Ano letivo 2016 terá ensino integral e expansão da educação infantil - São Paulo São

 
O ano letivo 2016 na rede municipal de ensino terá novidades como o início do Programa “São Paulo Integral" e mais avanços na expansão da quantidade de vagas em educação infantil. Para conversar sobre as principais diretrizes da Rede Municipal de Educação, o prefeito Fernando Haddad e o secretário Gabriel Chalita (Educação) receberam, nesta última terça-feira (16), 1500 coordenadores pedagógicos para uma reunião e um concerto no Theatro Municipal, na região central. As aulas nas escolas municipais começaram na última quinta-feira (11).
 
Abertura do ano letivo no Theatro Municipal. Foto: Fabio Arantes / Secom.

No encontro, Haddad fez um balanço das principais conquistas da educação na sua gestão. “Tivemos muitas mudanças ao longo da gestão. Nós introduzimos a universidade pública nos CEUs e estamos construindo novos CEU. Introduzimos os três ciclos no ensino fundamental: o de alfabetização, o interdisciplinar e o ciclo autoral, com resultados importantes de aprendizado no longo prazo, e acabamos com a aprovação automática. Em 2016, devemos superar a marca de 100 mil vagas criadas e preenchidas em educação infantil e temos 167 obras entregues ou que serão entregues até o final deste ano”, afirmou o prefeito. Na reunião, Haddad também anunciou o envio à Câmara Municipal de projeto de lei para bolsas de Mestrado e Doutorado para educadores da rede municipal.

Em 2016, segue o programa de expansão do atendimento nos Centros de Educação Infantil (CEIs) e Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIs) da Capital. A cidade registrou em 2015 a maior expansão no número de vagas de educação infantil de sua história. Em três anos, 81.896 crianças de zero a cinco anos foram incluídas na rede, sendo 64.239 vagas em creches. O recorde conquistado reflete a intensificação no trabalho de busca por entidades parceiras e também na construção de novas escolas. Desde 2013, foram abertas 360 novas creches.

O resultado desta política de expansão na educação infantil é a redução da demanda por vagas em creche, um desafio histórico na capital. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, 2016 começou com a menor demanda da história da cidade, com 65 mil crianças na fila. O trabalho de crescimento nas vagas também permite que São Paulo possa cumprir a meta de universalização, até 2016, do atendimento em educação infantil de crianças de 4 e 5 anos, prevista pelo Plano Nacional de Educação.

Outra novidade do ano letivo de 2016 é que 16 mil alunos da rede vão ficar mais tempo nas escolas. O Programa “São Paulo Integral" vai ampliar a jornada para, no mínimo, 7 horas diárias em 110 escolas e reorganizar a matriz curricular do município. O aumento da jornada receberá investimentos de R$ 16 milhões. Entre as unidades que estão participando do novo modelo, 37 são Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIs) e 73 são Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEFs). A iniciativa começa no Ciclo de Alfabetização.

“Tudo que a gente faz é dialogado. Todos os programas que iniciamos são construídos com vocês, e sempre as escolas são consultadas. Nós acreditamos muito na escola de tempo integral. Mas as escolas votaram, refletiram se estavam preparadas naquele momento para isso”, disse Gabriel Chalita. O secretário, além dos coordenadores pedagógicos, também recebeu nesta segunda-feira (15) 1.500 diretores de escolas. Os educadores acompanharam concertos da orquestra do Instituto GPA e receberam o documento Agir na Escola, que reúne as principais diretrizes para a rede.

Ampliação
Também está em andamento a primeira fase do plano de expansão da rede CEU, na qual serão investidos R$ 314 milhões. Nesta etapa, serão construídas oito unidades, com a média de área de 11.500 metros quadrados cada uma. Os novos equipamentos serão instalados na Freguesia do Ó e no Parque Vila Maria, na zona norte, e no Tatuapé, no Jardim São Vicente, no Conjunto Habitacional Padre Manoel da Nóbrega, no Jardim São Pedro, em Itaquera e na Vila Alpina, na zona leste.

Estão em processo de licitação mais seis Territórios CEU, localizados no Campo Limpo e no Grajaú, na zona sul, em Pirituba/ Jaraguá e Jaçanã/ Tremembé, na zona norte, e em Cidade Tiradentes, na zona leste. Cada um receberá investimentos de cerca de R$ 50 milhões. Estão planejadas mais três fases de obras, que totalizarão 21 novos Centros Educacionais Unificados na cidade.

***
Fonte: Secretaria Ececutiva de Comunicação.
 
 


APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio