O sabor da Broadway em São Paulo - São Paulo São

Como Gringo nova-iorquino, a Broadway está no meu sangue. E sinto falta do glamour, do espetáculo, da qualidade dos maravilhosos cantores e dançarinos e daquele momento elétrico em que as luzes do teatro se apagam, o zumbido animado da multidão diminui e a música começa. Não há nada como isso e tive a sorte de ter visto anos de musicais verdadeiramente inesquecíveis.

A chance de ver a cidade e um festival de musicais históricos de sucesso é muito boa. Foto: Henrique Tarricone.A chance de ver a cidade e um festival de musicais históricos de sucesso é muito boa. Foto: Henrique Tarricone.

A ideia de que isso poderia ser recriado aqui faz com que "Um Dia na Broadway" (‘A Day on Broadway‘), montagem em cartaz no Teatro Bradesco até 20 de novembro, seja tão atraente. Sim, temos tido sorte em São Paulo nos últimos anos, recebendo um grande número de saudáveis mordidas compensadoras  da 'Big Apple', incluindo "O Fantasma da Ópera", "Annie", "Grande Cometa" e "Les Miserables". Mas, por mais divertido que seja e beirando a excelência, não é a mesma coisa.

Sem dúvida nascido na Itália, Billy Bond, o diretor de produção argentino, um ex-cantor de rock (Banda Joelho de Porco), deve se sentir da mesma maneira e "A Day on Broadway" é seu esforço para mudar isso. Seu conceito, transportar magicamente uma família brasileira por um dia em Nova York e a chance de ver a cidade e um festival de musicais históricos de sucesso é muito bom. Percorrendo a cidade em uma réplica especialmente construída de um táxi amarelo de Nova York, você visita a Grand Central Station, vê o Rockefeller Center e a Times Square sem sair de São Paulo. “A reprodução dos espaços da cidade deve ser fiel”, diz Bond. E fiel à sua palavra, usou computação gráfica de última geração para dar vida a tudo isso.

Se parece mais com CVC do que VIP, não importa; podemos aproveitar a emoção da cidade grande, não apenas de vê-la, mas virtualmente estar lá para "Um Dia na Broadway".

Os trechos mais famosos das trilhas de 14 musicais, como "Cats", "Chicago" (foto) e "West Side Story", são tocados por oito músicos no fosso do palco. Foto: Henrique Tarricone.Os trechos mais famosos das trilhas de 14 musicais, como "Cats", "Chicago" (foto) e "West Side Story", são tocados por oito músicos no fosso do palco. Foto: Henrique Tarricone.

Dentro desse cenário ambicioso, "Um Dia na Broadway" tem músicas maravilhosas de dez dos mais famosos musicais da história da Broadway. Se a música tema da cidade, 'New York, New York: It's A Wonderful Town' do musical de 1944 "On The Town", com Gene Kelly, Frank Sinatra e Jules Munshin está surpreendentemente ausente, há ótimos shows tapa rolhas para compensar. O problema é que, apesar do esforço considerável, eles simplesmente não chegam aos padrões da Broadway.

Cada uma das músicas é um número de produção fantasiado, reminiscente e dificilmente igual ao original da Broadway. À encantadora ‘Summer Night’ de ‘Grease’, com os garotos e garotas cantando suas diferentes versões da noite, falta o calor suave de uma noite de verão. "All That Jazz", de "Chicago", maravilhosamente encenada, carece de coreografia e sutileza imaginativa. O comovente "One Day More" de "Les Miserables", que encerra a primeira metade da produção, é emocionante, mas sem contexto. A mixagem de som era excessivamente alta e diferente de um teatro da Broadway.

O diretor Billy Bond reproduz no espetáculo, o espírito de Nova York. Foto: Henrique Tarricone.O diretor Billy Bond reproduz no espetáculo, o espírito de Nova York. Foto: Henrique Tarricone.

Os hits de "Cats", "Mamma Mia" e "Mary Poppins" trazem lembranças maravilhosas e esse pode ser o problema. Para um ex nova-iorquino que teve a sorte de ter saboreado os originais, é difícil não fazer comparações com essas encenações agradáveis, fortes em figurinos, cenários e efeitos, mas fracas no cantar e dançar. Tirar 'selfies' no lobby na frente de um painel gigante da Times Square, pode ser o mais próximo que muitos vão chegar à Broadway real. O formato "Top of the Pops" apresenta mais números de sucesso do que os que teríamos em qualquer show da Broadway. Isso é um bônus real e o público certamente tem uma experiência familiar totalmente agradável.

 Dentro desse cenário ambicioso, "Um Dia na Broadway" tem músicas maravilhosas de dez dos mais famosos musicais da história da Broadway. Foto: Henrique Tarricone. Dentro desse cenário ambicioso, "Um Dia na Broadway" tem músicas maravilhosas de dez dos mais famosos musicais da história da Broadway. Foto: Henrique Tarricone.

Bond diz que sua especialidade é produzir "shows familiares" e este é um bom exemplo. Entrevistado na Veja SP, ele alega ter gasto três milhões de reais na produção e dá créditos imodestos a si próprio por ter “trazido o profissionalismo e os maiores investimentos da Broadway para São Paulo.” Essa é uma grande reivindicação e não há dúvida de que sua ambição é enorme. Tomara que quando ele voltar com seu próximo grande espetáculo, ele se preocupe menos com a produção e mais em apresentar melhores cantores e dançarinos.

São 32 pessoas em cena, entre atores, cantores e bailarinos, músicos e técnicos. Foto: Henrique Tarricone.São 32 pessoas em cena, entre atores, cantores e bailarinos, músicos e técnicos. Foto: Henrique Tarricone.

Serviço

"Um Dia na Broadway"
Teatro Bradesco - Rua Palestra Itália, 500 / 3º piso - Bourbon Shopping.
Temporada até 20 de novembro.
Classificação: Livre.
Duração aprox.: 105min.
Horário de funcionamento:
Domingo a quinta, das 12h às 20h, sexta e sábado, das 12h às 22h.
Site: www.teatrobradesco.com.br

***
Peter Rosenwald mora em São Paulo e combina sua ocupação como estrategista de marketing para grandes empresas brasileiras e internacionais. Tem também carreira em jornalismo onde atuou por dezessete anos como crítico sênior de dança e música do 'The Wall Street Journal'. Escreve toda semana no São Paulo São.