Biblioteca Brasiliana na USP, recebe o segundo lugar no Prêmio Oscar Niemeyer 2016 - São Paulo São

Prêmio “Oscar Niemeyer” para a Arquitetura Latino-americana 2016 - que será entregue a cada dois anos a uma obra construída pelo caráter exemplar do projeto, por seus valores como proposta arquitetônica e tecnológica; por sua relação com o contexto, com os aspectos sociais, culturais e ambientais - escolheu, na sua primeira edição, o emblemático Lugar da Memória, localizado em Miraflores, distrito de Lima e projetado por Barclay & Crousse.
 
O projeto brasileiro da Biblioteca Brasiliana, de Eduardo de Almeida e Rodrigo Mindlin Loeb, recebeu o segundo prêmio. O edifício, localizado na Cidade Universitária da USP, abriga o maior acervo particular do Brasil, com cerca de 17 mil títulos e 40 mil volumes – doados para a Universidade de São Paulo (USP) por José Mindlin. O complexo também abriga o acervo do Instituto de Estudos Brasileiros (IEB), além de contar com livraria, cafeteria, sala de exposições e auditório para 300 pessoas. 
 

A premiação acontecerá na quarta-feira, 16 de novembro de 2016, na Ágora da Casa de la Cultura Ecuatoriana, durante a XX Bienal Panamericana de Arquitectura de Quito. A arguição estará a cargo do arquiteto Carlos Jiménez. Os 20 finalistas serão expostos de 11 a 18 de novembro na sala La Ideal.

Os finalistas:

 
A Biblioteca Brasiliana
 
O complexo conta com livraria, cafeteria, sala de exposições e auditório. Foto: Nelson Kon.O complexo conta com livraria, cafeteria, sala de exposições e auditório. Foto: Nelson Kon.
 
No final de 1999, o bibliófilo José Mindlin transmitiu para o neto, Rodrigo Mindlin Loeb, e para o amigo Eduardo de Almeida, uma missão: tocar o projeto da biblioteca que abrigaria a rara coleção de livros – o maior acervo particular do Brasil, com cerca de 17 mil títulos e 40 mil volumes – que doou para a Universidade de São Paulo (USP). Quando Mindlin faleceu, em fevereiro de 2010, aos 95 anos, a obra avançava, vencendo obstáculos, e sua concretização era apenas uma questão de tempo.
 
O edifício de 21.950 m2 foi inspirado em conceituadas bibliotecas de outros países, como a Beinecke Rare Book & Manuscript Library (Biblioteca Beinecke de Manuscritos e Livros Raros), da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, e a Biblioteca Saint Geneviève, de Paris, na França. A Library of Congress (Biblioteca do Congresso), de Washington, foi consultada para definir diretrizes de conservação das obras.

A Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, está instalada em um dos blocos do edifício no coração da Cidade Universitária, em São Paulo. 

***
Por Claudia Hiromoto no Arch Daily.
 


APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio