'Sidewalk Talk' e o dia em que a escuta morreu - São Paulo São

Traci Ruble, fundadora do Sidewalk Talk em ação. Foto: Mindful Org.Traci Ruble, fundadora do Sidewalk Talk em ação. Foto: Mindful Org.

Este artigo já deveria ter sido publicado há uma semana... Contamos sempre com a paciência do querido Maurício Machado - o publisher do São Paulo São -, neste particular, quando nos enrolamos com as nossas vidas agitadas e acabamos atrasando o nosso registro quinzenal sobre o mundo da escuta e das conversas.

Quinta-feira da semana passada estávamos felizes participando da campanha global de arrecadação de fundos em apoio a este lindo projeto do qual fazemos parte. Gravamos um podcast a pedido da Traci Ruble, como novos “chapter leaders”, os únicos representantes latino americanos da comunidade da escuta Sidewalk Talk até o momento. Foram 30 minutos de interação que, tão logo superadas as dificuldades eventuais de compreensão e da tecnologia, deixaram o sentimento de profunda conexão, sintonia e compartilhamento de propósito na dimensão proverbial da escuta.

Chamada encerrada, eu e Patrícia discutíamos sobre o nosso Sidewalk Talk, o Conversas na Calçada, e pensávamos em incluir no artigo que estávamos para escrever os números da comunidade de escuta mundo afora. O projeto viraliza... O que eram 3 mil e poucos voluntários, 52 cidades e 12 países, como registramos no primeiro press release do projeto em Terra Brasilis há apenas quatro meses, agora são 7.000 voluntários, 96 cidades e 15 países. Uma comunidade que não para de crescer, contava uma exultante Traci em misto de espanto e incredulidade. 

A escuta se silenciara em um minuto de pesar, como a morte da música na canção American Pie... Foto: Sidewalk Talk.A escuta se silenciara em um minuto de pesar, como a morte da música na canção American Pie... Foto: Sidewalk Talk.

De repente, Patrícia, sentou-se como desfalecida no sofá e olhar perdido para a tela do celular soltou... "- Taboada morreu!" E caiu em prantos. A ideia para o registro desta semana brotou no coração e na mente de quem vos escreve neste exato espaço tempo em que se soube da notícia da morte de alguém querido, o analista da Patrícia. Morte, furtiva, por mais que esperada, pressentida, sempre nos surpreende em nossas reações. 

Mas mais do que isso, no campo do simbólico, em meio às mil e umas sincronicidades que dão significado e sentido as nossas vidas, a morte de um alquimista da escuta como Rodney Galan Taboada choca as sensibilidades pela perda do espaço da escuta, do acolhimento, da conversa, do apoio, do carinho, da amizade, da sabedoria, da generosidade e tanto mais o que se possa imaginar e expressar em palavras, ou muito além delas, em sentimentos, sobre uma pessoa que deixou marcas na vida de tanta gente, apenas exercendo com sabedoria o seu ofício da escuta. 

Don McLean gravou o álbum e o single American Pie em 1971. Foto: Time Magazine.Don McLean gravou o álbum e o single American Pie em 1971. Foto: Time Magazine.

A escuta se silenciara em um minuto de pesar, como a morte da música na canção American Pie... “I can’t remember if I cried / when I read about his widowed bride / something touched me deep inside / the day the music died.” E diante do seu silêncio, do dia que a escuta morreu, o que nos resta a fazer? Quando o que se deseja é só o retorno generoso da nossa existência, que reverbera na escuta atenta e sábia do outro, em um mundo que sofre de crônica dificuldade de ouvir, cuidar, se importar...

Mas é vida que segue e que se dá agora e sempre na escuta ativa praticada por cada um de nós, nos encontros a que nos dispusemos a promover... A deixar acontecer... Na postura inquieta da não espera. O viver a potência do presente de uma conversa, nos dois sentidos que esta frase encerra. Sidewalk Talk – Conversas na Calçada, apesar da dor da ausência muito sentida de um dos seus mentores, que ajudou, deveras, com sua escuta a colocar este projeto de pé, segue a sua sina de escutar, não menos, mas mais, e sempre, na luta pela humanização, reconstrução do comum e resgate do público.

***
Por Luiz Alfredo Santos e Patrícia Maria Martins do Sidewalk Talk - Conversas na Calçada, que escrevem quinzenalmente no São Paulo.



Siga nas redes!

Facebook: https://www.facebook.com/sidewalktalkconversasnacalcada/
Instagram: https://www.instagram.com/sidewalktalkconversasnacalcada/?hl=es
LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/sidewalk-talk-conversas-na-calçada/



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio