Villa-Lobos Superstar - São Paulo São

Heitor Villa-Lobos (1887-1950), como todo grande criador, começou sua obra sob influência dos grandes mestres do estilo vigente à sua época (como Wagner e Puccini), para depois promover o rompimento com a obra acadêmica e criar uma linguagem inovadora, própria e única.

Incorporando elementos do folclore, de cantos populares e da cultura indígena à música instrumental (solo, de câmara ou sinfônica), Villa-Lobos abraçou as questões mais relevantes do modernismo, dando uma nova dimensão à chamada música nacionalista e colocando a música brasileira no cenário mundial. E em toda sua história, o compositor nunca percorreu um caminho linear – explorou várias possibilidades estilísticas e brincou com as mais inusitadas combinações de instrumentos, sempre de forma livre e em constante evolução.

Composto hoje por alguns dos maiores músicos brasileiros da atualidade (Rodolfo Stroeter, Paulo Bellinati, Nelson Ayres, Ricardo Mosca e Teco Cardoso), o grupo Pau Brasil sempre teve como objetivo pesquisar novas formas para a música instrumental brasileira. Desde sua criação, aqui em São Paulo, em 1979, a releitura de gêneros e estilos e o cruzamento entre o tradicional e o contemporâneo para a criação de um repertório “visceralmente brasileiro” são parte intrínseca de sua identidade – e, junto com a excelência técnica, a elegância na interpretação e o bom gosto na definição do repertório, fizeram do grupo uma referência na música instrumental brasileira, com reconhecimento internacional.

Em 2012, o Pau Brasil lançou o excepcional cd ‘Villa-Lobos Superstar’ (em parceria com o quarteto de cordas Ensemble SP e com participação da voz de Renato Braz). Com magníficos arranjos de Ayres e Bellinati, o cd traz uma releitura sensível de obras como as Bachianas Brasileiras nº 4 (Prelúdio e Cantiga) e nº5 (completas), além de várias outras canções, todas em belíssimas e emocionantes interpretações. E a surpreendente inserção de um quarteto de cordas numa formação tradicionalmente jazzística, acrescida dos pontos de luz criados pela voz de Renato Braz, conferem ao cd uma linguagem como a de Villa-Lobos: inovadora e única. Não à toa, naquele mesmo ano foi o vencedor do 24º Prêmio da Música Brasileira na categoria Melhor Disco Instrumental, dando ao Pau Brasil também o prêmio de Melhor Grupo Instrumental do país.

Nelson Ayres (segundo da esq. p/ dir.) e o grupo Pau Brasil e a capa do CD Villa-Lobos Superstar. Foto: DivulgaçãoNelson Ayres (segundo da esq. p/ dir.) e o grupo Pau Brasil e a capa do CD Villa-Lobos Superstar. Foto: DivulgaçãoDesde então, e intercalando com outros shows inéditos, o Pau Brasil vem apresentando seu ‘Villa-Lobos Superstar’ com alguma freqüência. Em abril, esteve no Theatro Municipal de São Paulo, acompanhado do Quarteto de Cordas da Cidade. E no final de junho foram duas noites (lotadas) na Casa de Francisca, em São Paulo. 

Ao reler Villa-Lobos com tanta competência, o Pau Brasil não apenas demonstra conhecimento acerca da obra do compositor, mas sobretudo a leva adiante, na medida em que, como o próprio Villa-Lobos faria, afirma seu apreço à história, revela seu talento para a inovação e reitera sua vontade de evoluir e surpreender sempre.

Para saber mais: http://www.grupopaubrasil.com.br e http://www.facebook.com/paubrasilgrupo/

***
Valéria Midena é arquiteta por formação, designer por opção e esteta por devoção. É autora e editora do site SobreTodasAsCoisas e sócia do MaturityNow. *Texto editado e atualizado, a partir do original publicado no blog SobreTodasAsCoisas