Projeto 'Caminhos de Pedra' em Bento Gonçalves é bom exemplo de valorização da cultura tradicional - São Paulo São

Um dos pontos fortes do projeto cultural é estabelecer uma relação entre o turista e as famílias de descendentes de imigrantes, articulando o turismo à economia criativa. Foto: Ana Paula Wickert.Um dos pontos fortes do projeto cultural é estabelecer uma relação entre o turista e as famílias de descendentes de imigrantes, articulando o turismo à economia criativa. Foto: Ana Paula Wickert.

O projeto Caminhos de Pedra nasceu em 1998 da inquietação do arquiteto Júlio Posenato com a falta de reconhecimento do patrimônio cultural e arquitetônico construído pelos imigrantes italianos no sul do Brasil. Com apoio do engenheiro e empresário Tarcísio Michelon, a rota foi implantada no Distrito rural de São Pedro em Bento Gonçalves.

Baseado no pressuposto de que a preservação do patrimônio está diretamente relacionada com a regeneração econômica e apropriação pela comunidade local, o projeto desenvolveu um roteiro cultural valorizando os saberes tradicionais, aliados à preservação da arquitetura, paisagem e patrimônio imaterial.

A relação da paisagem com o patrimônio arquitetônico é outro aspecto que torna este roteiro único. Foto: Ana Paula Wickert.A relação da paisagem com o patrimônio arquitetônico é outro aspecto que torna este roteiro único. Foto: Ana Paula Wickert.

O projeto previu a implantação das operações de forma linear ao longo de parte da antiga Linha Palmeiro, tendo como objetivo em primeiro lugar reanimar locais originalmente pensados para uma determinada função (exemplo moinho Bertarello e ferraria); adaptar prédios autênticos da arquitetura de imigração italiana a novos usos que fossem compatíveis (Casa Vanni e Casa da Ovelha); edificar prédios didáticos, compatíveis com a herança cultural do lugar (diversas novos prédios foram construídos com este fim, tanto réplicas quanto de arquitetura contemporânea)

Desta forma, a criação do roteiro fundamenta-se na valorização da cultura da imigração italiana e no turismo rural patrimonial, ou seja, no roteiro busca-se a valorização dos hábitos e cultura do século XIX e XX dos imigrantes, sendo essa a essência e a fundamentação econômica da proposta. As ações devem portanto evitar a criação de um roteiro fake, onde empresários externos venham ao local para se beneficiar da construção coletiva do imigrante.

Mapa atual do Roteiro Caminhos de Pedra. As atrações estão implantadas ao longo da VRS 855 com algumas ramificações. Fonte: www.caminhosdepedra.org.br Mapa atual do Roteiro Caminhos de Pedra. As atrações estão implantadas ao longo da VRS 855 com algumas ramificações. Fonte: www.caminhosdepedra.org.br

A gestão da rota é feita pela Associação Caminhos de Pedra, criada em 1997 com apoio do Sebrae. São aproximadamente 70 associados que recebem anualmente em torno de 100.000 turistas, com potencial alto de crescimento. O roteiro também foi reconhecido como patrimônio histórico do RS, através da Lei Estadual 13.177/09, devido a possuir o maior acervo de imigração italiana em área rural do país.

Um dos pontos fortes do projeto cultural é estabelecer uma relação entre o turista e as famílias de descendentes de imigrantes, articulando o turismo à economia criativa. A relação da paisagem com o patrimônio arquitetônico é outro aspecto que torna este roteiro único. 

Clique e acesse a matéria. Imagem: Youtube / Ana Paula Wickert.Clique e acesse a matéria. Imagem: Youtube / Ana Paula Wickert.Iniciativas pautadas no turismo local e na valorização da cultura e do patrimônio são uma forte tendência no turismo contemporâneo, onde o público busca experiências autênticas e humanizadas. Este exemplo pode ser também uma referência para outras cidades brasileiras com potencial a ser desenvolvido.

Uma das formas de recuperação econômica do turismo brasileiro no pós-pandemia será através deste tipo de roteiro, mais regional, com acesso facilitado e público reduzido.

***
Ana Paula Wickert é arquiteta e urbanista, mestre em Arquitetura e MBA em Marketing pela FGV. É palestrante, consultora e criadora do portal ArqAtualiza



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio