No afã pelo final de 2015, já ia me esquecendo: Feliz Natal!!! - São Paulo São


O ano de 2015 foi um ano emblemático. E assim será o seu final.

É possível ouvir uma profusão de “UFAS” ao ritmo de uma “OLA” de estádio, em comemoração e alívio pelo final do ano. O desejo ou a esperança depositada na passagem de 2015 para 2016 se expressa como uma grande saída nas rodas de conversas pelas ruas e praças do país. Mesmo que alguns especialistas afirmem que este é um ano que não acabará.

Alguém em sã consciência seria capaz de enumerar quais as mudanças reais contidas numa simples passagem de ano?

A resposta é desafiadora, pois requer um mergulho no jogo interno de cada um.

Cada cabeça uma sentença, já dizia o ditado:

A transformação pela qual passei durante o ano de 2015 teve início a partir de uma decisão tomada no final de 2014. Decidi que precisaria transformar meu caminho profissional e fiz uma formação em Life Coaching em busca de auxílio.

Minhas resoluções de ano novo consistiam em melhorar minha performance profissional e o meu desenvolvimento pessoal de forma que pudesse colocar minha vida mais próxima do que eu acreditava.

Pieguices a parte, decidi que trabalharia para o meu desenvolvimento, mas, além disso dedicaria meu conhecimento para trabalhar para o desenvolvimento do outro.

E, assim seguiu-se o ano.

Tudo aconteceu muito, rápido. Em pouco tempo de trabalho na nova profissão, havia saído do núcleo de amigos e estava com uma carteira razoável de clientes, o negócio tomou uma seriedade inesperada.

Imediatamente identifiquei que precisava desenvolver alguns conhecimentos e fiz um especialização em coaching de carreira.

Paralelamente resolvi que publicaria quinzenalmente, artigos afim de compartilhar minhas experiências e reflexões relacionadas ao trabalho.

Comecei publicando no linkedin, depois vieram os convites para publicar no Jornal 360 e no portal São Paulo São.

Os desafios não foram pequenos, precisei trabalhar muito.

Cada cliente, um grande desafio e uma grande responsabilidade.

O que eu aprendi com isso?

Aprendi que não existe milagre sem trabalho,

Aprendi que o milagre acontece de fato quando entendemos que a vida é nossa propriedade e consequentemente nossa prioridade.

Aprendi que quando tomamos as rédeas de nossa vida, quando decidimos para onde ir e focamos na construção do caminho, os resultados são inevitáveis.

Aprendi também que precisamos agradecer sempre. Agradecer as oportunidades que a vida nos apresenta, mesmo nos momentos em que parece não haver oportunidade alguma.

Aprendi ainda que o perdão é uma grande porta que abre nossa mente para a liberdade.

E, que a fórmula milagrosa para uma vida abundante pode ser resumida da seguinte maneira:

Auto conhecimento + foco + comprometimento + ação = resultado. 

Simples assim.

É fácil?

Na realidade tudo envolve uma outra palavra a qual me dediquei com igual afinco: DECISÃO.

As mudanças dependem das decisões.

Você só muda sua vida se assim decidir.

É óbvio?

Deveria, porém, não é assim que acontece.

Voltemos então ao início do texto; o que será que muda de fato com a mudança do ano?

Depende.

Mas, depende de que?

Depende do quanto você está disposto a encarar a mudança se prepararando para ela.

Mas, então, o que faltaria acrescentar ao afã pelo final ano de 2015?

Ah, já ia me esquecendo:

Feliz Natal!!!

***
Adi Leite é Life & Career Coaching certificado pela sociedade brasileira do coaching, fotógrafo e jornalista. Escreve quinzenalmente no São Paulo São.

 



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio