De quantos planetas você precisa? - São Paulo São

Reduza a sua pegada ecológica indo de bicicleta, metrô ou ônibus. Foto: Folhapress.Reduza a sua pegada ecológica indo de bicicleta, metrô ou ônibus. Foto: Folhapress.

Simplesmente para viver, todos nós impactamos e interferimos no planeta. Ou seja, habitar neste mundo significar usar recursos ambientais e depois devolvê-los ao meio ambiente. Consumimos no dia a dia toneladas de alimentos, matérias-primas e também muita energia. Para você ter uma ideia da quantidade, atualmente a média do consumo per capita de energia é da ordem de 5,6 TEP (toneladas equivalentes de petróleo). Isso significa que seriam necessárias 5,6 toneladas de petróleo por ano para cada ser humano se toda a energia gasta por nós em transporte, lazer, habitação e alimentação viesse do petróleo.

Uma das formas de medir o nosso impacto individual é a chamada pegada ecológica, que mede a quantidade de recursos naturais renováveis usados para manter nosso estilo de vida. Sob a ótica coletiva, o cálculo da pegada de uma cidade, de um estado ou de um país ajuda a conscientizar a população e os gestores públicos sobre a necessidade de impactar menos o meio ambiente.

Uma das formas de medir o nosso impacto individual é a chamada pegada ecológica. Imagem: Reprodução.Uma das formas de medir o nosso impacto individual é a chamada pegada ecológica. Imagem: Reprodução.

Segundo o Relatório Planeta Vivo, da rede WWF, a pegada ecológica brasileira é de 2,9 hectares globais por habitante. Ou seja, se todas as pessoas do planeta consumissem recursos ambientais como os brasileiros, seria necessário 1,6 planeta. Já a pegada ambiental de um americano típico é ainda maior: 8,6 hectares globais por pessoa.

Na direção certa

É óbvio que o planeta não aguenta mais esse nível de consumo e impacto – um dos sintomas tem sido a frequência de eventos climáticos, como ondas de calor, tempestades devastadoras e longos períodos de seca.

É óbvio que o planeta não aguenta mais esse nível de consumo e impacto. Imagem: National Weather Service.É óbvio que o planeta não aguenta mais esse nível de consumo e impacto. Imagem: National Weather Service.

Por isso, mudanças nas políticas públicas e também individuais são urgentes. Um jeito de melhorar a nossa pegada ecológica é evoluir nossa forma de locomoção: afinal, a maior parcela de energia consumida está relacionada ao transporte. Assim, dê preferência ao transporte ativo (bicicleta e pedestrianismo), ao transporte coletivo (trem, metrô e ônibus) e aos modais elétricos. O consumo energético por quilômetro percorrido de quem utiliza ônibus é muito menor do que o da pessoa que usa o carro. E esse consumo cai ainda mais se o transporte for sobre trilhos.

Cada vez que escolhemos substituir o carro pelo ônibus ou pela bicicleta, ou mesmo quando oferecemos carona, estamos nos locomovendo na direção de um futuro sustentável para todos. Aproveite a cidade de São Paulo e tudo o que ela oferece de forma mais equilibrada, saudável e ecológica. Tudo começa nas nossas escolhas de cada dia. E a mobilidade urbana é uma das mais impactantes.

***
Conteúdo semanal assinado pelo parceiro Pro Coletivo, o blog especializado em assuntos da multimodalidade.



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio