Trabalho? Paixão? - São Paulo São

Lembro que em uma das empresas onde trabalhei se falava muito em descobrir a paixão para trabalhar naquilo que realmente gostamos. Que se não estávamos apaixonados pelo que fazíamos não seríamos bons profissionais.

Eu ouvia de forma cética porque não sentia essa paixão toda (pelo menos a que eu imaginava que precisava sentir) naquilo que fazia, apesar de gostar muito do meu dia a dia, aprender constantemente, ter desafios intelectuais e conviver com um time de profissionais excelentes.

E também não tinha nenhuma outra paixão escondida que eu estivesse “abafando”, então essa história de paixão me assombrava. Sempre que se falava no assunto eu pensava: pronto, vão descobrir que eu não sou apaixonada pelo meu trabalho!

O tempo foi passando e me dei conta de que talvez a palavra que eu usaria fosse outra, e não “paixão”. Vocês devem estar pensando: mas qual palavra você usaria? Já vou contar...

Abre parênteses: outro dia li um artigo no jornal Valor Econômico e o título era: “'Encontre sua paixão' não é um bom conselho”. Logo pensei que, enfim, poderia ser normal. O artigo falava sobre um estudo conduzido por professores das Universidades de Stanford e Yale, que concluíram que as pessoas que têm uma paixão possuem maior propensão a não explorar outros interesses porque focam demais no único interesse. Como eles já têm uma paixão, acabam não se abrindo para outros interesses, não exploram novas frentes e, consequentemente, não criam novas oportunidades na vida. Em contrapartida, as pessoas que não têm uma paixão ou interesses fixos são mais flexíveis, têm uma visão mais realista da vida e, inclusive, são mais resilientes quando os problemas aparecem. Fecha parênteses.

Você pode ter ganhos gigantescos se conhecendo melhor! Foto: Getty Images.Você pode ter ganhos gigantescos se conhecendo melhor! Foto: Getty Images.

A minha reflexão seria a seguinte: ter uma paixão clara pode ajudar a iniciar uma carreira e, dependendo das escolhas, oportunidades, etc., pode facilitar o desempenho naquilo que escolheu como trabalho. Mas se você não tem uma paixão clara, não se preocupe. Explore tudo o que possa te interessar e olhe ao redor. Mapeie os seus interesses, entenda as suas habilidades. Todos temos habilidades que nos diferenciam da maioria. Entenda em que áreas/temas você pode ser útil fazendo alguma das coisas que te interessam e/ou em que você é hábil. Você pode ter ganhos gigantescos se conhecendo melhor!

Ah! E a palavra que eu usaria em vez de paixão seria autoconhecimento.

***
Patricia Serra foi executiva de Marketing por mais de 20 anos na Sadia no Brasil e Argentina, Sara Lee no Brasil e Holanda e na Newell Rubbermaid. Hoje é coach executiva e de equipes com certificação ACC pelo ICF e é co-autora do livro Felicidade Sustentável que originou do maior estudo sobre a felicidade dos brasileiros. 



-->