A história por trás da banda - São Paulo São

Se você quiser nutrir as suas emoções, ouvir ótimas canções, conhecer histórias marcantes de vida e, de quebra, cutucar aqueles sentimentos que, às vezes, ficam protegidos pela racionalidade que nos domina, assista “Bohemian Rhapsody”, filme que conta a trajetória da banda inglesa Queen.

Cinebiografia ‘Bohemian Rhapsody’ se concentra desde a formação da banda Queen até seis anos antes da morte de Freddie Mercury. Foto: Divulgação.Cinebiografia ‘Bohemian Rhapsody’ se concentra desde a formação da banda Queen até seis anos antes da morte de Freddie Mercury. Foto: Divulgação.

E notório que Freddie Mercury foi e sempre será o líder do grupo. Talentoso ao extremo, desde muito jovem ele sabia o que queria ser e fazer na vida. Contudo, para concretizar a sua missão como ser humano e artista, precisou encontrar as pessoas e os talentos certos.

Para ser aceito pelos demais músicos, Freddie que “namorava” a banda de “garagem” fazia algum tempo, precisou apenas soltar um pouco da sua voz. Depois dessa curta apresentação sem ensaio e original, as quatro personalidades souberam domar os egos e se transformaram em uma das mais importantes bandas do rock and roll dos anos 1970.

O elenco principal do filme conta com Rami Malek, vivendo o Freddie Mercury; Ben Hardy como Roger Taylor; Gwilym Lee como Brian May e Joseph Mazzello encenando John Deacon. Foto: Divulgação.O elenco principal do filme conta com Rami Malek, vivendo o Freddie Mercury; Ben Hardy como Roger Taylor; Gwilym Lee como Brian May e Joseph Mazzello encenando John Deacon. Foto: Divulgação.

O filme mescla bem os aspectos profissionais, os bastidores da indústria do show business; com as escolhas, os desafios, os dilemas, e as ousadias bancadas pela trupe em momentos decisivos da carreira, as quais permitiram que a banda, com sacadas incomuns para os padrões do mercado na época como, por exemplo, a decisão de lançar um single com duração de 6 minutos, o dobro de tempo imposto pelas rádios.

“Bohemian Rhapsody” possui como consultores criativos Brian May e Roger Taylor, integrantes do Queen. A presença dos artistas na produção já deixa clara a intenção de homenagear Mercury por todas suas realizações no mundo da música, ao mesmo tempo em que busca contar os highlights do que aconteceu por trás dos palcos e entre os hiatos de gravações.

No filme, Lucy Boynton é Mary Austin, a mulher que roubou o coração de Freddie Mercury. Foto: Divulgação.No filme, Lucy Boynton é Mary Austin, a mulher que roubou o coração de Freddie Mercury. Foto: Divulgação.

Mais do que ver uma obra cinematográfica vigorosa, “Bohemian Rhapsody”, dosa as características pessoais e artísticas dos personagens, destacando as extravagâncias vivenciadas pelo rock star Freddie Mercury, num período em que, devido às suas fragilidades emocionais, mergulhou no submundo. Além de bem dirigidas, as cenas que exibem o making of de canções como a do título e We Will Rock You são fascinantes, dando a sensação de que presenciamos, décadas depois, o surgimento de pérolas do rock. 

Superando expectativas, Rami Malek tem ótima entrega como Freddie Mercury na cinebiografia da banda Queen. Foto: Divulgação.Superando expectativas, Rami Malek tem ótima entrega como Freddie Mercury na cinebiografia da banda Queen. Foto: Divulgação.

Com um magnetismo impressionante, uma voz inigualável, e um trio de músicos que soube valorizar cada acorde, a Queen inovou e impôs a sua maneira de cantar, misturar referências e fazer rock and roll. Nesse sentido, é uma delícia ver e ouvir na tela grande as canções consagradas, principalmente a relação que o quarteto, sob a liderança de Freddie Mercury, estabelece com as plateias de qualquer lugar do mundo, como na performance arrepiante da banda no Live Aid de 1985, no Wembley Stadium, em Londres. Assista e emocione-se! Por aqui, fico. Até a próxima.

Serviço

Bohemian Rhapsody (EUA, 2018).
Diretor: Dexter Fletcher, Bryan Singer.
Elenco: Rami Malek (como Freddie Mercury, vocalista); Ben Hardy (como Roger Taylor, baterista); Gwilym Lee (como Brian May, guitarrista); Joseph Mazzello (como John Deacon, baixista) e Lucy Boynton (Mary Austin).
Gênero: Biografia, Drama. Musical.
Duração: 2h 14 minutos.
Classificação: 14 anos.
Assista o trailer aqui!

***
Leno F. Silva é diretor da LENOorb - Negócios para um mundo em transformação e conselheiro do Museu Afro Brasil. Escreve às terças-feiras no São Paulo São.

 



-->