Mais amor, mais amor por favor - São Paulo São

Em tempos de ódio, de intolerância, de violência, e de confronto, falemos, façamos e pratiquemos mais amor.

Amor de mãe, amor de pai; amor de homem, amor de mulher, amor de LGBT; amor de amigo, amor de amiga; amor de irmão, amor de irmã; de tio; de tia, de avô, de avó, de primo, de prima; de sobrinhos e de sobrinhas, e amor de um desconhecido que te percebeu com afeto naquela esquina.

Amor azul, amor vermelho, amor verde; amor de paz, amor em solidariedade; amor de índios, amor de pretos, amor de amarelos, amor de albinos; amor verbal, amor em Libras, amor em áudio-descrição, amor falado; amor no cinema, amor da TV, amor no rádio, amor na mídia impressa, amor na Web e, de preferência, amor ao vivo, olho no olho, toque no toque, com afagos em todos os sentidos.

Amor de dentro para fora e de fora para dentro; amor por você e por todos; amor individual e coletivo; amor para os filhos e vice-versa; amor pelas esposas, maridos, netos, sogros e sogras; amor pelos namorados e pelas namoradas; amor pelos flertes sinceros, de curta e de longa duração.

Lambe-lambe do artista plástico, Ygor Marotta que, em 2009 decidiu pedir “mais amor” para o mundo. Foto: Divulgação.Lambe-lambe do artista plástico, Ygor Marotta que, em 2009 decidiu pedir “mais amor” para o mundo. Foto: Divulgação.

Amor pelo que é seu e pelo que é de nós todos; amor pela natureza de cada um e pelas naturezas dos nossos ecossistemas; amor pelo céu, pelos mares, pelas montanhas, pelo fogo, pelo ar, pelo vento, pelos rios e lagos; amor pelas estradas e pelas picadas; amor pelos sem terra, pelos que tem terra e por todos os seres vivos.

Amor pelos antepassados, pelas relações do presente e do futuro. Amor pelos acertos e pelos erros. Amor pelas oportunidades, pelas dúvidas e pelos aprendizados. Amor pela capacidade de sonhar e pela coragem de realizar. Amor pelo sorriso, amor pelo choro, amor pela alegria, amor pela tristeza e amor pela felicidade construída a cada instante apesar do desamor tão vil.

Amor por estar aqui, o que nos dá a possibilidade de agir, interferir e transformar o meu, o seu e o nosso viver. Por tudo isso, mais amor, por favor, em tudo o que você pensar, decidir e fazer. Por aqui, fico. Até a próxima.

***
Leno F. Silva é diretor da LENOorb - Negócios para um mundo em transformação e conselheiro do Museu Afro Brasil. Escreve às terças-feiras no São Paulo São.