Bicicletas inteligentes, barcos elétricos e ovos moles - São Paulo São

Aveiro distribui sensores 'See.Sense Ace Rear' para conhecer os percursos dos ciclistas urbanos. Foto: Getty Images.Aveiro distribui sensores 'See.Sense Ace Rear' para conhecer os percursos dos ciclistas urbanos. Foto: Getty Images.

O município de Aveiro, sede do distrito com o mesmo nome e que engloba, entre outras, a “minha” cidade de Ovar, dá mais um passo para consolidar a bicicleta como meio de transporte sustentável e seguro. Durante um ano, de dezembro de 2019 a dezembro de 2020, voluntários irão equipar suas bicicletas com pequenos sensores capazes de recolher dados sobre trajetos, velocidade e diversos outros indicadores, que serão recolhidos e integrados em uma plataforma capaz de fazer diversas análises e ajudar a definir novas políticas, identificar áreas de risco, as condições do piso e da infraestrutura urbana e até mesmo entender o comportamento dos ciclistas no trânsito. E quem quiser se candidatar à tarefa de “ciclista-pesquisador”, ainda dá tempo. As inscrições estão abertas até o final deste mês para quem tem bicicleta própria e mais de 16 anos de idade. O projeto chamado “Desafio da Mobilidade” irá transformar 180 bicicletas em verdadeiras células de coleta de informações. Os sensores instalados nas bicicletas conseguem realizar até 800 gravações por segundo.

Aveiro: dos moliceiros elétricos ao 5G, a cidade já quer ser mais que a “Veneza de Portugal”. Foto: Madre Media.Aveiro: dos moliceiros elétricos ao 5G, a cidade já quer ser mais que a “Veneza de Portugal”. Foto: Madre Media.

O Desafio da Mobilidade é uma iniciativa da Câmara Municipal de Aveiro em parceria com três associações locais: NBLICA (da Universidade de Aveiro), Ciclaveiro e Cicloeixo. O projeto é um dos que integram um plano mais amplo chamado “Aveiro Tech City”, que tem a proposta de usar a tecnologia para melhorar a qualidade de vida de todos os cidadãos em várias frentes: mobilidade, educação, cultura e ambiente. A ideia é que a cidade se transforme em um grande laboratório vivo, um “campo de testes” para novos serviços ou para aprimorar processos e projetos já existentes, tornando a cidade uma referência em sustentabilidade. Uma outra frente, por exemplo, é criar condições para que Aveiro seja uma das primeiras 5G Trial Cities em Portugal e na Europa.

O charme tranquilo de Aveiro, a "Veneza Portuguesa" com seus canais. Foto: Teresa Cidade.O charme tranquilo de Aveiro, a "Veneza Portuguesa" com seus canais. Foto: Teresa Cidade.

Os futuros barcos moliceiros de Aveiro terão propulsão 100% elétrica, reduzindo a emissão de cerca de 400 Toneladas de CO2 por ano. Foto: Câmara Municipal de Aveiro.Os futuros barcos moliceiros de Aveiro terão propulsão 100% elétrica, reduzindo a emissão de cerca de 400 Toneladas de CO2 por ano. Foto: Câmara Municipal de Aveiro.

As “bicicletas - inteligentes”, porém, não são a única iniciativa no campo da mobilidade. Aveiro, cidade também conhecida como a Veneza portuguesa, tem os seus canais como um dos principais cartões postais do município. E é pelas “ruas de água” que circulam os moliceiros, algo como as gôndolas de Veneza. Não há como ir a Aveiro e não dar uma voltinha de barco pelos canais. A novidade, também como parte deste grande plano de tornar a cidade uma referência em sustentabilidade e tecnologia, é que os barcos passarão a ter motores elétricos, deixando de lado os modelos a combustão, que hoje são os responsáveis pela propulsão dos moliceiros e, claro, pela emissão de poluentes. A meta inicial é que todas as embarcações movam-se com a eletricidade até 2023, mas já há promessas dos operadores para que o prazo seja cumprido com até dois anos de antecedência. Ao longo dos canais, há cinco cais que serão adaptados para receber as redes de carregamento. São cerca de 30 barcos cortando os canais, todos mais ligados ao turismo. Com os moliceiros elétricos, estima-se que a redução da emissão de CO2 será de 400 toneladas ao ano. E também já está no papel um projeto para eletrificar o ferry boat, que transporta turistas e a turma local.

O novo ferry boat elétrico de Aveiro, permitirá reduzir a pegada ambiental da operação de transportes em 600 toneladas de CO2 por ano. Foto: Roda do Leme.O novo ferry boat elétrico de Aveiro, permitirá reduzir a pegada ambiental da operação de transportes em 600 toneladas de CO2 por ano. Foto: Roda do Leme.

Passando por praias fluviais até São Jacinto, pega-se o ferry boat para cruzar o canal e desembarcar diante do lindo farol da praia da Barra. Foto: campanha Ria de Aveiro.Passando por praias fluviais até São Jacinto, pega-se o ferry boat para cruzar o canal e desembarcar diante do lindo farol da praia da Barra. Foto: campanha Ria de Aveiro.

Mas apesar do investimento em tecnologia e em inovação, uma outra marca registrada de Aveiro não irá mudar. Os tradicionais ovos moles, doce conventual que pode ser achado em confeitarias que seguem com as portas abertas há mais de 150 anos na cidade, não querem saber de inovação e são produzidos com as mesmas receitas que viraram os séculos. Os ovos moles de Aveiro já apareceram em trechos de romances de Eça de Queiroz e de Érico Veríssimo e são a prova de que a inovação e a tradição podem conviver perfeitamente bem, de maneira doce e harmoniosa.

Em Aveiro, os ovos moles atingiram a perfeição, sendo de lá, a receita mais famosa. Foro: Sabores de Portugal.Em Aveiro, os ovos moles atingiram a perfeição, sendo de lá, a receita mais famosa. Foro: Sabores de Portugal.

Para quem quiser conhecer um pouco mais do que está sendo feito lá em Aveiro, deixo aqui uma proposta “gastronômica-sustentável-tecnológica”: sair de bicicleta de Ovar, margeando a Ria de Aveiro (a ria começa em Aveiro e termina em Ovar), passando por praias fluviais até São Jacinto, onde pega-se o ferry boat para cruzar o canal e desembarcar praticamente diante do lindo farol da praia da Barra. De lá, mais umas pedaladinhas, quem sabe conhecendo as casas listradas da Costa Nova, para depois terminar na parte mais histórica de Aveiro, diante do cais onde estão os moliceiros, por enquanto ainda a combustão. São mais ou menos 40 km de pedal, numa paisagem linda, que vão consumir umas boas calorias, que depois serão repostas... com Ovos Moles de Aveiro!

Leia também: 

***
Marcos Freire mora com a família em Ovar, Portugal, pequena cidade perto do Porto, conhecida pelo Pão de Ló e pelo Carnaval. Marcos é jornalista, com passagens pelas principais empresas e veículos de comunicação do nosso país. Escreve quinzenalmente no São Paulo São.



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio