‘Trama fantasma‘ tem alma - São Paulo São

Um estilista renomado, Reynolds Woodcock, vivido por Daniel Day-Lewis, leva uma vida confortável, milimetricamente calculada como o rigor por ele aplicado na confecção de cada uma de suas criações sob medida para as mulheres da elite britânica nos anos de 1950.

Até que ele conhece Alma, Vicky Krieps, uma mulher aparentemente simples, com medidas perfeitas para dar vida aos vestidos maravilhosos da Casa Reynolds Woodcock que, aos poucos, revela os seus talentos, a sua personalidade, e a sua paixão pelo estilista.

Apoiado pela fiel irmã Cyril, Lesley Manville, a vida profissional de Reynolds segue sem atropelos. Contudo, à medida que a sua nova pupila se impõe, ocupa espaço, demonstra o seu amor, e age de maneira não ortodoxa para conquistar o coração do renomado mestre da costura, Reynolds nunca mais será o mesmo.

Muito pouco é dito. Você não sabe de onde Alma é. Não sabe quando exatamente rola a história (tem uma revista "Vogue" de 1952). Não fica claro se Woodcock faz sexo com sua musa, se Cyril (Lesley Manville) é só sua braço direito (é irmã, mas só quem é muito atento nota).

A despedida (ou não!) de Daniel Day-Lewis do cinema foi com uma atuação à altura de toda sua carreira. Foto: Divulgação.A despedida (ou não!) de Daniel Day-Lewis do cinema foi com uma atuação à altura de toda sua carreira. Foto: Divulgação.A despedida (ou não!) de Daniel Day-Lewis do cinema foi com uma atuação à altura de toda sua carreira. Foto: Divulgação.

O sétimo longa do diretor americano Paul Thomas Anderson, e seu primeiro filme britânico, é muito mais simples, seco e com roteiro mais redondinho do que seus anteriores. Sem inventar, ele discute uma relação tóxica (em vários sentidos) perdido entre o melodrama e o suspense. A “trama fantasma” a que se refere o título está em mensagens escondidas nos vestidos que Reynolds costura, mas também à presença da mãe na casa onde vive.

“Trama fantasma” é um drama fino, com excelentes interpretações e uma direção segura. Provoca risos nervosos e fascinação pela história. E é um dos mais atuais filmes do Oscar. E vale perder 2 horas e 10 minutos no cinema só pelo fato de ser a despedida (ou não) deDaniel Day-Lewis, que anunciou sua aposentadoria

As mais de duas horas de exibição passam com tranquilidade, e nos prende a atenção o tempo todo. O roteiro inteligente constrói soluções não maniqueístas, indicando que as relações humanas podem oferecer caminhos não óbvios para os dilemas que cercam as relações amorosas. Por aqui, fico. Até a próxima.

Serviço

Filme: Trama Fantasma.
Direção: Paul Thomas Anderson.
Elenco: Daniel Day-Lewis, Vicky Krieps, Lesley Manville.
Gênero: Drama.
Duração: 130 minutos.
Trailer: https://youtu.be/i4GjaTnbhiY

***
Leno F. Silva é diretor da LENOorb - Negócios para um mundo em transformação e conselheiro do Museu Afro Brasil. Escreve às terças-feiras no São Paulo São.

 



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio