Atenas, um dos locais mais famosos do país, onde fica o Partenon. Foto: Christophe Meneboeuf.

Capital da Grécia e sua maior cidade, Atenas é indispensável em uma lista de cidades antigas. A habitação contínua do local vem desde 5.000 a.C., há cerca de 7.000 anos. Ela já foi cidade-estado e é o berço da democracia, cheia de tesouros históricos e marcas de inúmeros impérios, como o romano, o bizantino e o otomano. A cidade é também, claro, um ponto turístico muitíssimo procurado pelos turistas pela sua história, arte e culinária.

Sídon (Líbano)

Vista de Sídon a partir do Castelo do Mar. Foto: Heretiq.

Local habitado desde 4.000 a.C., ou talvez até mais, com estimativas chegando a 6.000 a.C., Sídon é rica em história, e acredita-se que diversas figuras importantes passaram por lá no mundo antigo, como Jesus, São Paulo e Alexandre, o Grande (que a capturou, inclusive). A cidade fica ao sul da capital do Líbano, Beirute, e foi edificada pelos fenícios.

Muitos dos sítios históricos da cidade ficam abaixo dos prédios modernos, dificultando o trabalho de arqueólogos, mas há locais a serem visitados ainda nos dias de hoje, como o Castelo do Mar de Sídon.

Rey (Irã)

Inscrição da Era Cajar no Cheshme-Ali em Rey, no Irã. Foto: Alireza Javaheri.

Localizada na área metropolitana de Grande Teerã, capital do Irã, Rey é a cidade mais antiga da província e uma das mais antigas do mundo, habitada desde 6.000 a.C., mencionada inclusive como lugar sagrado na Avestá, livro sagrado do Zoroastrismo. Ela foi capturada pelos árabes em 641 a.C. e quase destruída pelos mongóis em 1220 d.C.

Muito da cidade resistiu ao tempo, no entanto, incluindo a Torre Tuğrul e a Colina Cheshme-Ali, antigo local de recreação. Há, também, um sítio de escavação arqueológica onde artefatos de até 7.000 anos foram encontrados.

Jerusalém (Israel e Palestina)

O Monte do Templo, local mais sagrado de Jerusalém a todas as religiões monoteístas. Foto: Avraham Graicer.

Centro religioso importante para as três grandes religiões monoteístas do mundo — Cristianismo, Judaísmo e Islã —, a história corre profundamente nas veias de Jerusalém. Seus habitantes mais antigos chegaram em 2.800 a.C., e desde então, inúmeros cercos, ataques e capturas se sucederam no local.

Entre seus sítios históricos importantes, temos O Muro das Lamentações (c. 19 a.C.) e o Monte do Templo, dois dos locais mais sagrados aos judeus, a Mesquita de Al-Aqsa e o Domo da Rocha, construídos no século VII e importantes para a fé islâmica, e o Monte das Oliveiras, sagrado para todas as três religiões.

Faium (Egito)

Fachada do templo de Sobek no Palácio de Qarun, em Faium, no Egito. Foto: Roland Unger.

Cidade mais antiga do Egito e uma das mais antigas da África, Faium foi fundada em cerca de 4.000 a.C., a aproximadamente 100 quilômetros da capital do país, Cairo. Parte dela fica no local da antiga cidade de Crocodilopolis, cujos habitantes veneravam um crocodilo sagrado, de nome Petsuchos, que tinha sua própria piscina no templo local. Atualmente, alguns montículos marcam onde a antiga cidade ficava.

Biblos (Líbano)

Cais na cidade antiga de Biblos, no Líbano, habitada continuamente desde 5.000 a.C. Foto: Vyacheslav Argenberg.

Originalmente conhecida como Gebal, Biblos é uma das mais antigas cidades fenícias, fundada em cerca de 5.000 a.C., na costa do mar Mediterrâneo. A cidade, cujo nome atual significa “livros”, em grego, é de onde o alfabeto fenício, precursor de muitos alfabetos atuais (incluindo o nosso) se espalhou. Entre seus locais históricos importantes, há o Castelo dos Cruzados, do século XII, e a Necrópole Real fenícia.

Jericó (Palestina)

Ruínas de residência antiga em Tel Al-Sultan, em Jericó, um dos lugares mais antigos habitados no mundo Foto: A. Sobkowski.

Atualmente uma cidade com pouco mais de 20.000 habitantes, acredita-se que Jericó é uma das mais antigas do mundo, com evidências arqueológicas de habitação de 11 mil anos atrás. Ela foi destruída e reconstruída inúmeras vezes ao longo dos séculos, mas ainda se mantém de pé. Sítios históricos e religiosos podem ser encontrados no local, como o Monte da Tentação, onde é dito que Jesus teria sido tentado pelo diabo, e Nabi Musa, onde se crê que está a tumba de Moisés.

Plovdiv (Bulgária)

Basílica de Filipópolis, ou pelo menos suas ruínas, em Plovdiv, Bulgária. Foto: Realsteel007.

Uma das cidades habitadas há mais tempo na Europa, Plovdiv é a segunda maior da Bulgária e tem a presença de humanos desde 4.000 a.C., quando era apenas um assentamento neolítico. Gregos e romanos são apenas alguns dos povos que consquistaram a cidade, e deixaram suas ruínas por lá, como o Antigo Estádio de Philipópolis, o Anfiteatro Romano e as Ruínas de Eumolpias, uma vila trácia de 5.000 a.C.

Gaziantepe (Turquia)

Vista do Forte de Gaziantepe da cidade antiga, na Turquia. Foto: Natalie Sayin.

Perto da fronteira com a Síria, no sul da Turquia, fica a cidade de Gaziantepe, cujos primeiros habitantes chegaram em 3.650 a.C. Também chamada de Antep, ela tem diversos sítios históricos, como o Forte de Gaziantepe e a Cidadela de Ravanda, ambos restaurados no século VI pelos bizantinos, e as ruínas de Rumkale.

O Museu de Moisacos de Zeugma, o maior do tipo no mundo, também é um atrativo aos amantes da história, e uma curiosidade é a fama da cidade pelas suas baclavas (um pastel doce turco) de pistache.

***
Fonte: Culture Trip



Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.